Nome do Projeto
Violência entre parceiros íntimos entre universitários
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/10/2017 - 28/02/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
Embora as prevalências de VPI sejam maiores entre os indivíduos com menor escolaridade, como já mencionado, a VPI é também frequente entre universitários (DUARTE, LIMA, 2006; FLAKE et al., 2013; UMANA, FAWOLE, ADEOYE, 2014; VELOSO, SÁ, 2013; ANTUNES, MACHADO, 2012; OLIVEIRA, SANI, 2005; ALDRIGHI, 2004). Neste ambiente, além de poucas pesquisas (n= 5) terem sido conduzidas no país, nenhuma fez um censo. A maioria delas usou amostras por conveniência. No Brasil, apenas dois artigos foram publicados sobre o tema com universitários, ambos usando a mesma amostra avaliada em dois momentos (baseline e 10 anos após) (ALDRIGHI, 2004; FLAKE et al., 2013). Investigar essa população é poder romper com um dos grandes estereótipos, o de que a VPI total ou por tipo somente tem lugar entre os mais pobres e os menos escolarizados (INEP, 2002). O presente estudo, além de utilizar amostragem do tipo censo, será conduzido em uma universidade pública, cujo sistema de ingresso é dado através do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Por meio desse sistema, uma única prova permite o acesso do aluno à quase todas as universidades federais do território brasileiro, sendo seu ingresso dependente de sua nota na prova. Portanto, o presente estudo avaliará universitários de diversos locais do país, de diferentes condições econômicas, histórias familiares e pessoais, pertencentes a distintas culturas – podendo enriquecer a visão sobre o tema. Este estudo abrangerá em seu escopo de análise, o uso de tecnologia na perpetração de VPI, como o controle, a manipulação e humilhação através da internet (cyberstalking e cyberbullying). Dado o discorrido, avaliar a ocorrência de VPI torna-se relevante na medida em que proporcionará o conhecimento de sua prevalência e fatores relacionados na população universitária, e, posteriormente, poderá subsidiar ações administrativas que coíbam ocorrências das VPI mais prevalentes entre universitários de uma cidade de porte médio, com características demográficas e econômicas comuns a outras tantas deste país. Portanto, faz-se ainda importante reconhecer a dimensão e os fatores de risco para a criação de subsídios efetivos de intervenção contra a VPI na população universitária.

Objetivo Geral

Objetivo Geral

Descrever a prevalência de violência por parceiro íntimo (VPI) entre universitários ingressantes em 2017 (primeiro semestre), na Universidade Federal de Pelotas, com 18 anos ou mais de idade.

Objetivos Específicos

a) Estimar a prevalência de vítimas de VPI entre universitários nos últimos 12 meses e descrevê-la conforme o tipo de dano causado: psicológico, físico e sexual.
b) Descrever a prevalência de vítimas de VPI segundo:
- Sexo;
- Indentidade de gênero;
- Idade;
- Cor da pele;
- Orientação sexual;
- Nível socioeconômico ou renda familiar;
- Local de procedência;
- Área de conhecimento do curso;
- Consumo de bebida de álcool;
- Consumo de cigarro (tabaco).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA LUIZA GONÇALVES SOARES131/10/201728/02/2019
INAÊ DUTRA VALÉRIO431/10/201728/02/2019

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 30.000,00

Página gerada em 27/05/2022 21:18:30 (consulta levou 0.050029s)