Nome do Projeto
MODELAGEM GEOFÍSICO-ESTRUTURAL DA BACIA DO PARANÁ (BRASIL)
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
15/09/2014 - 14/09/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Resumo
Esse projeto de pesquisa tem o objetivo de realizar a modelagem de dados geofísicos para fins de modelagem geofísico-estrutural na Bacia do Paraná, com enfoque principal nas estruturas deformacionais e no processo de compactação-diagênese. A área de investigação está inserida na Bacia do Paraná, uma depressão intracratônica preenchida por algumas sequências sedimentares que se estendem do Paleozóico ao Mesozóico, cobertas por uma espessa unidade de rochas vulcânicas (Fm Serra Geral). Essas rochas vulcânicas fazem parte da Província de Derrames Basálticos Paraná-Etendeka, alojados durante o período Cretáceo. Os dados geofísicos disponíveis compreendem basicamente dados de campo potencial (gravimetria e magnetometria). Os dados de gravimetria estão disponíveis para toda a Bacia do Paraná. Os dados de magnetomeria cobrem parte da bacia, mas parte significativa. Em qualquer caso, dados geofísicos de campo potencial são adequados para modelagens estruturais. Soma-se o fato de que, a confrontação dos modelos estruturais de ambos os métodos geofísicos permite uma redução significativa da ambiguidade dos modelos gerados individualmente. A análise estrutural em área mais abrangente da Bacia do Paraná, predominantemente no intervalo Jurássico-Cretácico, permitiu distinguir 2 fases deformacionais e as estruturas de caráter local (local stress/strain) e regional (remote stress/strain) presentes nesse intervalo estratigráfico (Strieder et al., in press). Nesse sentido, Strieder et al. (in press) definiram que o campo tensional regional (remoto) para o intervalo Jurássico-Cretácico da Bacia do Paraná era constriccional bi-direcional (S1S2>>S3), formando, como resultado, uma série de estruturas tipo domos-e-bacias de grande escala. De outro modo, as estruturas deformacionais frágeis presentes nas rochas vulcânicas da Fm Serra Geral são o resultado de esforços de caráter local, que ocorrem distintamente na parte externa e interna das dobras regionais. A modelagem 3D das estruturas deformacionais e do processo de compactação da Bacia do Paraná constitui um dos elementos mais importantes para a avaliação e simulação do fluxo de fluidos diagenéticos que podem estar relacionados com armadilhas de óleo e gás. Além disso, constitui um importantíssimo elemento para o entendimento dos fluxos atuais de fluidos em importantes formações rochosas da Bacia do Paraná (p.ex.: aquífero Guarani), ou na exploração de depósitos não-convencionais de hidrocarbonetos.

Objetivo Geral

O objetivo de trabalho é a modelagem de dados geofísicos para fins de modelagem geofísico-estrutural na Bacia do Paraná, com enfoque principal nas estruturas deformacionais e no processo de compactação-diagênese.

Os dados geofísicos disponíveis compreendem basicamente dados de campo potencial (gravimetria e magnetometria). Os dados de gravimetria estão disponíveis para toda a Bacia do Paraná. Os dados de magnetomeria cobrem parte da bacia, mas parte significativa. Em qualquer caso, dados geofísicos de campo potencial são adequados para modelagens estruturais. Soma-se o fato de que, a confrontação dos modelos estruturais de ambos os métodos geofísicos permite uma redução significativa da ambiguidade dos modelos gerados individualmente.

Os dados geofísicos também incluem uma série de linhas sísmicas executadas na Bacia do Paraná pela PETROBRAS e pela PAULIPETRO. Esses dados de seções sísmicas de reflexão devem ser aliados aos dados de perfilagem geofísica de poços perfurados na bacia. Tais dados serão processados em ferramentas computacionais mais modernas de forma a permitir uma melhor definição das estruturas geológicas deposicionais e deformacionais presentes na Bacia do Paraná. A modelagem geofísico-estrutural da Bacia do Paraná, portanto, poderá ser fortemente melhorada pela sinergia entre os resultados de 3 diferentes tipos de levantamentos geofísicos.

Os dados geofísicos de campo potencial, de linhas/seções sísmicas e de poços perfilados, no entanto, são dados esparsos (espaçamento amostral muito largo). Em função desse espaçamento amostral, é necessária a utilização de técnicas estocásticas de interpolação e mesmo simulação de dados para a geração de uma malha de menor espaçamento para os pontos a serem utilizados no processo de modelagem 3D das estruturas deformacionais da Bacia do Paraná.
A modelagem 3D das estruturas deformacionais e do processo de compactação da Bacia do Paraná constitui um dos elementos mais importantes para a avaliação e simulação do fluxo de fluidos diagenéticos que podem estar relacionados com armadilhas de óleo e gás. Além disso, constitui um importantíssimo elemento para o entendimento dos fluxos atuais de fluidos em importantes formações rochosas da Bacia do Paraná (p.ex.: aquífero Guarani), ou na exploração de depósitos não-convencionais de hidrocarbonetos (p.ex.: Formação Irati).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JESIAN ANDRIÉL GOLIN215/09/201414/09/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 28.000,00

Página gerada em 18/04/2019 18:10:41 (consulta levou 0.076148s)