Nome do Projeto
Inteligibilidade de fala no contexto de inglês como língua internacional
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/10/2014 - 01/10/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Linguística - Linguística Aplicada
Resumo
Com o crescimento do uso da língua inglesa como meio de comunicação internacional, as necessidades e objetivos dos aprendizes de inglês, no que diz respeito à pronúncia, deixaram de estar relacionados à aquisição de um falar próximo ao de um nativo. Hoje, o aprendiz de inglês busca ser capaz de se comunicar com uma pronúncia confortavelmente compreensível, seja em interações com um falante nativo, seja com outro falante estrangeiro do idioma. Sabendo que falhas na comunicação poderão ocorrer em qualquer língua e em diferentes níveis de proficiência, cabe ao professor compreendê-las e ajudar o aluno a minimizá-las. Na presente pesquisa, a investigação da inteligibilidade de fala de aprendizes brasileiros de inglês para quatro diferentes grupos de ouvintes – nativos e não nativos, com e sem contato com o português – busca a validação e/ou ampliação dos modelos fonológicos propostos por Jenkins (1998) e Cruz (2004, 2006, 2008). Acredita-se que as características que fazem ou não parte dos modelos precisam ser validadas praticamente por par a par de línguas maternas envolvidas nas interações em inglês. Com base nesse novo modelo, espera-se contribuir para o ensino da pronúncia do inglês no Brasil. Os conteúdos programáticos a serem priorizados no ensino poderão ser identificados, permitindo que o professor concentre sua prática em aspectos que, de fato, afetam a inteligibilidade de fala de aprendizes brasileiros. As implicações pedagógicas dos resultados obtidos serão discutidas em uma segunda fase do projeto.

Objetivo Geral

O objetivo geral desta pesquisa é analisar que aspectos da pronúncia do inglês brasileiro são mais importantes para se atingir uma pronúncia confortavelmente inteligível no contexto de inglês como língua internacional.

Especificamente, pretende-se:

• Investigar a inteligibilidade de fala de aprendizes brasileiros de inglês através de experimentos de percepção cujos ouvintes são falantes nativos de inglês familiarizados com o português;

• Investigar a inteligibilidade de fala de aprendizes brasileiros de inglês através de experimentos de percepção cujos ouvintes são falantes nativos de inglês e não familiarizados com o português;

• Investigar a inteligibilidade de fala de aprendizes brasileiros de inglês através de experimentos de percepção cujos ouvintes são falantes não nativos de inglês, mas familiarizados com o português;

• Investigar a inteligibilidade de fala de aprendizes brasileiros de inglês através de experimentos de percepção cujos ouvintes são falantes não nativos de inglês e não familiarizados com o português;

• Apontar quais são os desvios de pronúncia que mais afetam a qualidade da comunicação entre cada um dos grupos de interlocutores listados acima;

• Verificar se os aspectos de pronúncia que causaram maiores problemas de compreensão para os grupos de interlocutores listados acima estão incluídos nos modelos propostos por Jenkins (1998) e Cruz (2006, 2008);

• Complementar o modelo de inteligibilidade fonológica de aprendizes brasileiros de inglês, proposto Cruz (2006, 2008), considerando o contexto de inglês como língua internacional.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANNA JÚLIA KARINI MARTINS401/10/201401/10/2015
ARTHUR GARCIA NOGUEIRA401/10/201401/10/2015
MICHAEL DOUGLAS BILHALVA MACIEL401/10/201401/10/2015

Página gerada em 18/09/2019 04:51:30 (consulta levou 0.063646s)