Nome do Projeto
"Seja Doce com os Bebês": Implementação das estratégias de redução da dor em recém-nascidos e lactentes durante imunizações, em Unidades Básicas de Saúde
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/01/2018 - 01/03/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Pediátrica
Resumo
As imunizações asseguram a prevenção e erradicação de doenças com impacto sobre a morbimortalidade infantil, sendo uma proteção essencial para o desenvolvimento saudável na infância. Entretanto, os procedimentos para administrá-las causam dor e estresse às crianças. Pesquisadores mostraram, ao longo das duas últimas décadas, os efeitos prejudiciais da dor, medo e ansiedade relacionados a essas intervenções, contribuindo em alguns casos para a pouca aderência aos esquemas vacinais e resistência na fase jovem e adulta a estes cuidados. Como consequência, além de baixa cobertura vacinal, o adiamento das vacinas, contrariando as recomendações para as específicas faixas etárias, aumentam o número de crianças desprotegidas. Adicionalmente, os pesquisadores, também, evidenciaram que há medidas simples, factíveis, de baixo custo e eficazes na redução da dor em crianças até um ano de idade: aleitamento materno, contato pele a pele e uso de soluções adocicadas. Contudo, há lacunas entre o conhecimento produzido e o que se faz nos contextos de práticas clínicas, e os estudos recentes apontam que essas estratégias são utilizadas com pouca frequência. Desse modo, constitui-se relevante e ético levar os resultados das pesquisas às populações que podem ser beneficiadas pelo uso destas medidas, neste estudo especificamente, recém-nascidos e lactentes. Em busca de literatura sobre a temática, não foram identificados estudos nacionais, abordando a implementação das estratégias e diretrizes clínicas elaboradas para reduzir a dor de crianças durante imunizações. Também, não foram encontradas publicações brasileiras que analisassem as repercussões da dor em curto prazo em crianças submetidas a imunizações. O objetivo principal deste estudo, portanto, inclui propor a implementação das intervenções de redução da dor em recém-nascidos e lactentes: amamentação, contato pele a pele e uso das soluções adocicadas, durante a realização de imunizações, nas Unidades Básicas de saúde pertencentes aos municípios da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde de Pelotas/RS. Caracteriza-se como uma proposta inovadora, sob o paradigma da Tradução do Conhecimento, em que essas atividades podem ser categorizadas de acordo com o espectro de estratégias utilizadas para promover a disseminação e a conscientização dos usuários finais dos resultados, denominados de "grupos de interesse".

Objetivo Geral

Propor a implementação das intervenções de redução da dor em recém-nascidos e lactentes: amamentação, contato pele a pele e uso das soluções adocicadas, durante a realização de imunizações, nas Unidades Básicas de saúde pertencentes aos municípios da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde de Pelotas/RS.
Objetivos específicos
1ª. Fase de Preparação
-Estabelecer um grupo de trabalho multidisciplinar com os gestores e profissionais de saúde (4-6 em cada Unidade Básica de Saúde) explicitando a proposta do estudo
-Verificar as práticas usuais de manejo e controle da dor durante a administração das vacinas, através da aplicação de questionário (diagnóstico situacional com dados de base)
-Revisar junto aos profissionais de saúde das Unidades Básicas as diretrizes clínicas e recomendações de manejo da dor existentes baseadas em evidências robustas e na Política de mitigação de dor da OMS durante as imunizações
-Verificar a aceitabilidade dos vídeos, produzidos no Children's Hospital of Eastern Ontário da Univerity of Ottawa, junto aos pais e à equipe de saúde, nos quais são mostradas as três intervenções de redução da dor durante a vacinação: aleitamento materno, contato pele a pele e uso das soluções adocicadas.
2ª. Fase de Implementação
-Discutir com a equipe de saúde as possibilidades (facilidades e barreiras na implementação e uso do conhecimento)
- Estabelecer, com a equipe de saúde e gestores, consenso sobre a utilização das intervenções de manejo da dor recomendados durante as imunizações (Harrison D, Bueno M, Reszel J, 2015; Taddio A, 2015)
-Planejar junto à equipe de saúde e gestores as intervenções factíveis de serem implementadas nas unidades.
-Envolver os profissionais de saúde e pais através de estratégias multifacetadas de tradução do conhecimento com a utilização de materiais "amigáveis" como os vídeos, cartazes e lembretes, mostrando as intervenções para reduzir a dor.
-Monitorar o uso das intervenções propostas, avaliar os resultados e manter a utilização nos respectivos contextos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA NEVES SILVEIRA202/01/201801/03/2019
CARLA JOSIELE ISLABÃO MAILAN202/01/201801/03/2019
CATIUSCA PINTO GARCIA202/01/201801/03/2019
CRISTINA DO AMARAL MACHADO202/01/201801/03/2019
JULIENE DA COSTA NUNES202/01/201801/03/2019
JÉSSICA STEUER MENNA202/01/201801/03/2019
NATHALIA DE SOUZA PINHEIRO202/01/201801/03/2019
RENATA BACKES SCHREINER202/01/201801/03/2019
SERGIO ALBERTO LANDO BORGES202/01/201801/03/2019
SIDNEIA TESSMER CASARIN202/01/201801/03/2019
SUEINE VALADAO DA ROSA202/01/201801/03/2019
THAIS BARTHL DA SILVA402/01/201801/03/2019
THAYANA MARA ALVES UCHÔA402/01/201801/03/2019

Página gerada em 21/07/2019 14:12:38 (consulta levou 0.081247s)