Nome do Projeto
Avaliação do Colostro de éguas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/05/2016 - 10/09/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Resumo
A reprodução equina busca permanentemente elevar os índices de nascimentos com potros sadios. Dessa forma, o acompanhamento do parto é imprescindível para adequado prognóstico de saúde materna e neonatal. Para este ser efetivo, é necessário estimar a data provável do parto, a qual é frequentemente prevista pela média do tempo gestacional de éguas, que perfaz 335 dias (Ley, 2011). Entretanto, há uma variação extremamente grande devido há fatores intrínsecos e extrínsecos da égua, sendo assim, se faz necessário à busca por marcadores mais fidedignos. A espécie equina é caracterizada por depender do colostro materno para obter defesa contra enfermidades, sendo considerados ao nascimento agamaglobulinêmicos ou hipogamaglobulemicos (Simon et al, 2012). Para haver produção de colostro, ocorre o início da lactação e esta, depende de fatores hormonais, principalmente da secreção de progesterona. Dessa forma, o colostro não é importante apenas para o fornecimento de anticorpos, mas também de nutrientes, hormônios e fatores de crescimento. (Santos e Zanine, 2006). O desenvolvimento da glândula mamária requer a ação coordenada de alguns hormônios incluindo a prolactina, estrógeno, progesterona, esteroides adrenais, insulina e hormônios da tireóide. A ação desses hormônios pode ser direta sobre a produção e secreção de leite, como no caso da prolactina, estrógeno e progesterona, ou pode-se dar por meio de estímulo ao desenvolvimento do sistema mamário, caso dos hormônios da tireóide, esteroides adrenais e insulina (Starbuck, 2006; Hafez e Hafez, 2004). A prolactina é essencial para todos os estágios de desenvolvimento da glândula mamária, além de regular a produção e secreção de leite, incluindo a síntese de proteínas, caseína e lactoalbumina (Santos e Zanine, 2006). O colostro pode aparecer tanto alguns dias como algumas horas antes do parto. A secreção do colostro ocorre de uma só vez e a sua "saída" do úbere antes do parto pode reduzir a quantidade de imunoglobulina necessária ao recém-nascido (Saafeld et. al, 2014). No desenvolvimento da glândula mamária, há mudanças na composição da secreção, estas, ocorrem concomitantes com a proximidade do parto. Dentre as alterações na concentração dos eletrólitos, principalmente na relação entre os eletrólitos cálcio, magnésio, sódio e potássio, já são descritos como características de proximidade do parto em éguas saudáveis (Canisso et al, 2013; Ousey, et al. 1984).

Objetivo Geral

Objetivo Geral:

Avaliar a composição do colostro in natura e ensilagem e sua relação com a dureza e pH em éguas sadias e éguas com placentite natural e induzida.

Objetivo Específicos:

• Avaliar as características físico-químicas do colostro, como, pH, Ca, Mg, Na e P.
• Correlacionar as características com a previsão de parto.
• Relacionar o comportamento das características físico-químicas entre si no periparto de éguas sadias e éguas com placentite natural e induzida.
• Avaliar a influência das alterações do pH e concentração de eletrólitos com a viabilidade do potro.
• Determinar a dureza total da água no colostro de éguas, bem como correlacionar com as concentrações de eletrólitos e Ph.
• Analisar as características físico-químicas na silagem de colostro e a manutenção das da concentração de imunoglobulinas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDERSON SCHWINGEL RIBEIRO310/05/201610/09/2017
BRUNA DA ROSA CURCIO310/05/201610/09/2017
CAROLINA LITCHINA BRASIL410/05/201610/09/2017
DANIELA ISABEL BRAYER PEREIRA310/05/201610/09/2017
FABIO PEREIRA LEIVAS LEITE310/05/201610/09/2017
FERNANDA MARIA PAZINATO310/05/201610/09/2017

Página gerada em 22/07/2019 00:38:54 (consulta levou 0.069451s)