Nome do Projeto
PETROLOGIA E GEOQUÍMICA DOS GRANITÓIDES DA REGIÃO DE PELOTAS, RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
06/05/2015 - 12/10/2018
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geoquímica
Resumo
A região de Pelotas e arredores são dominados por rochas graníticas do batólito de Pelotas e sedimentares da Planície costeira. O enfoque deste Projeto é o estudo das rochas granitoides e ígneas associadas, pertencentes ao Batólito de Pelotas, porção leste do Escudo Sul-rio-grandense. A continuidade desta unidade geotectônica é observada ao norte, em Santa Catarina, e ao sul, no Uruguai e é pertencente à província Mantiqueira, da Plataforma Sul brasileira (Almeida et al. 1980?). O batólito de Pelotas (BP) é constituído dominantemente por rochas granitoides, separadas em diversas suítes, denominadas Pinheiro Machado, Dom Feliciano, Encruzilhada do Sul, Cordilheira, Quitéria, Encruzilhada do Sul, Seival, Arroio Grande, Capão do Leão, Viamão, Piquiri entre outros corpos graníticos, além de rochas gabróicas e dioríticas, todas de idade entre 650 e 550 Ma. Ocorrem ainda septos do embasamento Paleoproterozóico, de cerca de 2 bilhões de anos, constituídos por orto e paragnaisses originados dos gnaisses Encantadas. O volume mais significativo do magmatismo do BP está relacionado à evolução das zonas de cisalhamento transcorrentes que afetam o batólito. Composicionalmente verifica-se uma evolução deste magmatismo de cálcio-alcalino alto-K e produtos de fusão crustal para um magmatismo tardio relacionado à série alcalina supersaturada em sílica (Philipp et al. 2000). Neste contexto propomos contribuir com o melhor entendimento da evolução do BP através do estudo de áreas chaves, em especial nas proximidades do município de Pelotas, com professores e alunos do curso de Engenharia Geológica, com apoio do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e colaboração de professores do curso de Geologia da UFRGS. Enfatizamos que já está em curso o mapeamento de áreas próximas a Pelotas, municípios de Monte Bonito e Morro Redondo, na disciplina de Mapeamento Geológico do curso de Engenharia Geológica da UFPEL em parceria com a CPRM. Outro ponto importante é o enfoque sobre os Recursos Minerais da região trabalhada. Com o apoio da CPRM, analisaremos as áreas mapeadas com viés econômico, tanto dos recursos metálicos como ouro e cobre presentes em rochas graníticas, como não metálico, como areia, brita e do setor de rochas ornamentais. Ressalta-se que a região de Monte Bonito, por exemplo, possui várias pedreiras usadas no setor da construção civil, mas com potencial para rochas ornamentais.

Objetivo Geral

Os objetivos deste projeto de pesquisa é a caracterização geoquímica e petrogenética dos granitoides e demais rochas ígneas e metamórficas associadas ao Batólito de Pelotas da região de Pelotas e entorno, além da sistematização dos mapeamentos geológicos e recursos minerais. Com isso além de contribuir com o melhor entendimento do contexto geológico da região, objetiva-se o avanço das pesquisas com divulgação em eventos científicos e produção bibliográfica em revistas científicas indexadas. Outro ponto importante é o desenvolvimento do aprendizado de estudantes na área de pesquisa científica e prática do curso de Engenharia Geológica da UFPEL.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA CAMILA SCHNEIDER206/05/201512/10/2018
CECILE CHRISTINE VAN DER KALLEN206/05/201512/10/2018
DANIEL XIE WANG1201/08/201628/02/2017
DANIEL XIE WANG806/12/201512/07/2016
GÉSSICA LUZA PALUDO206/05/201512/10/2018
HENRIQUE PEREIRA BORGES406/12/201512/10/2017
JOÃO LUCAS ZARDO BONALDO206/05/201512/10/2018
JOÃO LUCAS ZARDO BONALDO1201/03/201731/07/2017
LUIZ HENRIQUE RONCHI410/04/201712/10/2018
MARCELO ARRACHE ALVES413/07/201631/12/2017
MAURICIO HUMBERTO CHERUBIN206/05/201512/10/2018

Página gerada em 23/10/2019 15:23:48 (consulta levou 0.081829s)