Nome do Projeto
Desvelando as contradições da teoria do desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/08/2016 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Resumo
Esse projeto visa esboçar uma análise das percepções que envolve a construção do conhecimento acadêmico vinculado ao desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul para compreender as relações entre a ciência e a realidade econômica da região. A princípio, o mapeamento das principais teorias explicativas da realidade econômica dessa região aponta a teoria do contraste “metade-norte” e “metade-sul” como a principal teoria histórica que explica o atual desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul. Essa teoria sustenta a tese que distingue a “metade-sul” como atrasada pois, historicamente, foi marcada pela grande propriedade, pelo latifúndio, e por um conservadorismo que inibiu o desenvolvimento de um “espírito empreendedor”, o qual figura como forte característica da “metade-norte”, que registra um passado marcado pela pequena propriedade, pela economia de subsistência, etc. Essa teoria revela as características do passado de colonização do início do século XX e, que sem dúvida, ainda reflete na realidade sócio-política da região. Entretanto, esse projeto busca problematizar como essa teoria ganhou dimensões que extrapolam o ambiente acadêmico e tornaram-se explicações recorrentes do senso comum do gaúcho. Deste modo, pretende-se relacionar o impacto da teoria, em especial, advinda do campo acadêmico da geografia, com a formação de um “mito” econômico do contraste entre as metades do Rio Grande do Sul, que hoje parecem (subjetivamente) atuar como alimentadora de mitos econômicos locais que podem (na prática) atravancar o “real” desenvolvimento econômico de uma região. Mais precisamente, desejamos buscar novas possibilidades heurísticas para refletir sobre o desenvolvimento econômico gaúcho e as novas formas de organizações e poder emergidas no atual cenário político-econômico da região, não contaminadas pelo conhecimento científico tradicional.

Objetivo Geral

O objetivo geral é tentar compreender como tal “princípio explicativo regional” migrou do caráter científico-acadêmico para o senso comum e contribui para a transmissão de esquemas de percepção de práticas econômicas modeladas pela “teoria do contraste”, limitando, em especial, a metade-sul a seu caráter de atraso.
Os objetivos específicos desse projeto buscam a) mapear e identificar as principais publicações sobre o desenvolvimento econômico produzidas pelos geógrafos – em especial, analisar as informações do BGG (Boletim Gaúcho de Geografia) ao longo dos 40 anos de publicações (1974-2014); b) levantar as teorias do desenvolvimento econômico produzidas e que prevalecem nas pesquisas dos economistas, já que estes empregam tais fatos históricos na criação e no desenvolvimento de modelos econômicos que, muitas vezes, aos olhos de um sociólogo, prescrevem situações econômicas que “performam” realidades sociais, de acordo com seus modelos; c) mapear o campos dos historiadores para identificar possíveis teorias que retratam momentos históricos que refletem a realidade social; assim, tornam-se responsáveis, muitas vezes, por reproduzir teorias já mitificadas na sociedade.
Assim, buscaremos os principais autores e teorias sobre o desenvolvimento econômico da região sul do Brasil, bem como, compreender o efeito teoria, discorrendo sobre sua eficácia simbólica que passa a constituir o senso comum e compor o habitus do gaúcho. Vale notar que, Bourdieu enfatiza que “é próprio da eficácia simbólica, como se sabe, não poder exercer-se senão com a cumplicidade – tanto mais certa quanto mais inconsciente, e até mesmo mais subtilmente extorquida – daquele que suportam” (BOURDIEU, 2006, p. 243). Isto posto, ressaltamos que o efeito teoria só se exerce com a colaboração daqueles que constroem o mito, bem como, daqueles que aceitam tacitamente os limites impostos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ELAINE DA SILVEIRA LEITE431/08/201631/12/2019
IGOR DEVISATE DE SOUZA431/08/201631/12/2016
PEDRO SCHLEE SOLER201/03/201931/12/2019
VANESCA PIRES TRINDADE CANTARELLI431/08/201631/12/2016

Página gerada em 14/10/2019 07:53:56 (consulta levou 0.100362s)