Nome do Projeto
Modelagem conceitual do hidrograma de escoamento superficial direto em bacias hidrográficas do sul do Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/08/2016 - 31/07/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias - Engenharia Sanitária - Recursos Hídricos
Resumo
A estimativa de vazões máximas e de hidrogramas de cheia é necessária para o dimensionamento de estruturas hídricas, no planejamento de bacias e na gestão de cheias, sendo indispensável para um desenvolvimento econômico e ambiental adequado. Entretanto, tem sido cada vez mais preocupante, no Brasil, a carência de informações provenientes de monitoramento hidrológico na escala de pequenas e médias bacias hidrográficas. Em função desta carência de informações, uma área que cresceu muito na Hidrologia nas últimas décadas foi a de desenvolvimento de modelos de simulação hidrológica, tendo estes inúmeras aplicações para o planejamento, aproveitamento e controle de recursos hídricos, especialmente em regiões que não contam com um bom monitoramento hidrológico. Todavia, estes modelos necessitam ser calibrados e validados antes de serem utilizados para o gerenciamento de recursos hídricos de uma dada região, o que obrigatoriamente exige a existência de monitoramento hidrológico e a avaliação de cada modelo que se pretende utilizar. Um grande problema na aplicação de modelos de simulação hidrológica no Brasil é que estes comumente foram desenvolvidos em outros países e acabam sendo aplicados no Brasil sem nenhum tipo de estudo prévio para comprovar se geram resultados satisfatórios e se são apropriados para a região de interesse, prejudicando enormemente o planejamento de bacias e a gestão de cheias. O objetivo principal deste projeto de mestrado é realizar a modelagem conceitual de hidrogramas de escoamento superficial direto, por meio de técnicas de Hidrograma Unitário (HU) e Hidrograma Unitário Instantâneo (HUI), tomando como base diferentes sub-bacias da bacia hidrográfica do Arroio Pelotas (Pelotas-RS), com área total drenagem de 910 km². O grupo de pesquisa no qual a mestranda está inserida implantou uma rede de monitoramento meteorológico e hidrológico na bacia hidrográfica do Arroio Pelotas e vem mantendo esta rede de monitoramento, tendo disponibilidade de dados de chuva, nível de água e vazão em intervalos de cinco minutos, desta forma estes dados possibilitarão a realização de toda a modelagem conceitual anteriormente mencionada. Pretende-se avaliar modelos simplificados de HU e HUI e também avaliar modelos mais complexos e realistas desenvolvidos em diferentes partes do mundo, a fim de indicar quais modelos são adequados para bacias hidrográficas da região de interesse e em que circunstâncias, indicando critérios técnicos para a aplicação dos mesmos.

Objetivo Geral

- Estabelecer uma rede de monitoramento contínuo e automatizado (em intervalos de tempo pré-estabelecidos) das variáveis hidrológicas nível d’água, vazão e precipitação na Bacia Hidrográfica do Arroio Pelotas (Rio Grande do Sul), de forma a constituir uma base de dados completa e permanente para ser utilizada tanto neste projeto como também para servir de base para futuros trabalhos na linha de gestão de recursos naturais na região sul do Rio Grande do Sul;
- Caracterizar os aspectos geomorfológicos, bem como analisar a relação destes aspectos com os hidrogramas de escoamento superficial direto provenientes de diferentes eventos de precipitação, nas bacias hidrográficas deste estudo;
- Avaliar modelos simplificados de hidrograma unitário (HU) e de hidrograma unitário instantâneo (HUI), assim como avaliar modelos mais complexos e realistas desenvolvidos em outros países, a fim de indicar quais modelos são adequados para bacias hidrográficas brasileiras e em que circunstâncias, indicando critérios técnicos para a aplicação dos mesmos;
- Modelar os parâmetros do hidrograma de escoamento superficial direto como, por exemplo, a vazão de pico, o tempo de pico e o tempo de base, em função das características geomorfológicas e pluviométricas observadas nas bacias hidrográficas estudadas;
- Desenvolver modelos de HU e de HUI apropriados para serem aplicados no Brasil na tentativa de reduzir a importação de modelos hidrológicos como estes desenvolvidos para regiões com características bastante diferentes.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE ALONZO STEINMETZ402/08/201631/07/2019
ARYANE ARAUJO RODRIGUES1201/08/201731/07/2018
ARYANE ARAUJO RODRIGUES1201/02/201731/07/2017
CRISTIAN LARRI PIRES VEBER402/08/201631/07/2019
EMERSON MACHADO BEHLING1201/01/201931/07/2019
FABRICIO DA SILVA TERRA202/08/201631/07/2019
FELÍCIO CASSALHO415/05/201731/07/2019
JOAO FRANCISCO CARLEXO HORN202/08/201631/07/2019
JÉSSICA FERNANDA OGASSAWARA415/05/201731/07/2019
LEONARDO DE LIMA CORRÊA1201/08/201428/02/2015
LESSANDRO COLL FARIA202/08/201631/07/2019
LUIS CARLOS TIMM202/08/201631/07/2019
MARCELLE MARTINS VARGAS1201/08/201831/12/2018
MAÍRA MARTIM DE MOURA402/08/201631/07/2019
NATHÁLIA SILVA CHITES1201/08/201331/07/2014
REGINALDO GALSKI BONCZYNSKI402/08/201631/07/2019
TAMARA LEITZKE CALDEIRA202/08/201631/07/2019
VIVIANE RODRIGUES DORNELES415/05/201731/07/2019
ZANDRA ALMEIDA DA CUNHA1201/03/201531/07/2017
ÉVERTON PINTO DA LUZ1201/08/201331/07/2014

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 94.540,64
CNPqR$ 29.974,90
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 24.960,00

Página gerada em 25/02/2020 17:31:33 (consulta levou 0.080383s)