Nome do Projeto
A crise psíquica no discurso político da Atenção Psicossocial: um acontecimento de saber, poder e cuidado de si
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
07/10/2014 - 20/12/2015
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Enfermagem
Resumo
A Atenção Psicossocial é um campo que pretende congregar todo o conjunto das práticas substitutivas ao Modo Asilar, e assim vem definindo e configurando uma série de transformações no campo da atenção em saúde mental no Brasil e neste contexto de mudanças paradigmáticas, é essencial discutir o tema da crise psíquica enquanto momento agudo da loucura, pois considera-se a atenção à crise como um dos aspectos mais difíceis e estratégicos no processo de reforma psiquiátrica. Esta pesquisa partirá do entendimento de crise psíquica em saúde mental como um momento de sofrimento intenso que produz uma desestruturação na vida psíquica, familiar e social do sujeito e que envolve a capacidade subjetiva do sujeito em responder as situações desencadeantes. Este entendimento de crise psíquica e a organização do modelo da Atenção Psicossocial a partir do movimento de reforma psiquiátrica constituem-se como condições de emergência para a irrupção de uma discursividade sobre crise que produz efeitos de saber/poder. além disto, a compreensão da crise psíquica para além dos aspectos puramente biológicos, considerando-a como um processo histórico-cultural, nos faz perceber que a maneira como estes processos nos afetam está relacionada às formas como determinadas discursividades nos subjetivam. Trata-se de uma pesquisa documental situada no campo do pós-estruturalismo, na qual pretende-se fazer uma Análise de Discurso de inspiração foucaultiana. A Coleta de dados será feita a partir de uma leitura interessada da legislação brasileira. O corpus será assim constituído por Leis, Portarias e Decretos que versam sobre saúde mental e que foram publicadas a partir de 2001. Estes textos serão tratados como dispositivos políticos que produzem subjetividades e discursos entendidos como “verdadeiros” na assistência ao sujeito em crise. Na análise dos dados serão utilizadas as ferramentas conceituais de saber, poder e cuidado de si propostas por Michel Foucault, buscando compreender os fenômenos e as regras que governam a produção dos discursos sobre a loucura e a crise psíquica, mostrando os diferentes significados que estão atrelados na produção dos sujeitos ditos loucos.

Objetivo Geral

Problematizar os enunciados de atenção à crise veiculados na legislação brasileira.
1) Analisar as estruturas que subjazem a constituição do discurso político acerca da crise psíquica, ou seja, a singularidade dos enunciados, os mecanismos coercitivos que pesam sobre quem fala, a irrupção de saberes e o exercício do poder que possibilitam;
2) Analisar os efeitos do discurso politico da crise psíquica, ou seja, as práticas de cuidado de si (a estética da existência) que este discurso está produzindo e os tipos de individualidade e coletividade permitidas numa época e lugar.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE RAMSON BAHR PINTO1201/10/201331/07/2015
LUCIANE PRADO KANTORSKI207/10/201407/10/2014

Página gerada em 30/11/2020 21:14:56 (consulta levou 0.081676s)