Nome do Projeto
Imigração e saúde materno infantil: uma análise de dois países caribenhos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
04/12/2017 - 28/02/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
O Haiti é um país que apresenta uma situação sanitária com os piores indicadores de saúde da América Latina e Caribe, o que inclui elevados coeficientes de mortalidade materna e infantil, além de desnutrição e baixa coberturas de acesso a serviços de saúde. Em 2010, o terremoto devastou o país, onde muitos profissionais da saúde e estudantes faleceram, enfrentando dificuldades de reorganização dos serviços de saúde. Isso produziu um impacto negativo sobre a vida e a saúde dos haitianos piorando a situação sanitária. A taxa de mortalidade materna aumentou devido à diminuição dos cuidados obstétricos, nos menores de cinco anos aumentou a desnutrição e a mortalidade materno infantil precisam ser solucionadas (BRASIL, 2017). A imigração do Haiti para a República Dominicana se desenvolveu e evoluiu em um século (CANALES et al., 2010). O processo de imigração de Haitianos para a República Dominicana,mudou ao longo do tempo. Em 1920 foram 28.258 (3,1%) (GÉRARD, 1988) passando, em 2012, para quase 700 mil pessoas. Deste total de 2012, 7,1% era proveniente do Haiti (REPUBLICA DOMINICANA et al., 2013), apontanto para um fluxo migratório importante deste país para a República Dominicana. Apesar disso, não há informação sobre as haitianas (mães e crianças) imigrantes ilegais em nenhum relatório desses países ou da OMS/ONU e os estudos sobre a imigração entre estes países que avaliaram a saúde materno infantil são limitados (LATORTUE, 1985). E na República Dominicana, apesar do reconhecimento oficial da existência de uma população de mulheres imigrantes, ainda não foi adotada uma estratégia para enfrentar os problemas associados à saúde delas e das suas crianças no país (CANALES et al., 2010). Para poder comparar as mulheres haitianas residentes no Haiti, as haitianas imigrantes na República Dominicana e as Dominicanas residentes na República Dominicana, é necessário que esses indicadores sejam comparaveis entre elas. Ademais, entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) o terceiro objetivo especificamente 3.1 e 3.2 ambicionam a redução da mortalidade materno infantil , e em 3.7 objetivam assegurar o acesso universal aos serviços de saúde sexual e reprodutiva, inclusive para planejamento familiar.

Objetivo Geral

Objetivo Geral:
Comparar indicadores de saúde materno infantil de imigrantes haitianos na República Dominicana com dominicanos e residentes no Haiti. Serão considerados imigrantes aqueles que residem na República Dominicana e tem o creole como idioma principal (idioma oficial do Haiti).

Objetivos Específicos:
• Comparar nove indicadores de cobertura em saúde materno infantil dos imigrantes haitianos residentes na República Dominicana com os residentes do Haiti e da própria República Dominicana em termos de:
1. Demanda satisfeita por planejamento familiar
2. Número de consultas pré-natais
3. Atendimento ao parto por profissional qualificado
4. Vacinacão de crianças (incluindo BCG (Bacilo Calmette Guerin) sarampo e DPT(difteria-tétano-coqueluche))
5. Uso de soro de reidratação oral para diarreia
6. Busca por cuidado em caso de suspeita Infeção Respiratoria Aguda
7. Índice composto de cobertura (Explicado no item 9.7.7)
• Avaliar estes indicadores de acordo com alguns estratificadores de desigualdade:
1. Índice de riqueza (Explicado no item 9.8.1)
2. Escolaridade materna
3. Idade materna

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ROBERTA BOUILLY404/12/201728/02/2019

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 10.000,00

Página gerada em 04/12/2022 02:07:06 (consulta levou 0.070696s)