Nome do Projeto
Metalogenia e Aspectos Geoquímicos na Província Magmática do Paraná
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
22/04/2015 - 31/08/2018
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Metalogenia
Resumo
Metalogenia e Aspectos Geoquímicos na Província Magmática do Paraná. A Grande Província Vulcânica Paraná-Etendeka, consiste predominantemente de rochas basálticas, com rochas riodacíticas a dacíticas subordinadas. Este evento data de início do Cretáceo, em 135 Ma (p.ex. Pinto et al. 2011; Janasi et al., 2011), esta correlacionado com a separação de parte do continente Gondwana, mais especificamente da América do Sul e África e consequente abertura do Oceano Atlântico Sul (Bellieni et al., 1984). As rochas vulcânicas foram compartimentadas no Brasil com base em dados geoquímicos em quatro subtipos basálticos: Pitanga (Alto-Ti), Paranapanema (médio-Ti), Gramado e Esmeralda (baixo-Ti); e dois subtipos félsicos: Palmas (baixo-Ti) e Chapecó (alto-Ti). Além dos derrames vulcânicos, a Província Magmática Paraná (PMP), apresenta intrusões de rochas alcalinas, básicas e ultrabásicas associadas. No contexto metalogenético, as rochas básicas e ultrabásicas da PMP apresentam grande potencial de mineralizações de cobre, níquel, elementos do grupo da platina. Inclusive, o coordenador deste Projeto, trabalhou em seu doutorado na Metalogênese do Cobre Nativo associado aos derrames basálticos da PMP na região de Iraí e Frederico Westphalen, Rio Grande do Sul. Trabalhos executados pelo Serviço Geológico do Brasil (Romanini & Albuquerque, 2000), além de Viero (1992) e Mincato (2000), apontam para o potencial de Depósitos de Ni-Cu-EGP do magmatismo da PMP. Neste contexto, este Projeto objetiva estudar fatores geológicos, com ênfase em geoquímica e metalogênese dos derrames e intrusões associadas ao magmatismo Paraná, também denominado de Formação Serra Geral. Esse magmatismo apresenta similaridade com os da plataforma Siberiana e seus horizontes mineralizados de Norilsk e Talnakh, Rússia, assim como de Insizwa, Província de Karoo, África do Sul. Os primeiros são expressivos produtores de Ni e Cu e detêm cerca de 6% e 46% da produção mundial de Pt e Pd, respectivamente. Também ressaltamos a parceria da CPRM-Porto Alegre, que disponibiliza os testemunhos de sondagem da região de Gravataí e Morungava, onde ocorrem intrusões ricas em sulfetos de níquel e cobre. Estes testemunhos podem ser utilizados neste Projeto para fins de estudos geoquímicos, metalogenéticos, de análises em microssonda eletrônica e de geologia isotópica.

Objetivo Geral

Objetivos Os objetivos consistem no estudo integrado de associações de rochas básicas e ultrabásicas do
Grupo Serra Geral, distribuídas em locais selecionados da Província Magmática do Paraná, no Rio Grande do
Sul, com vistas à metalogenia de Ni, Cu, elementos do grupo da Pt (EGP) e outros metais associados, além
da ocorrência de óxidos de Fe e Ti com V associado. A evolução geológica das associações de rochas será
estudada através de mapeamento geológico, coleta de amostras e seu estudo em laboratório com técnicas
convencionais e outras avançadas. Rochas associadas serão estudadas para o entendimento integrado das
associações de rochas. O objetivo é a caracterização de estruturas, rochas e minerais (incluindo minérios)
no tocante à sua composição química e isotópica, com vistas à evolução crustal e metalogenética da PMP.
Metas As metas incluem atividades tecnológicas de caracterização das associações de rochas, atividades
científicas de interpretação e publicação dos resultados e a formação de recursos humanos. 1.
Levantamento geológico de rochas magmáticas (e minérios) em derrames, soleiras e diques, assim como
complexos estratiformes da Província Magmática Paraná (PMP). 2. Coleta de amostras de rochas e minérios
nas associações de rochas básicas e ultrabásicas da PMP. 3. Análises petrográficas. 3. Preparo de amostras
para análises químicas em rocha total e minerais do projeto. 4. Análises químicas em rocha total e minerais
do projeto. 5. Análises em microssonda eletrônica de minérios (sulfetos e óxidos) e silicatos associados a
paragênese da zona mineralizada. 6. Determinações isotópicas, como, por exemplo, razões Sm/Nd, Sr/Sr, e
possíveis datações em minerais ricos em Zr.
As análises serão realizadas em rochas gabróicas e basálticas dos sítios mais favoráveis a mineralização de
Ni, Cu e platinóides da PMP, assim como em zonas de contato com a encaixante, especialmente em áreas de
interface sedimento/lava/intrusão, brechadas ou não. A relação de contato será avaliada especialmente
para determinar as relações de contaminação e assimilação química de material da encaixante e possível
consequência na deposição de minério. 7. Interpretação integrada dos dados obtidos em rochas básicas e
ultrabásicas e sua publicação em revistas científicas internacionais, nacionais e livros. 8. Formação de
Recursos Humanos, especialmente com orientação de bolsas de iniciação científica e Trabalhos de
Conclusão de Curso na UFPel.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA CAMILA SCHNEIDER1022/04/201531/08/2018
DANIEL XIE WANG2013/07/201631/12/2017
FLÁVIO GOULART BOM1225/05/201731/08/2018
GÉSSICA LUZA PALUDO522/04/201531/08/2018
GÉSSICA LUZA PALUDO1201/08/201531/07/2016
KELSILENE FERNANDA XAVIER825/05/201731/08/2018
LUIZ HENRIQUE RONCHI225/05/201731/08/2018
TAINARA GODOY DE SOUZA425/05/201731/08/2018
THAIS CAROLINE MACKEY803/08/201531/08/2016

Página gerada em 23/10/2019 15:16:40 (consulta levou 0.079072s)