Nome do Projeto
INTERVENÇÃO COM ATIVIDADE FÍSICA EM UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
21/03/2017 - 21/03/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Resumo
As doenças crônico-degenerativas, também denominadas agravos não-transmissíveis, constituem-se nas principais causas de morbimortalidade populacional no mundo e uma das maiores fontes de despesas para os sistemas de saúde. São responsáveis por 59% dos 56,5 milhões de óbitos anuais e 45,9% da carga global de doença. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma parte expressiva dos óbitos por doenças crônico-degenerativas (17 milhões) é devida às doenças cardiovasculares, especialmente cardiopatias e acidentes vasculares cerebrais, e 80% destas mortes ocorrem em países em desenvolvimento.Com o aumento da expectativa de vida, e consequente aumento da população de idosos, as doenças crônico-degenerativas tendem a se manifestar de forma expressiva e, frequentemente, estão associadas à comorbidades, gerando incapacidades que podem comprometer a funcionalidade, dificultando ou impedindo o desempenho de atividades cotidianas de forma independente. Ainda que algumas possam não ser fatais no momento, essas condições geralmente tendem a comprometer de forma significativa a qualidade de vida das pessoas. Entre os principais fatores de risco contribuintes para a ocorrência dos agravos crônico-degenerativos encontram-se a hipertensão arterial, a obesidade, o alto nível de colesterol, o consumo de álcool e de tabaco e o sedentarismo. Praticar AF regular é reconhecidamente um comportamento capaz de prevenir doenças crônicas e interage de forma positiva com outras estratégias comportamentais de promoção da saúde tais como hábitos alimentares saudáveis, abandono do tabagismo, consumo de álcool e drogas. Neste contexto, destaca-se o consistente benefício da AF nos indivíduos que permanecem ou tornam-se ativos, com significante redução do risco de morbimortalidade, quando comparados aos que são sedentários. Sendo assim, a política sanitária brasileira, principalmente a partir de 1995 busca a reorganização da prática assistencial da Atenção Básica à Saúde (ABS) em novas bases e critérios, priorizando as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e continuada, além de desenvolver ações educativas em saúde. O planejamento com base nos critérios epidemiológicos e sociais é considerado a base para o desenvolvimento de suas ações. Sendo assim, a inclusão de um profissional educador físico na UBS pode incrementar a atenção já disponibilizada hoje pelas UBS.

Objetivo Geral

Incluir o profissional de Educação Física na UBS de ensino Areal Leste da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), de forma que atue na coordenação de programas de atividade física (AF). Avaliar a efetividade da intervenção com AF sobre o nível de AF dos indivíduos residentes na área de abrangência do serviço. Descrever o nível de AF na população da área das UBS. Avaliar a adesão da população aos programas de AF. Promover a continuidade do projeto através de estágio comunitário curricular com alunos da ESEF-UFPel

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA MARIA FERREIRA BORGES TEIXEIRA220/03/201520/03/2017
DANIELE FERNANDES DA SILVA DE SOUZA421/03/201721/03/2019
DENISE SILVA DA SILVEIRA220/03/201520/03/2017
FABRICIO BOSCOLO DEL VECCHIO220/03/201520/03/2017
GRACIELE FERREIRA DE FERREIRA421/03/201721/03/2019
JULIANA QUADROS SANTOS ROCHA420/03/201520/03/2017
LEONY MORGANA GALLIANO420/03/201520/03/2017
LORENA DE LIMA OPPELT421/03/201721/03/2019
PATRICK MACHADO DA SILVA1201/08/201331/07/2014
PEDRO RODRIGUES CURI HALLAL220/03/201520/03/2017
THAMIRES LORENZET CUNHA SEUS420/03/201520/03/2017
VITOR HAFELE420/03/201520/03/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 0,00

Página gerada em 20/11/2019 22:51:26 (consulta levou 0.075660s)