Nome do Projeto
Análise do perfil ortodôntico clínico de pacientes com traumatismo em dentes permanentes
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
28/09/2015 - 30/12/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-Maxilo-Facial
Resumo
O traumatismo dentário pode ser definido como uma agressão térmica, química ou mecânica sofrida pelo dente e estruturas adjacentes, cuja magnitude supera a resistência encontrada nos tecidos ósseos dentários, sendo que a sua extensão tem relação direta com a intensidade, tipo e duração do impacto. Ele pode causar desde injúrias leves, como uma concussão, até a perda do dente (MOTA et. al. 2011), e podem criar sérios danos estéticos, psicológicos e sociais. Tem alta prevalência, principalmente entre crianças e adolescentes, e atualmente é um dos mais sérios problemas dentais de saúde pública. Variáveis como sexo, idade, fator econômico e problemas comportamentais podem influenciar a frequência de traumatismo dentário (CHEN DR. et. al., 2011). Porém, também se vê uma potencial correlação entre selamento labial inadequado, overjet acentuado e relação de molares classe II divisão 1 com uma maior ocorrência de trauma dental. Objetiva-se com este trabalho, observar, se fatores de risco inerentes ao indivíduo, como a presença de má-oclusão, overjet e overbite acentuado, selamento labial inadequado e hábitos parafuncionais, podem ou não elevar a maior probabilidade de acometimento de traumatismo dentário. Várias pesquisas já foram feitas relacionando traumatismo com selamento labial e overjet (BAUSS, et. al. 2008; FARAHANI e FARAHANI, 2011; ARTUN, et. al. 2005; SCHATZ, et. al. 2013; GUPTA, et. al. 2011), porém nenhuma delas levou em consideração os outros fatores citados.

Objetivo Geral

O presente estudo tem como objetivo avaliar clinicamente a frequência de fatores predisponentes ao traumatismo alveolodentário em dentes permanentes nos pacientes atendidos no CETAT e na Traumatologia.
São objetivos específicos do presente projeto pesquisa os que seguem:
(i) Descrever as características epidemiológicas dos TAD;
(ii) Descrever o perfil ortodôntico clínico da amostra avaliada;
(iii) Descrever os hábitos parafuncionais da amostra avaliada;
(iv) Se possível, estabelecer relação entre as variáveis estudadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINA CLASEN VIEIRA228/09/201530/12/2017
GISELLE DAER DE FARIA228/09/201530/12/2017
GISELLE DAER DE FARIA228/09/201530/12/2017
LARISSA FERREIRA BARBOSA228/09/201530/12/2017
LETICIA KIRST POST128/09/201530/12/2017

Página gerada em 14/11/2019 11:55:47 (consulta levou 0.070778s)