Nome do Projeto
DINÂMICAS DA FRONTEIRA: CONSUMO, FISCALIDADES, TURISMO E POLÍTICA CULTURAL NA FRONTEIRA BRASIL/URUGUAI
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
22/04/2016 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Resumo
Esse estudo aborda a reconfiguração da fronteira entre Brasil e Uruguai a partir de processos recentes decorrentes de políticas de integração regional no âmbito do Mercosul, de políticas governamentais nacionais voltadas para as regiões de fronteira do sul do Rio Grande do Sul e da inclusão dessa região nos fluxos globais de consumo. Os processos atualmente em curso no espaço social da fronteira Brasil/Uruguai tornam esse contexto particularmente profícuo para que se explore de forma articulada as seguintes temáticas: o desenvolvimento de circuitos complexos voltados para prática intensiva do consumo; as dinâmicas e tensões envolvendo diferentes concepções de turismo, produzidas a partir do crescimento do fluxo de pessoas e mercadorias; a conformação da relação Estado-contribuinte na vivência prática da regulação fiscal nas fronteiras; o papel da imaginação moral da “fronteira” como um espaço comum, produzida através do ativismo político dos produtores culturais frente as dinâmicas de cooperação entre países. Desde modo, buscaremos verificar as convergências e divergências de significados e representações entre os diferentes setores envolvidos na promoção do mercado, do turismo e da cultura de fronteira.

Objetivo Geral

Tendo como foco a região da fronteira entre Brasil e Uruguai, esse projeto tem como objetivo geral analisar os agentes e processos envolvidos na construção social da fronteira a partir de quatro ângulos: o desenvolvimento de circuitos complexos voltados para prática intensiva do consumo; as dinâmicas e tensões envolvendo diferentes concepções de turismo, produzidas a partir do crescimento do fluxo de pessoas e mercadorias; a conformação da relação Estado-contribuinte na vivência prática da regulação fiscal nas fronteiras; o papel da imaginação moral da “fronteira” como um espaço comum, produzida através do ativismo político dos produtores culturais frente as dinâmicas de cooperação entre países.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAMILLA MARIA PANASSOL 2012/07/201731/12/2019
CAMILLA MARIA PANASSOL 1201/08/201731/07/2018
DIANINE CENSON LOPES422/04/201631/12/2019
EDUARDA MARINA WIEDEMANN1201/08/201831/07/2019
ORION TADEU CORREA COELHO JUNIOR1012/07/201731/12/2019

Página gerada em 20/07/2019 19:14:24 (consulta levou 0.085527s)