Nome do Projeto
Clonagem e Expressão heteróloga da proteína EMA-3 (equi merozoite antigen) de Theileria equi em Pichia pastoris com Potencial Utilização Imunológica
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/01/2018 - 28/02/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas - Parasitologia
Resumo
Theileria equi é um protozoário intra-eritrocitário e de distribuição cosmopolita. A infecção pode se manifestar nas formas super-aguda, aguda, sub-aguda e crônica. A forma super-aguda se caracteriza pela rápida replicação da T. equi nos eritrócitos, sendo descrita com maior frequência em animais imunossuprimidos que sejam introduzidos em áreas endêmicas. Esta doença causa danos aos animais além de grandes gastos com medicamentos, tempo de restabelecimento e queda no desempenho. O diagnóstico da piroplasmose equina pode ser realizado com auxílio de métodos diretos e indiretos, dentre os quais se destacam a pesquisa parasitológica direta, realizada por meio de esfregaços sangüíneos, a reação em cadeia da polimerase (PCR), o cultivo in vitro do parasito e os métodos sorológicos, tais como o ensaio imunoenzimático (ELISA), a reação de imunofluorescência indireta (RIFI) e a reação de fixação do complemento (RFC). Atualmente o ELISA e o RIFI são os testes mais utilizados rotineiramente e indicados pela OIE como testes oficiais para diagnóstico. Os antígenos de superfície dos merozoítos (EMAs- equi merozoite antigen) exercem importante papel na aderência e penetração de T. equi nos eritrócitos dos hospedeiros. Tanto a proteína EMA-1 quanto EMA-2 e EMA-3 são expressas em diferentes estágios do ciclo do parasita extra e intra eritrocitário. A utilização da proteína rEMA-2 expressa em Pichia pastoris foi descrita por Vianna (2014) e demonstra ser um promissor antígeno para utilização em testes de imunodiagnóstico para T. equi. Ainda não existem vacinas eficazes no combate da piroplasmose e não existem meios eficazes de prevenção em áreas endêmicas.

Objetivo Geral

Gerais:

O objetivo geral deste estudo é clonagem e expressão da proteína de superfície de Theileira equi EMA-3 em Pichia pastoris.

Específicos:

Produção heteróloga da proteína EMA-3;
Utilização da rEMA-3 (proteína recombinante) como antpigeno a ser utilizado junto ao ELISA;
Utilização da rEMA-3 como antígeno vacinal;
Aumentar o conhecimento sobre a proteína EMA-3.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA MUÑOZ VIANNA502/01/201828/02/2019
GUILHERME BORGES WEEGE3002/01/201828/02/2019

Página gerada em 02/07/2022 07:54:03 (consulta levou 0.133839s)