Nome do Projeto
Materialidade e efemeridade nas obras de arte: séculos XX e XXI
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
25/11/2015 - 25/11/2016
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Artes - Educação Artística
Resumo
Em 1917, o dadaísta francês Marcel Duchamp apropriou-se de um mictório público, inverteu a sua posição, assinou a obra/apropriação resignificada que intitulou como “Fonte”, e a enviou para uma exposição nos EUA. Também denominada como anti-arte ou de arte subversiva, a estética dadá buscava anarquizar com o sistema das artes desenvolvido até então. O grupo de artistas vinculados à nova vertente estética propunha incendiar os museus e as bibliotecas e destruir os acervos encontrados. Segundo os componentes do dadaísmo, cultura e arte não valiam de nada à humanidade, pois o homem ainda praticava o horror da guerra. Com esse gesto, Duchamp inventou o conceito de object trouvé, transposto para a língua inglesa como ready made e traduzido para o português como “objeto encontrado pronto”. Marcel Duchamp deu início à apropriação de artefatos banais, encontrados ao acaso, que passaram a ser incorporados ao repertório das artes. Como exemplifica o mictório, que ascendeu à condição de obra artística. A partir da década de 1960, muitas vanguardas e artistas da pós-modernidade se apropriaram de objetos comuns, excluíram os museus como espaços tradicionais de exposição e empregaram matérias efêmeras para a confecção das obras, ignorando ou negando a permanência de suas criações. A investigação proposta, por meio de pesquisa bibliográfica buscará inventariar as correntes estéticas e obras pós-modernas que apresentam tendências à efemeridade. Por meio de pesquisa de campo serão visitados museus e espaços de cultura e entrevistados museólogos e criadores sobre as questões que permeiam a salvaguarda dos acervos desses locais de exposição no Brasil. Espera-se que os resultados alcançados no trabalho respondam a uma interrogação inicial do projeto sobre a produção contemporânea brasileira: “O que é visto e o que foi previsto pelos artistas?”

Objetivo Geral

Identificar os materiais empregados na produção artística contemporânea europeia e brasileira entre os anos de 1960 e 2015.
Registrar a fragilidade dos materiais utilizados na arte do período.
Avaliar as posturas dos artistas quanto ao emprego de matérias efêmeras para as suas criações.
Conhecer as medidas para a exposição e para a conservação de obras com peculiaridades frágeis em alguns espaços expositivos brasileiros.
Verificar deteriorações dos aspectos físicos das obras nos museus e espaços culturais visitados.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
GABRIELA ZILLI225/11/201525/11/2016

Página gerada em 22/09/2020 14:56:11 (consulta levou 0.064756s)