Nome do Projeto
Prospecção de novas lectinas vegetais e utilização em diferentes abordagens terapêuticas para o desenvolvimento de fármacos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
15/02/2018 - 15/02/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Resumo
Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. A tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia.. Além disso, o processo de cicatrização e regeneração de feridas na pele de ratos é possível por atuar nas células do sistema imunológico, melhorar a resposta pró-inflamatória, síntese de colágeno pelos fibroblastos e angiogênese pela modulação da liberação de citocinas e fatores de crescimento. Os protocolos aplicados neste estudo ajudarão a entender como ocorre o processo de regeneração e cicatrização com a ação de indutores externos, bem como, avaliar a ação de lipossomas como carreadores de lectinas em sistema de entrega controlado. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.

Objetivo Geral

• Isolamento e caracterização de novas lectinas vegetais;
• Clonagem e expressão dos genes que codificam para as lectinas identificadas com potencial terapêutico;
• Produção em leveduras das lectinas caracterizadas;
• Funcionalização de lipossomos com lectinas testadas para utilização como cicatrizante.

• Avaliar a atividade antiinflamatória e a ação cicatrizante da lectina administrados por via cutânea, em modelo de cicatrização tecidual em ratos, (Rattus norvegicus wistar)

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLAUDIA OLIVEIRA DE FREITAS115/02/201815/02/2021
DIEGO SERRASOL DO AMARAL2001/08/201931/01/2020
DIEGO SERRASOL DO AMARAL1201/08/201831/07/2019
DIEGO SERRASOL DO AMARAL115/02/201831/07/2018
GUILHERME FEIJO DE SOUSA2001/02/202031/07/2020
GUILHERME FEIJO DE SOUSA115/02/201831/01/2020
ISADORA LEITZKE GUIDOTTI1201/01/201931/07/2019
LAURA JUNQUEIRA DE CAMARGO115/02/201815/02/2021
RAFAEL CAGLIARI1201/08/201831/12/2018

Página gerada em 26/01/2021 18:26:35 (consulta levou 0.108037s)