Nome do Projeto
Ambiente domiciliar como fator de risco para quedas de idosos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2014 - 28/02/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Resumo
Existem diferenças em relação ao processo de envelhecimento populacional entre os países de alta e os de baixa e média renda. Enquanto nos primeiros, o envelhecimento ocorreu de forma lenta, em um cenário socioeconômico favorável e possibilitando melhoria nas condições de vida, no segundo, esse processo vem acontecendo de forma acelerada, sem que haja um planejamento social e de saúde adequado. A estrutura etária do Brasil está mudando de forma rápida. Em termos absolutos, o grupo etário de idosos é hoje um contingente populacional expressivo e de crescente importância no conjunto da sociedade brasileira, aumentando a demanda de políticas públicas de saúde. Conforme descrito na introdução do projeto, a ocorrência de quedas entre idosos é elevada. A cada ano, aproximadamente 30% das pessoas idosas sofrem quedas, e essa taxa aumenta para 40% entre os idosos com mais de 80 anos. Dos que caem, aproximadamente 2,5% requerem hospitalização e desses, apenas metade sobreviverá após um ano. Além do aumento na mortalidade de idosos, as quedas estão associadas ao desenvolvimento de lesões; 40; 41, decorrendo em forte impacto econômico no sistema de saúde e na sociedade. Outras consequências negativas para os indivíduos são aumento de dependência para realização das atividades da vida diária e impacto na qualidade de vida, influenciando na mobilidade, autocuidado e ansiedade/depressão. Promover a segurança do ambiente doméstico pode favorecer a diminuição da prevalência de quedas, já que esse vem sendo apontado como um importante fator de risco. Além disso, estudos de base populacional que avaliaram a prevalência dos fatores de risco ambientais no domicílio de idosos são escassos na literatura e até o momento não foram realizados no Brasil. Dentro desse contexto, justifica-se a realização de um estudo de base populacional para descrever o ambiente domiciliar de idosos na cidade de Pelotas quanto aos potenciais fatores de risco para quedas, visando promover ações de saúde adequadas e a prevenção tais acidentes e seus agravos na população.

Objetivo Geral



Objetivo geral


Descrever o ambiente domiciliar de idosos residentes na zona urbana do município de Pelotas, RS, de acordo com potenciais fatores de risco para quedas acidentais.



Objetivos específicos


Descrever a prevalência de potenciais fatores de risco para quedas acidentais no ambiente domiciliar de idosos residentes na zona urbana do município de Pelotas, RS;
Verificar a distribuição dos fatores de risco segundo variáveis:

- demográficas (idade, sexo, cor da pele e densidade domiciliar);
- socioeconômicas (escolaridade, renda familiar e nível econômico).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JANAINA VIEIRA DOS SANTOS MOTTA101/04/201428/02/2015
NATÁLIA PEIXOTO LIMA201/04/201428/02/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 75.000,00
Recursos própriosR$ 7.000,00

Página gerada em 12/12/2018 12:26:02 (consulta levou 0.069381s)