Nome do Projeto
A Imaginária Sacra no Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
23/08/2018 - 31/07/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Artes - História da Arte
Resumo
O presente projeto de pesquisa propõe abordar a representação das imagens sacras nos séculos XVI e XVII no âmbito da espiritualidade e agenciamentos na região do Prata, especificamente extremo sul do Brasil colonial. Procura-se pensar como algumas práticas culturais ibéricas, tais como o culto das imagens católicas, chegaram ao continente americano, como se misturaram, recriaram, adaptaram e contribuíram para a ressignificação das sociedades coloniais nessa região. Trata-se de uma proposta de trabalho que objetiva realizar um estudo comparativo no tempo e no espaço explorando as connected histories. O reduzido número de pesquisas sobre o tema, em especial a iconografia pela missão jesuíta no extremo sul do Brasil, reforça a necessidade de seu estudo e permite-nos alargar o foco de investigação sobre a religiosidade na América colonial.A imagem usada no interior de instituições laicas como as Misericórdias, mas relacionadas com a Igreja Católica, são uma constante na história das Instituições portuguesas, sejam elas advindas das celebrações cotidianas, seja no interior dos hospitais, materializadas na escultura, pintura, bandeiras, baixos relevos. Na Península Ibérica, mais especificamente em Portugal, a espiritualidade advinda do culto às imagens sempre foi uma realidade. O culto ao Espírito Santo foi introduzido por iniciativa da Rainha Santa Isabel, com patrocínio do Rei D. Dinis, fundando a primeira Igreja do Espírito Santo e respectivo hospital na Vila de Alenquer, no século XV. D. Dinis conseguiu a simpatia das classes mais desfavorecidas em virtude do amparo que os franciscanos davam aos pobres no tratamento das doenças e auxílio na adversidade, garantindo inclusive o apoio simbólico ao rei. Com a chegada dos Portugueses ao “Novo Mundo”, o culto à imagem foi trazido. Aqui, criou raízes e serviu como meio de comunicação/integração e dominação da população ameríndia. Na América o culto às imagens encontrou um espaço singular para se alicerçar e se desenvolver, quer numa perspectiva de continuidade da vinda do Reino, quer adaptando-se às culturas locais. Serge Gruzinski (2007) atribui à imagem barroca uma “função unificadora num mundo cada vez mais mestiço, que mistura as procissões e encenações oficiais a gama inesgotável de seus divertimentos”. Tudo isso, é de grande importância para a realização de leitura iconográfica/ iconológica constituinte da análise das imagens na realização de catálogo de Arte Sacra.

Objetivo Geral

O objetivo desta proposta de investigação é aprofundar os estudos sobre a imagem sacra no Rio Grande do Sul, tendo como foco central Pelotas e região, entre os séculos XVIII e XIX. Teremos como foco central o estudo da iconografia sacra relacionada com relações de poder, da mesma forma que as diferenças e semelhanças nos processos de apropriação e ressignificação das imagens, dentro da análise do estilo barroco no Brasil. Ao final do estudo objetiva-se realizar um catálogo de Arte Sacra no Rio Grande do Sul

2.2 Objetivos Específicos:
• Ao considerar que o estudo da imagem compreende o campo da Histórica Cultural e das Artes, procurar entender quais critérios particularizavam a relação das representações e os meios de uso no sentido de apropriação e significado na história colonial;
• Revelar que parâmetros norteavam as práticas que envolviam tanto a compra e realização dos artefatos simbólicos ligados a igreja catolica e a outras instituições, quanto seus usos em eventos, procissões, efemérides e festividades;
Realizar o estudo e catalogação das imagens sacras existentes na América espanhola e portuguesa na região estudada;
• Analisar a recepção das imagens nos séculos XVI e XVII, tanto advindos da sua relação com as elites locais quanto das classes populares;
• Apreender as inflexões desses parâmetros ao longo do período abordado, dando atenção especial a uma possível correspondência entre as unidades comparativas e suas relações com as comunidades locais;
• Identificar semelhanças e diferenças nas imagens sacras, em especial da figura da Virgem, desde sua primeira idealização por Trento na Itália, até as suas apropriações na região do Prata;

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ISIS FOFANO GAMA423/08/201831/07/2020
LUIS FERNANDO OLIVEIRA CAMPOS423/08/201831/07/2020
LUIZA PRATES DOS SANTOS423/08/201831/12/2018
MARI LUCIE DA SILVA LORETO423/08/201830/08/2019
NOEMI DE CAMPOS BRETAS423/08/201831/12/2018
RENAN SILVA DO ESPIRITO SANTO423/08/201831/12/2018

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 400,00

Página gerada em 16/07/2019 17:49:12 (consulta levou 0.168545s)