Nome do Projeto
Formigas-cortadeiras (Hymenoptera, Formicidae) associadas à cultura da videira no Estado do Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/10/2016 - 30/09/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Resumo
A presença de formigas-cortadeiras, em vinhedos da região Sul do País, tem sido um dos principais fatores limitantes ao desenvolvimento da cultura. O ataque de formigas é prejudicial em qualquer fase do ciclo, porém, o dano é maior na fase de formação da planta, quando paralisa seu crescimento. Apesar de informações sobre a ocorrência de várias espécies de formigas-cortadeiras no Estado do Rio Grande do Sul, poucas informações estão disponíveis sobre o manejo das principais espécies associadas à cultura da videira, além disso, mais de 95% do controle de formigas-cortadeiras no Brasil estão direcionados às formigas do gênero Atta com poucas informações sobre as espécies de Acromyrmex as quais predominam no Estado do Rio Grande do Sul. Sendo assim o objetivo do nosso trabalho será realizar um levantamento da mirmecofauna de formigas-cortadeiras associada à cultura da videira. Uma vez conhecendo as espécies, desenvolver metodologia para estimar danos, conhecer aspectos de sua bioecologia e estabelecer quais são as formas mais adequadas de controle. Os estudos serão realizados em dois ambientes distintos do Estado do Rio Grande do Sul: Serra Gaúcha e Serra do Sudeste. Será realizado um levantamento para o conhecimento das principais espécies ocorrentes e com base nesses dados serão estudados aspectos bioecológicos destas espécies. Serão realizados estudos de arquitetura de ninho das duas espécies mais frequentes em cada uma das regiões amostradas. Para tal, dez ninhos de cada espécie serão moldados e escavados e será verificada a questão da polidomia, poliginia, ciclo anual e fases de crescimento e de reprodução. Será determinada a distribuição espacial através da utilização de índices de dispersão da razão variância/média ou índice de dispersão I e o Índice de dispersão de Morisita (Iδ), além da determinação da densidade e tamanho dos formigueiros utilizando-se amostragens por transecto em faixas. Em laboratório serão realizados experimentos para determinação de iscas tóxicas para o controle de Acromyrmex. Com base nos resultados obtidos em laboratório serão conduzidos experimentos em vinhedos comerciais para testar diferentes métodos de controles associados as espécies ocorrentes. Através destes experimentos pretende-se avaliar os mais eficientes métodos de controle para controle para espécies de Acromyrmex presentes em vinhedos.

Objetivo Geral

Realizar um levantamento da mirmecofauna de formigas-cortadeiras associada à cultura da videira em dois ambientes distintos do Estado do Rio Grande do Sul: Serra Gaúcha e Serra do Sudeste. Uma vez conhecendo as espécies, desenvolver metodologia para estimar danos, conhecer aspectos de sua bioecologia e estabelecer quais são as formas mais adequadas de controle. Para tal, pretende-se:
- Avaliar a riqueza e abundância de formigas-cortadeiras, (Acromyrmex e Atta) e determinar a densidade e distribuição espacial dos ninhos; exemplares serão depositados em coleções oficiais;
- Conhecer as estruturas externas e internas dos ninhos de formigas-cortadeiras e se são mono ou polidômicos:
- Determinar a estrutura da colônia, como verificar poliginia, ciclo anual e fases de crescimento e de reprodução;
- Avaliar a forma de controle mais indicada para cada espécie: mecânico, nebulização, iscas formicidas ou biológico. Igualmente importante será determinar qual o melhor período do ano para controle;
- Preparar uma cartilha onde tenha o registro das espécies: morfologia – fotos, a sua identidade genética (BAR CODE), características do ninho e época de reprodução.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final

Página gerada em 21/09/2021 19:40:08 (consulta levou 0.048789s)