Nome do Projeto
Controle da qualidade de sementes: cinzas de casca de arroz como inseticida alternativo ao uso de terra de diatomácea
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/05/2016 - 31/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Produção e Beneficiamento de Sementes
Resumo
O uso de técnicas alternativas, para o controle das pragas, no lugar da metodologia convencional é crescente. Busca-se um produto biológico, livre de resíduos químicos, menos tóxico ao ambiente e ao homem (LIMA, 2002). O cuidado de cada participante dessa cadeia de alimentos deve ser constante, a fim de evitar prejuízos à saúde humana. Desde a semente até o grão, preocupação com o uso de métodos menos agressivos ao meio ambiente e a seres humanos é necessária. Frente à importância do controle desses insetos durante o período de armazenamento de sementes e grãos de milho, trigo, e arroz, faz-se necessária a utilização de métodos eficientes de controle, levando em consideração: a qualidade das sementes, a segurança dos aplicadores, o custo de aplicação, além da possibilidade de se evitar resistência de insetos. Segundo DETHIER et al. (1960), vários são os fatores que selecionam para a resistência, sendo os tratamentos químicos reconhecidamente aqueles que exercem a maior pressão seletiva, especialmente quando usados inadequadamente. Já os pós-inertes demonstram menor pressão seletiva, havendo assim menos chances de ocorrer resistência (LIMA, 2002). Assim, o uso de terra de diatomácea tornou-se uma alternativa de inseticida comercial, por se tratar de um pó-inerte que age sobre os insetos-praga de forma diferenciada. Por conter partículas microscópicas, ricas em dióxido de silício, de formatos diversos, age sobre os insetos causando abrasão de seu exoesqueleto e posterior desidratação dos mesmos (KORUNÍC, 2013). No entanto, apesar de ser pouco tóxica para o homem, a terra de diatomácea possui impactos indesejáveis. Esse material é oriundo da purificação de sedimentos extraídos de rochas, presentes no Brasil, Estados Unidos e diversos outros países. Apesar da sua alta eficiência, a industrialização da terra de diatomácea causa impactos ambientais, pois toda extração e purificação de minério em larga escala geram poluentes, sólidos e até líquidos, além da modificação geográfica da região de extração. Na tentativa de substituição do uso de terra de diatomácea, de origem sedimentar, por um produto de origem renovável, CORRÊA (2015) testou a aplicação de casca de arroz carbonizada em sementes de trigo, para o controle de Sitophilus zeamais. A casca de arroz carbonizada é um material orgânico com alta concentração de silício, podendo agir da mesma forma que a terra de diatomácea sobre o exoesqueleto dos insetos. Os resultados obtidos nessa pesquisa mostraram que a

Objetivo Geral

- Obter diversos tipos de cinzas de casca de arroz, através de diferentes tempos de queima em alta temperatura;
- Analisar as características físico-químicas das cinzas de casca de arroz, comparando com terra de diatomácea;
- Avaliar a eficiência das cinzas de casca de arroz e de terra de diatomácea no controle de Sitophilus zeamais em sementes de milho, arroz e trigo, em laboratório;
- Avaliar a qualidade de sementes de milho, arroz e trigo tratadas com cinzas de casca de arroz e terra de diatomácea, armazenadas em sacos permeáveis depositados em galpão de uma propriedade agrícola;
- Avaliar a eficiência das cinzas de casca de arroz e de terra de diatomácea no controle de diversas espécies de insetos pragas em sementes de milho, arroz e trigo, armazenadas em sacos permeáveis depositados em galpão de uma propriedade agrícola.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉIA DA SILVA ALMEIDA110/05/201631/12/2018
ANDRÉIA DA SILVA ALMEIDA110/05/201631/12/2018
ANITA DE FARIAS NUNES110/05/201631/12/2018
ANNA DOS SANTOS SUÑÉ110/05/201631/12/2018
BRUNA BARRETO DOS REIS ESTIMA110/05/201631/12/2018
DANIELE BRANDSTETTER RODRIGUES110/05/201631/12/2018
DOUGLAS BOLACEL BRAGA110/05/201631/12/2018
EWERTON GEWEHR110/05/201631/12/2018
FILIPE PEDRA MATTOS110/05/201631/12/2018
FRANCISCO AMARAL VILLELA110/05/201631/12/2018
GABRIEL BANDEIRA DUARTE110/05/201631/12/2018
GERI EDUARDO MENEGHELLO110/05/201631/12/2018
GUILHERME SILVEIRA ACOSTA110/05/201631/12/2018
GUSTAVO FONSECA RODRIGUES110/05/201631/12/2018
HENRIQUE LOPES CHAGAS110/05/201631/12/2018
OTÁVIO DE OLIVEIRA CORRÊA810/05/201631/12/2018
PATRÍCIA MIGLIORINI110/05/201631/12/2018
RODRIGO ROCHA RODRIGUES110/05/201631/12/2018
VANESSA NOGUEIRA DE OLIVEIRA110/05/201631/12/2018
VANESSA NOGUEIRA DE OLIVEIRA110/05/201631/12/2018

Página gerada em 19/09/2021 08:35:18 (consulta levou 0.040942s)