Nome do Projeto
Efeito de iscas tóxicas utilizadas no controle da mosca-das-frutas sulamericana, Anastrepha fraterculus (Wiedemann, 1830) (Diptera: Tephritidae), sobre abelhas nativas na cultura da macieira
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2016 - 01/04/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Entomologia Agrícola
Resumo
Entre os principais métodos de controle empregados para a supressão da população de mosca-das-frutas está a utilização de iscas tóxicas. No entanto, existe uma preocupação crescente quanto ao efeito deletério destas aplicações sobre inimigos naturais e polinizadores principalmente abelhas nativas sem ferrão. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito de diferentes formulações de iscas tóxicas sobre as abelhas nativas Plebeia saiqui, P. emerina e Trigona spinipes (Hymenoptera: Apidae: Meliponini). O efeito dos inseticidas sobre operárias será avaliado via contato, ingestão e tópico para o estabelecimento da DL50. Os inseticidas quando associados aos atrativos: melaço de cana-de-açúcar, proteína hidrolisada, milhocina e Anamed® serão comparados com as iscas comerciais Success® e Gelsura®, além dos tratamentos controle que serão iscas sem inseticidas e solução aquosa de sacarose a 50%. Formulações de iscas tóxicas que apresentarem efeito deletério no laboratório serão avaliadas no campo (atração e/ou repelência) na área do meliponário experimental da Universidade Federal de Pelotas, Capão do Leão, RS. As formulações de iscas tóxicas serão aplicadas a distâncias pré-estabelecidas do meliponário. Com o auxílio de uma “seringa” graduada com capacidade de 5 mL, utilizando um volume de 0,4 mL da formulação, obtendo uma gota de aproximadamente 4 mm de diâmetro sobre placas de acrílico (3,5 cm de diâmetro). As formulações que forem atrativas e letais às operárias serão avaliadas em pomar comercial, determinando-se a mortalidade das colmeias após três meses de aplicação das iscas tóxicas. Com esse trabalho pretende-se conhecer a seletividade das principais formulações de iscas tóxicas sobre as abelhas nativas P. saiqui, P. emerina e T. spinipes.

Objetivo Geral

Objetivos

Geral

Avaliar o efeito de iscas tóxicas utilizadas no controle de moscas-das-frutas sulamericana (Anastrepha fraterculus) sobre operárias e colônias de Plebeia saiqui, P. emerina e Tigrona spinipes em laboratório e em condições de campo.

Específicos

Avaliar o efeito de iscas tóxicas em ingestão sobre operárias de P. saiqui, P. emerina e T. spinipes em laboratório;
Avaliar o efeito de iscas tóxicas sobre operárias de P. saiqui, P. emerina e T. spinipes após contato com os insetos em laboratório;
Avaliar o efeito de atração e/ou repelência de iscas tóxicas sobre operárias de abelhas P. saiqui, P. emerina e T. spinipes em condições de campo.
Avaliar a eficiência da polinização com P. saiqui, P. emerina e T. spinipes em áreas demarcadas com emprego de diferentes iscas tóxicas para o controle de A. fraterculus.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE COSTA PADILHA2001/04/201601/04/2020
FLÁVIO AMARAL BUENO1201/08/201831/12/2018
JOATAN MACHADO DA ROSA801/04/201601/04/2020
MATHEUS RAKES801/04/201601/04/2020
MAÍRA CHAGAS MORAIS601/04/201601/04/2020
MOISES JOAO ZOTTI401/04/201601/04/2020
PAULO ALBERTO DE AZEVEDO1201/01/201931/07/2019

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 12.000,00
EMBRAPAR$ 8.000,00

Página gerada em 25/01/2021 21:20:57 (consulta levou 0.087296s)