Nome do Projeto
O ator e o teatro contemporâneo: atuação e dramaturgias
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
05/05/2014 - 31/07/2016
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Artes - Teatro
Resumo
A pesquisa visa investigar e descrever a metodologia de trabalho do ator no teatro que é realizado neste início de século XXI, detendo-se naquelas dramaturgias que exploram tanto a desconstrução da narrativa dramática, quanto a performatividade do ator, questionando a maneira tradicional de atuação e rompendo limites entre o ficcional e o não-ficccional.

Objetivo Geral

Temos como objetivo central observar os desdobramentos ocorridos na dramaturgia teatral a partir do último quartel do século XX, não só como texto, mas como cena repetidamente atualizada diante do espectador, e como isso se refletiu e se reflete na maneira como o ator concebe e executa o seu trabalho, tanto em cena como em sala de ensaio. Esta cena contemporânea incorporou estéticas, métodos e formas de trabalho advindos da dança e da performance, além de desconstruir a maneira puramente dramática de narrar (tal como caracterizou Peter Szondi), utilizando-se não só das experiências épicas desenvolvidas por dramaturgos e teóricos como Thornton Wilder, Bertold recht e Heiner Muller, como das experimentações cênicas de diretores como Robert Wilson, Ariane Mnouchkine, Robert Lepage e, no Brasil, José Celso Martinez Correa, Antônio Araújo e Enrique Diaz. No início desse milênio o trabalho do ator cada vez mais se alicerça não apenas na necessidade de construção de personagens dramáticos, entendidos aqui como aqueles dotados de uma história própria e de algo que podemos identificar como uma psicologia, ou seja, que tem como modelo seres humanos individualizados e inseridos numa realidade histórica e social; trabalhando com outras formas de narrar, em outros "regimes de narratividade" (Silva, 2005), o ator precisou transformar sua forma de trabalhar, trabalhando com construção de ações que não estão vinculadas à personificação de um "outro", assumindo a própria pessoa em cena, criando jogos e situações cênicas que o aproximam de um performer, estabelecendo novas relações com a plateia (superando o voyeurismo que caracteriza alguns teatros), atuando em espaços distintos do edifício teatral, e rompendo constantemente a barreira entre o ficcional e o não-ficcional. Dessa forma, há uma desestabilização da noção de personagem, e o ator, incorporando as diversas personas que o caracterizam, e propondo jogos cênicos que frequentemente incluem a plateia, joga com essas noções, criando uma nova forma de fazer teatro que exigem um trânsito frequente entre diversos "registros de atuação" (Silva, 2013).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA NUNES FELGAR825/08/201527/11/2015
ALINE DA SILVA MEIRA COTRIM601/04/201527/11/2015
FERNANDA VIEIRA FERNANDES410/08/201531/07/2016
THALLES ECHEVERRY FEIJÓ1201/08/201531/07/2016
THALLES ECHEVERRY FEIJÓ601/04/201527/11/2015

Página gerada em 28/11/2020 23:42:20 (consulta levou 0.076556s)