Nome do Projeto
USO DE METILFENIDATO ENTRE ESTUDANTES DE MEDICINA E PRÉ-VESTIBULARES
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2017 - 31/12/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Resumo
O Metilfenidato é um psicoestimulante do sistema nervoso central utilizado principalmente no tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Os potenciais de abuso e de dependência do metilfenidato são reconhecidos pela Associação Médica Brasileira e pelo Conselho Federal de Medicina, de forma que o Ministério da Saúde considera a Ritalina® e o Concerta® medicamentos de uso controlado, sendo integrantes da lista A3 de substâncias controladas, como Psicotrópicos: estimulantes do sistema nervoso central. O metilfenidato tem um alto potencial de abuso, principalmente devido às características em semelhante com a cocaína. Sintomas de euforia semelhantes aos produzidos pela droga foram verificados em pacientes tratados com metilfenidato. Apesar da indicação para tratamento de transtornos, o metilfenidato, como psicoestimulante, apresenta mais usos atualmente do que apenas terapêutico. De fato, o uso não prescrito da droga como psicoestimulante com o intuito de aumento cognitivo é uma realidade, sendo inclusive tratado pelo termo de cognitive enhancement. O metilfenidato é o estimulante mais consumido do mundo, tendo, inclusive, maior consumo que todos os outros estimulantes somados. Nas situações em que a capacidade cognitiva representa grande importância para o indivíduo, e neste estudo destacam-se como populações de risco os estudantes no momento de preparação para o vestibular e Nacional do Ensino Médio (ENEM) e, no meio acadêmico, os estudantes de medicina, uma parcela da população referida faz uso do medicamento psicoestimulantes para fins de aumento cognitivo. Reconhecer nas populações de estudantes em cursos preparatórios para o vestibular e ENEM e entre estudantes de medicina o perfil de uso do metilfenidato pode ajudar a entender o aumento do consumo do medicamento, de forma lícita e ilícita. Este entendimento se torna fundamental quando se planeja ações de controle de medicamentos, principalmente da classe dos psicoativos, e quando se busca desenvolver políticas contrárias ao uso ilícito de medicamentos. Nesse sentido, o presente projeto pretende avaliar através de um questionário auto-aplicado e confidencial a utilização do metilfenidato em estudantes de cursos preparatórios para o vestibular e ENEM e estudantes dos cursos de medicina do município de Pelotas, Rio Grande do Sul.

Objetivo Geral

Objetivo Geral
Descrever a prevalência e o perfil de utilização de uso de metilfenidato entre estudantes de medicina da Universidade Federal de Pelotas e da Universidade Católica de Pelotas e dos estudantes de cursos preparatórios para vestibular da cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul.
Objetivos Específicos
Avaliar a prevalência de uso de metilfenidato como tratamento para TDAH e psicoestimulante entre estudantes de medicina da Universidade Federal de Pelotas e da Universidade Católica de Pelotas e dos estudantes de cursos preparatórios para vestibular da cidade de Pelotas.
Descrever a distribuição do uso de metilfenidato segundo fatores demográficos (idade, sexo, cor da pele) e socioeconômicos (renda familiar).
Descrever o perfil de utilização, frequência, efeitos colaterais e acesso do uso de metilfenidato nessa população.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
GUILHERME VICENTINI101/07/201731/12/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 3.590,00

Página gerada em 28/09/2022 15:35:06 (consulta levou 0.064339s)