Nome do Projeto
Síntese, caracterização estrutural e aplicação de bioativos a base de quitosana
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
04/07/2016 - 03/07/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Bio-Inorgânica
Resumo
Dentre a classe de polissacarídeos tem-se a quitina que é um material de origem natural. A partir de uma reação de desacetilação da quitina é, então, obtida a quitosana. A quitosana é um polímero de cadeia linear, biodegradável, é mais solúvel em água e em alguns solventes orgânicos que a quitina e não apresenta toxidade. Os polissacarídeos como a quitina e a quitosana podem ser facilmente transformados em hidrogéis, membranas e nanofibras. Além disso, são de grande interesse em aplicações biomédicas, farmacêuticas, indústria de alimentos, cosmetologia, indústria têxtil, biotecnologia, odontologia, redução de danos ambientais, entre outros. A quitina e quitosana são biomateriais que servem como suporte de moléculas orgânicas, complexos metálicos, metais, íons metálicos e nanopartículas, o que amplia suas possibilidades de aplicação nas áreas da química e da biologia. Frente às diversas aplicações evidenciadas para a quitosana e seus derivados, este projeto objetiva a modificação da superfície da quitosana com o intuito de evidenciar e/ou aperfeiçoar propriedades fitoprotetoras de bioativos inéditos, bem como sua caracterização estrutural. Assim, com este projeto pretende-se alavancar as pesquisas na área de síntese de bioativos inéditos, com propriedades fitoprotetoras in vitro e in vivo, com possibilidade de geração de patentes, no campo de bioinsumos agrícolas numa parceria UFPel e EMBRAPA.

Objetivo Geral

Objetivos gerais
Frente às diversas aplicações evidenciadas para a quitosana e seus derivados, este projeto objetiva a modificação da superfície da quitosana com o intuito de evidenciar e/ou aperfeiçoar propriedades fitoprotetoras dos bioinsumos agrícolas sintetizados.

Objetivos específicos
a) Modificar a superfície da quitosana, imobilizando moléculas orgânicas, íons metálicos, complexos metálicos e nanopartículas metálicas, por processos químicos através de ligação iônica, covalente e interação intermolecular.
b) Avaliar o grau de imobilização do agente desejado no suporte de quitosana através de métodos de caracterização estrutural
c) Avaliar quantitativamente o grau de imobilização do agente metálico desejado no suporte de quitosana através de métodos analíticos
d) Estudar as propriedades dos produtos sintetizados através da avaliação da capacidade de atuação como bioinsumo no controle de pragas e doenças em frutíferas, seja in vitro e/ou a campo (in vivo).
e) Produzir produtos passíveis de patenteamento na área de desenvolvimentos de bioinsumos agrícolas, uma vez que Pelotas e região é muito expressiva na produção e beneficiamento de frutas, sendo que a produtividade das frutíferas vem sendo afetada por pragas e doenças, numa parceria UFPel-EMBRAPA Clima Temperado.
f) Caso o patenteamento dos produtos não seja possível, os resultados obtidos serão publicados em artigos científicos em revistas internacionais e nacionais com bom fator de impacto, além de divulgados em eventos internacionais e nacionais, visando o intercâmbio de pesquisa e recursos humanos, bem como a colaboração de outras Instituições de Pesquisa (públicas e privadas) e Empresas.
g) Capacitar recursos humanos de graduação e pós-graduação em relação ao tema do projeto, bem como a rotinas de laboratório de pesquisa, índices de produção e produção científica e tecnológica, com o intuito de torná-los aptos ao mercado de trabalho no ramo acadêmico ou fora dele.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FERNANDA ISQUIERDO BATISTA1201/09/201631/08/2017
GABRIELA XAVIER GIACOMINI4020/06/201625/01/2021

Página gerada em 27/01/2021 03:56:46 (consulta levou 0.607188s)