Nome do Projeto
MAPEAMENTO E MODELAGEM 4D DA DISTRIBUIÇÃO DE RESÍDUOS DE MINERAÇÃO CAUSADOS PELO ROMPIMENTO DA BARRAGEM DE REJEITOS NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO ARROIO JOÃO DIAS, MINAS DO CAMAQUÃ, RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2016 - 31/07/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia Ambiental
Resumo
A mineração de minerais metálicos, principalmente o cobre e o ouro, começaram nas Minas do Camaquã no final do século XIX. Os pioneiros foram mineradores belgas e ingleses que mineraram até os anos de 1910. Após está primeira etapa de extração, empreendimentos se desenvolveram subsequente até os anos de 1970.. No ano de 1975, começa uma nova etapa de cubagem e avaliação das jazidas de Minas do Camaquã, sendo traçado pelo governo federal o Projeto Expansão Camaquã –PEC. Neste projeto foram investidos recursos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES para tornar as Minas do Camaquã de propriedade da Companhia Brasileira do Cobre (CBC), a segunda maior mina de cobre do Brasil. O PEC começou a ser implementado em 1980 e a extração reiniciou em 1981, depois de quase dez anos parada. Em novembro de 1984 houve o rompimento da barragem de rejeitos. Relatório da aponta as possíveis causas atreladas a intensas pluviosidades na bacia de contribuição, agravadas pela retificação do canal do arroio João Dias. Essa conjuntura levou ao extravasamento do vertedouro e, concomitantemente, a erosão hídrica colaborou com o rompimento da taipa de barramento. Esse evento transportou para a calha do arroio João Dias cerca de 60% dos rejeitos depositados até então na barragem. Na busca de soluções de baixo custo, neste projeto almeja-se construir e calibrar um modelo de simulação de rompimento de barragens em Realidade Aumentada de 4 Dimensões e uma ferramenta rápida de geração de produtos de alerta, como mapas de áreas de risco e evacuação baseados em cubagem de volumes ejetados em eventos de rompimento de barragem. Esses produtos são importantes, pois eventos de rompimento de barragens não são raros e impactam diretamente a natureza e a comunidades a jusante destas.Para o desenvolvimento da pesquisa, primeiramente será delimitada a área onde serão coletados os dados de campo e estes simulados em 4D. A área de interesse é o curso médio inferior do arroio João Dias, onde estão depositados a maior parte dos rejeitos provenientes do rompimento da barragem em 1984. Será utilizado sensor de movimento de baixo custo (Kinect)e os parâmetros de movimento e transporte de sedimentos serão simulados a partir da equação de Saint-Venant. As simulações serão realizadas em uma caixa de areia de realidade virtual, visto a facilidade de adaptar a ferramenta para diferentes tipos de ambientes.

Objetivo Geral

O objetivo genérico do projeto é mapear e modelar em quatro dimensões a distribuição dos rejeitos de mineração depositados por processo de rompimento de barragem, no curso médio e inferior do arroio João Dias, na localidade de Minas do Camaquã, Caçapava do Sul/RS.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANO LUIS HECK SIMON201/05/201631/07/2019
ANGÉLICA CIROLINI201/05/201631/07/2019
EDUARDO DA SILVA VALENTI201/05/201631/07/2019
GABRIEL SCHIEFFERDECKER ROCHA201/05/201631/07/2019
GUILHERME SCHIEFFERDECKER ROCHA201/05/201631/07/2019
LETIANE BORGES PEREIRA201/05/201631/07/2019
LUCAS TEIXEIRA STAFFORD201/05/201631/07/2019
LUIS EDUARDO SILVEIRA DA MOTA NOVAES201/05/201631/07/2019
NATHALIA KELCY BATISTA DE FARIAS201/05/201631/07/2019
RAONI BRAGA AZEREDO201/05/201631/07/2019
RICARDO GIUMELLI MARQUEZAN201/05/201631/07/2019
TAIANE DUARTE MORAES201/05/201631/07/2019

Página gerada em 19/07/2019 16:17:17 (consulta levou 0.068516s)