Nome do Projeto
FORMAS DE SER CUIDADOR EM PROGRAMAS DE ATENÇÃO DOMICILIAR: PRÁTICAS QUE FALAM DE SI
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
08/10/2014 - 31/12/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Enfermagem
Resumo
Problematizar os modos de ser cuidador familiar em programas de atenção domiciliar. Este estudo de inspiração foucaultiana se insere na vertente pós-estruturalista. Tal vertente propõe desnaturalizar, colocar em suspensão verdades, pois essas fazem parte de um regime de verdades. O cenário da pesquisa será a casa onde o cuidador familiar realiza o cuidado ao paciente terminal ou com condições crônicas que é vinculado aos programas Melhor em Casa ou PIDI do município de Pelotas, RS, Brasil. Serão participantes da pesquisa cuidadores familiares de pacientes terminais ou portadores de condições crônicas vinculados ao Programa Melhor em Casa e Programa de Internação Domiciliar Interdisciplinar (PIDI), do município de Pelotas. A coleta de dados será por meio de entrevistas narrativas e observação, e ocorrerá entre os meses de março à julho de 2015. Os participantes serão entrevistados em três encontros, que serão realizados semanalmente, no domicílio em que o mesmo realiza o cuidado. Na semana de início de coleta de dados serão elaboradas duas listas com a relação dos possíveis cuidadores familiares de cada programa de AD, por meio de sorteio. O contato para convidar o participante para a pesquisa será por telefone. O primeiro encontro ocorrerá com a entrevista narrativa e a observação das relações do cuidador com o paciente, com o entrevistador, bem como expressões, práticas e gestos utilizados durante a entrevista. Tais observações serão registradas no diário de campo. O segundo encontro contará com um disparador para a entrevista narrativa e observações a serem realizadas. Esse disparador consiste em um vídeo elaborado pela equipe de pesquisa, que contém questões referentes ao cotidiano do cuidador. No terceiro encontro, a entrevista narrativa contemplará como eixo norteador o preparo do cuidador, uma vez que o mesmo já se relacionou com a equipe de atenção domiciliar em pelo menos três semanas. Os dados serão organizados pelo software Etnograph por aproximações e afastamentos de tecnologias de si e, para a análise desses dados serão utilizadas algumas ferramentas foucaultianas, tais como governamento e subjetivação.

Objetivo Geral

Geral: Problematizar os modos de ser cuidador familiar em programas de atenção domiciliar. Específicos: Capturar nas falas dos cuidadores as práticas de si que os constituem como sujeitos cuidadores;
Analisar como as políticas de atenção domiciliar, como parte integrante da rede discursiva da saúde, produzem sentidos para a própria experiência como cuidador familiar;
Conhecer quais enunciados circulam nos discursos que atravessam os cuidadores familiares;
Entender como o sujeito cuidador se constitui nas relações de poder e saber, e nas relações consigo mesmo e com os outros.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE DAIANE LEAL DE OLIVEIRA208/10/201431/12/2015
CAMILA SAFRANSKI MARTINS208/10/201431/12/2015
FERNANDA SANTANA TRISTAO208/10/201431/12/2015
ISABEL CRISTINA DE OLIVEIRA ARRIEIRA208/10/201431/12/2015
ISABEL CRISTINA DE OLIVEIRA ARRIEIRA208/10/201431/12/2015
JOSÉ RICARDO GUIMARÃES DOS SANTOS JUNIOR208/10/201431/12/2015
JULIETA MARIA CARRICONDE FRIPP208/10/201431/12/2015
JULIETA MARIA CARRICONDE FRIPP208/10/201431/12/2015
KIMBERLY LARROQUE VELLEDA208/10/201431/12/2015
KIMBERLY LARROQUE VELLEDA1201/11/201431/07/2015
MARCELLE DI ANGELIS AMBAR FELIPE208/10/201431/12/2015
RAQUEL POTTER GARCIA208/10/201431/12/2015
ROSANI MANFRIN MUNIZ208/10/201431/12/2015
SILVIA FRANCINE SARTOR208/10/201431/12/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 57.555,20

Página gerada em 11/12/2018 13:54:11 (consulta levou 0.077922s)