Nome do Projeto
Uma análise sobre a evolução temporal da posse dos bens que compõem o Indicador Econômico Nacional (IEN)
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
30/03/2014 - 28/02/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Resumo
Nos últimos anos, o Brasil vem apresentando melhoras significativas com relação à redução das taxas de pobreza e de extrema pobreza. Os indivíduos que saíram desta situação foram alavancadas por um aumento real da renda domiciliar per capita na ordem de 28%, acompanhado pela redução da desigualdade. Este aumento da renda dos brasileiros, especialmente entre os mais pobres, deve-se em grande parte às políticas sociais que vêm sendo implementadas nos últimos anos, como os programas de transferência de renda, e aos aumentos reais do salário mínimo (Osorio et al., 2011). Com essa mudança no panorama brasileiro, é muito provável que o perfil de posse de bens de consumo durável nos domicílios também tenha mudado. Deve-se atentar, ainda, que além das mudanças econômicas ocorridas no período, as preferências dos consumidores são dinâmicas, podendo mudar devido a mudanças tecnológicas, ou a diversos outros fatores. Outro fator que deve ser levado em consideração é que neste período ocorreram diversas intervenções do governo para aquecer a economia que também podem ter influenciado o perfil dos domicílios brasileiros. Entres eles estão a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os automóveis e para a chamada “linha branca”, que engloba diversos bens que compõem o IEN. Além disso, o governo lançou em 2003 o Programa Luz para Todos, que tinha o objetivo de acabar com a exclusão elétrica nas áreas rurais do país3. Com a disponibilidade de energia elétrica, é muito provável que os domicílios contemplados tenham sofrido grandes mudanças, afinal, não faria sentido o domicílio possuir bens que necessitam de energia elétrica antes da implementação do Programa. O IEN foi criado a partir de dados do censo de 2000, antes de todas estas mudanças ocorridas no contexto econômico e social brasileiro. Como o Indicador não se aplicava a domicílios da área rural, o Programa Luz para Todos não deve ter tido influência sobre o mesmo. No entanto, todos os outros aspectos aqui apresentados provavelmente mudaram o perfil dos domicílios brasileiros urbanos. Neste sentido, faz-se necessário analisar como a posse de cada componente do IEN se comportou ao longo do tempo para avaliar se os mesmos ainda são bons indicadores de renda, além de analisar se os pesos das variáveis que compõem o IEN ainda se mantêm válidos, ou se alterações são necessárias para que o mesmo continue sendo um bom indicador de posição socioeconômica.

Objetivo Geral

Objetivo geral

Estudar a evolução temporal da posse dos bens que compõem o IEN na
população de Pelotas/RS entre os anos de 2001 e 2013, bem como sua correlação com
o escore obtido com o IEN e com a renda domiciliar.


Objetivos específicos

Analisar a evolução temporal da posse de cada um dos bens que compõem o IEN nesta
população;
Analisar a tendência temporal dos escores obtidos no IEN pela população de
Pelotas/RS;
Estimar a correlação (carga) de cada bem com o escore obtido através do IEN;
Apontar as variáveis mais estáveis e com maior correlação com a renda do domicílio.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FERNANDA EWERLING230/03/201428/02/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 75.000,00
Recursos própriosR$ 7.000,00

Página gerada em 17/12/2018 17:51:16 (consulta levou 0.091010s)