Nome do Projeto
Identificação e validação de primers específicos para amplificação do gene HMG box em populações de Bipolaris oryzae.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
29/08/2016 - 30/08/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Fitopatologia
Resumo
A mancha parda, causada pelo fungo Bipolaris oryzae (teleomorfo: Cochliobolus miyabeanus) tem aumentado em importância. Há relatos que a redução na produtividade devido à epidemia de mancha parda pode atingir até 74%, devido à redução no número de grãos por panícula e peso dos grãos grão. B. oryzae apresenta alta variabilidade fenotípica quanto ao crescimento micelial, esporulação, germinação, coloração das colônias, além de variações na sua agressividade verificadas em ensaios de patogenicidade. A formação da fase sexuada já foi realizada em laboratório através de pareamento entre isolados. Muitos desses pareamentos foram realizados com isolados do mesmo campo de produção o que sugere a formação dessa fase em condições de campo. Esta fase é a responsável pelo incremento de variabilidade genética e a formação de novos genótipos. Os loci MAT (mating type) determinam o tipo sexual dos fungos. Os genes MAT garantem que apenas os núcleos geneticamente distintos irão se fundir e passar por meiose antes da formação dos esporos sexuais. O objetivo do projeto é caracterizar as populações de B. oryzae oriundos de três safras agrícolas, diferentes regiões produtoras de arroz irrigado do estado do Rio Grande do Sul quanto à distribuição dos genes de compatibilidade sexual (MAT-1 e MAT-2). Dessa forma, o presente projeto divide-se em três estudos, sendo que o primeiro propõe determinar o tipo compatível dos isolados de B. oryzae através de pareamento entre isolados monospóricos, o segundo estudo determinará o tipo compatível dos isolados de B. oryzae através de técnicas moleculares e o terceiro estudo determinará os genes de compatibilidade sexual em populações de B. oryzae a partir de primers específicos.

Objetivo Geral

Identificar a compatibilidade dos isolados de B. oryzae presentes no laboratório de Patologia de Sementes e Fungos Fitopatogênicos, caracterizando-os como MAT-1 e MAT-2;
Confirmar a presença dos genes, por meio da amplificação do gene HMG box, por meio do uso de primers já descritos na literatura;
Desenhar primers específicos, para amplificação da região HMG box, para os isolados de B. oryzae do estado do Rio Grande do Sul;
Observar a frequência dos genes MAT-1 e do MAT-2 em diferentes populações de isolados de B. oryzae.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DANIELLE RIBEIRO DE BARROS229/08/201630/08/2018
JESSICA ULLRICH TAVARES129/08/201630/08/2018
PRISCILA ROSSATTO MENESES229/08/201630/08/2018
WELLINGTON RODRIGUES DA SILVA429/08/201630/08/2018

Página gerada em 14/11/2019 19:55:53 (consulta levou 0.075860s)