Nome do Projeto
Utilização de dispositivo intravaginal impregnado com acetato de medroxiprogesterona em leitoas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/03/2017 - 28/03/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Fisiopatologia da Reprodução Animal
Resumo
A suinocultura apresenta grande potencial de crescimento, sendo que o Brasil já ocupa lugar de destaque mundialmente. Entretanto, as biotécnicas da reprodução não são tão evoluídas nos suínos quando comparamos às demais espécies domésticas, representando um elevado custo no sistema de produção pela grande necessidade de mão de obra. O principal foco do presente projeto é a sincronização de leitoas através da suplementação de progestágeno por via intravaginal. Atualmente, há apenas um produto comercial disponível para suínos, o qual deve ser fornecido diariamente por via oral com elevado custo, limitando sua utilização e inviabilizando a ampla difusão de biotécnicas como a inseminação artificial em tempo fixo (IATF). Como alternativa, pretendemos testar um progestágeno que pode ser suplementado por via vaginal e que vem sendo utilizado em outras espécies domésticas. Para testar a hipótese de que o acetato de medroxiprogesterona (MAP) impregnado em dispositivos vaginais (DIVs) é eficiente no controle do estro de fêmeas suínas, são propostos 3 experimentos. Inicialmente, leitoas cíclicas terão o estro inibido através de suplementação de MAP através de DIVs contendo diferentes doses de MAP (100, 200 ou 400mg), por 14 dias. Após a remoção dos pessários, espera-se que as fêmeas manifeste estro em até 8 dias. Neste experimento serão realizadas a dinâmica folicular através de ultrassonografia a cada 48h, coletas de sangue para mensuração do progestágeno (MAP) e de progesterona endógena, inseminações artificiais (IAs) e análise do desempenho reprodutivo das fêmeas tratadas. Em um segundo experimento, o MAP intravaginal (dose a ser definida no experimento 1) será comparado ao progestágeno oral para suínos disponível comercialmente quanto à eficiência na sincronização de estro, dinâmica folicular e desempenho reprodutivo. Finalmente, um estudo será conduzido para avaliar a viabilidade folicular em células recuperadas de folículos de fêmeas submetidas ou não ao tratamento com progestágeno, buscando identificar possíveis efeitos colaterais do tratamento, uma vez que a suplementação de progestágenos pode levar ao desenvolvimento de cistos ovarianos. Com a presente proposta, objetivamos identificar uma alternativa econômica e eficiente para promover sincronização de estro e ovulação em suínos, o que irá impactar diretamente no sistema de produção de suínos pela racionalização do manejo reprodutivo possibilitando, inclusive, o desenvolvimento de protocolos de IATF.

Objetivo Geral

Geral: Avaliar a eficiência da utilização de um dispositivo intravaginal de poliuretano impregnado com acetato de medroxiprogesterona na sincronização do estro em leitoas.

Específicos:
• Identificar a dose de acetato de medroxiprogesterona mais eficiente para prolongar a fase luteal do ciclo estral de leitoas;
• Avaliar a sincronia da ovulação em leitoas após controle do ciclo estral com progestágeno;
• Avaliar o desempenho reprodutivo de leitoas submetidas à sincronização do estro e da ovulação;
• Determinar o perfil endógeno de progesterona e MAP durante e após a administração de MAP intravaginal;
• Investigar possíveis efeitos colaterais do tratamento com progestágeno por via intravaginal, através de avaliação ultrassonográfica da onda folicular obtida após a suspensão do tratamento;
• Comparar a eficiência da suplementação de MAP intravaginal com a suplementação oral do progestágeno disponível comercialmente;
• Contrastar, em nível celular e molecular, o ambiente folicular (fluído folicular, células da teca e da granulosa e ovócitos) de animais submetidos ou não ao tratamento com progestágeno.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ARNALDO DINIZ VIEIRA130/03/201530/03/2017
CAMILA AMARAL D'AVILA131/03/201728/03/2019
CRISTINA SANGOI HAAS130/03/201530/03/2017
FERNANDO CAETANO DE OLIVEIRA131/03/201728/03/2019
JOÃO EDUARDO DE CASTRO CAMPOS131/03/201728/03/2019
ROBERTO VASCONCELOS ESCOBAR131/03/201728/03/2019
THOMAZ LUCIA JUNIOR130/03/201530/03/2017
VITÓRIA GASPERIN GUAZZELLI COSTA131/03/201728/03/2019

Página gerada em 16/12/2019 01:04:15 (consulta levou 0.068683s)