Nome do Projeto
Uma pedagogia triangular: a superação da dicotomia opressor oprimido
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2018 - 31/03/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Educação
Resumo
O debate sobre a noção de “américa” ganha novos patamares quando a temática se relaciona com a categoria geoculturalidade. Por isso, a necessidade de coerentizar as matizes histórico-culturais que perfazem a diversidade de mundos e de concepções de vida inerentes ao atual contexto das américas. Além do ponto de vista europeu, cresce e se consolida o entendimento em vistas a ampliar essa compreensão e, então, entender o papel de coautoria as demais raízes etnoculturais das gentes norte, centro e sul-americanas. Deste modo, é possível admitir e empoderar as contribuições indígenas (ou povos originários) e afrodescendentes, cujo leque perfaz uma variedade extraordinária de representações do atual contexto americano. Não poucas vezes, essa multiplicidade se defronta a conflitos e seu teor é motivo de violência dos mais variados tipos. O estudo salienta o fecundo contexto sócio-cultural desde uma epistemologia para o mundo da vida afro-ibérico-ameríndio. Nessa perspectiva, as considerações geoculturais remetem a um horizonte que interconecta três continentes: África, Europa e as Américas. Ao mesmo tempo, pretende-se subsidiar a proposta relativa aos cursos universitários brasileiros no que concerne às exigências de incorporação dos estudos afro- e indígenas, seja do ponto de vista histórico e/ou cultural. Não se trata de estudar apenas a história e a cultura das três vertentes de nossas raízes, mas compreender também as lutas e reivindicações intrínsecas ao movimento geocultural da modernidade ocidental, cujo processo de reconhecimento da diversidade possibilitaria uma convivência harmoniosa. Nesse processo, a diversidade não significa apenas a certificação de mundos e estilos de vida diferenciados, mas também a desconstrução das colonialidades e, ao mesmo tempo, a preocupação com as alternativas para o diálogo intercultural e a convivência hospitaleira na multiplicidade. Em vista disso, o texto procura salientar uma gramática pluridimensional das tradições americanas, sem desprender-se das matizes étnico-culturais do pensar e do filosofar ocidental. A alternativa pós-colonial indica, pois, uma compreensão epistemológica capaz de entender a composição dessas matizes, insistindo também em “outras” perspectivas, atitude voltada a renovar a compreensão das gentes norte, centro e sul americanas.

Objetivo Geral

1. Delinear a possibilidade de superação da dicotomia opressor versus oprimido estabelecendo como parâmetro a dimensionalidade triangular e quadridimensional;
2. Recuperar os elementos etno-históricos de uma cultura latino-americana, cujas raízes interconectam três continentes: Europa, América e África;
3. Definir os fundamentos filosóficos de uma pedagogia capaz de dar sentido às três dimensões etno-históricos e culturais;
4. Caracterizar os elementos de uma epistemologia voltada à pedagogia triangular, procedimento capaz de responder aos desafios de uma interculturalidade afro-ibero e ameríndia.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLARICE FRANCO DE SOUZA201/04/201831/03/2020
LUCIANA DE SOUZA VARGAS201/04/201831/03/2020
MARIBEL DA ROSA ANDRADE201/04/201831/03/2020

Página gerada em 23/01/2021 21:09:38 (consulta levou 0.079447s)