Nome do Projeto
Avaliação da hipersensibilidade timpânica de bovinos de corte
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
22/02/2018 - 22/02/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Zootecnia - Ecologia dos Animais Domésticos e Etologia
Resumo
O grupo genético "Bos taurus taurus" teve sua origem no "Bos primigenius primigenius", enquanto o "Bos taurus indicus" no "Bos primigenius namadicus". O primeiro sofreu pressão de seleção humana, enquanto o segundo uma seleção natural determinante da permanência de suas características comportamentais de origem (HAFEZ, 1968, p. 217). De acordo com Silveira (2005), em conjunto com o progresso das civilizações ocorreu um aumento na seleção intensiva dos bovinos, até alcançar as raças hoje existentes. Jardim e Pimentel (1998), denominaram os dois grupos genéticos como taurinos (origem europeia) e zebuínos (origem asiática e africana). Durante os séculos XIX e XX, após o processo de domesticação, as principais forças evolucionárias como mutação, seleção natural, migração, adaptação, deriva genética se desenvolveram uma grande diversidade das populações de bovinos, o que culminou com a formação de novas raças para os mais diferentes propósitos, definindo-se como “animais da mesma raça” aqueles que, por meio de cruzamentos e seleção, adquiriram semelhanças entre si passando-as uniformemente para a descendência (JORGE, 2013, p. 20). Os bovinos são animais herbívoros de manada, sendo assim são animais considerados presa. De acordo com Grandin (19997), o medo move os bovinos a estarem permanentemente vigilantes para escapar dos predadores. Grandin (2000) afirma que o medo pode elevar os hormônios associados com o estresse a níveis mais altos que muitos fatores físicos adversos. Isto é, a agitação do gado durante o manejo se deve ao medo. O conhecimento do comportamento e temperamento dos bovinos é de suma importância, visto que, se pudermos aprender a interpretar o comportamento corretamente, poderíamos melhorar o manejo de acordo com as necessidades especificas de cada genótipo e consequentemente o bem-estar dos animais. Schwartzkopf­Genswein et al. (1998), reiteram que cada vez mais, na esfera da etologia, tem havido um interesse no desenvolvimento de medições objetivas e tecnologias que permitam a quantificação confiável do comportamento animal sem observador, subjetividade, viés ou erro.Neste contexto, é proposta a realização de avaliações que gerem informações se a origem racial influencia na capacidade auditiva dos bovinos e como os estímulos acústicos afetam o bem-estar destes animais.

Objetivo Geral

Avaliar se a origem racial de bovinos de corte influencia na percepção auditiva

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LUIZ FERNANDO MINELLO1001/01/201801/03/2025
MABEL MASCARENHAS WIEGAND1022/02/201822/02/2022
NIEDI HAX FRANZ ZAUK1022/02/201822/02/2022
RENATA ESPÍNDOLA DE MORAES1001/01/201801/03/2025
ROBERTA FARIAS SILVEIRA1001/01/201801/03/2025
SABRINA KÖMMLING1201/08/201831/07/2019
SHEILLA MADRUGA MOREIRA4022/02/201822/02/2022

Página gerada em 18/05/2024 10:51:23 (consulta levou 0.055375s)