Nome do Projeto
TRATAMENTO DE MADEIRA POR POLIMERIZAÇÃO IN SITU COM MONÔMEROS DE BAIXO PESO MOLECULAR
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/07/2016 - 06/08/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais
Resumo
Relativamente poucas espécies florestais são utilizadas em escala industrial. Cada vez tem se restringido mais a escolha da espécie em função da alta exigência de qualidade para a utilização de sua madeira, dessa forma a sustentabilidade do setor florestal e industrial madeireiro vem sofrendo é prejudicada em demasia. Por esse motivo muitos tratamentos são realizados na madeira a fim de aumentar a sua qualidade e desse modo ampliar a gama de espécies utilizadas para a manufatura de produtos de madeira de alta qualidade. Dentre esses processos de melhoramento da madeira estão os tratamentos térmicos, modificação química, deposições de sais e açucares, melhoramento de superfícies por plasma frio, impregnação de monômeros, entre outros. Este último tem como principal objetivo melhorar as propriedades de estabilidade dimensional e aumentar a resistência biológica da madeira, e, isso é possível com a utilização de monômeros graftizantes que reagem com as hidroxilas da parede celular. Ainda por outro lado ao impregnar o lúmen com monômeros não graftizantes espera-se que a resistência mecânica deste material seja incrementada, assim com uma combinação de monômeros funcionais é possível melhorar significativamente as propriedades da madeira conforme amplamente debatido na literatura. No Brasil esse é um processo pouco discutido e raramente utilizado no setor industrial, e por esse motivo, este trabalho tem por objetivo avaliar as propriedades da madeira de Pinus taeda e debater variáveis de procedimento importantes para a utilização dessa tecnologia, tais como, processo de impregnação, combinação ideal de monômeros, tratamentos de polimerização in situ, entre outros.

Objetivo Geral

Modificar a estrutura de madeiras procedentes de reflorestamentos jovens, com uma mistura de monômeros para obter ganhos nas propriedades físicas e mecânicas desse material, como subsídio para o setor industrial madeireiro.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DÉBORA DUARTE RIBES802/07/201606/08/2020
EZEQUIEL GALLIO802/07/201606/08/2020
GUILHERME VERGARA NORNBERG802/07/201606/08/2020
MARIO ANTONIO PINTO DA SILVA JUNIOR1201/08/201731/07/2018
PAULA ZANATTA802/07/201606/08/2020
VITORIA CORREIA MOTA CANIL802/07/201606/08/2020

Página dinâmica gerada em 0.172188s.