Nome do Projeto
Comparação entre a posição esternal e lateral sobre o bloqueio anestésico de lidocaína administrada por via epidural em cães submetidos ao procedimento de castração
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2018 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Anestesiologia Animal
Resumo
A anestesia epidural é uma modalidade corriqueira em medicina veterinária principalmente para cirurgias de membros pélvicos. Consiste na administração de anestésico local no espaço epidural. Contudo, como o espaço epidural possui pressão negativa, este é dependente da gravidade para deposição do anestésico ao longo da medula. Assim, alteração na posição do paciente pode interferir na dispersão do anestésico. O Objetivo deste estudo é avaliar a influência da posição do corpo do paciente na realização da anestesia epidural. Serão utilizados 20 cães machos encaminhados para orquiectomia eletiva no HCV da UFPel. Após preparação pré-anestésica, tricotomia, sedação e antissepsia os animais serão alocados em 2 grupos: GE, cujos animais receberão lidocaína 0,26ml/kg pela via epidural , sendo esta realizada em decúbito esternal e GL que receberão o mesmo protocolo mas realizado com o paciente em decúbito lateral esquerdo. Após 20 minutos será avaliada a progressão do bloqueio por meio de pinça de Kelly e teste do panículo e também a resposta motora em ambos os membros. Após, os animais serão encaminhados para orquiectomia eletiva sendo avaliados os parâmetros clínicos e efetividade da anestesia. No pós cirúrgico os animais terão os reflexos motores de cada membro avaliados a cada 10 minutos até a recuperação total do paciente. Os parâmetros clínicos e os tempos de duração da anestesia serão analisados pelo teste t e as progressões de bloqueio bem como presença/ausência de resposta serão avaliados pelo teste de qui-quadrado. Espera-se que a anestesia em decúbito lateral promova maior tempo de bloqueio no membro dependente e uma ascensão mais cranial.

Objetivo Geral

Avaliar a influência da posição do corpo no momento de acesso e administração sobre o bloqueio anestésico de lidocaína por via epidural.
Avaliar a influência da posição de administração sob bloqueio anestésico lateralizado de lidocaína por via epidural.
Esclarecer se a posição lateral difere da posição esternal na dispersão cranial da lidocaína por via epidural.
Estabelecer a viabilidade da administração epidural na posição lateral para cirurgias de um dos membros.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CRISTINA KALB1201/08/201831/07/2019
BÁRBARA MACHADO NASPOLINI101/05/201831/12/2020
CAROLINE JEDE DE MARCO101/05/201831/12/2020
CATIANE PRESTES DOS SANTOS101/05/201831/12/2020
EDUARDO SANTIAGO VENTURA DE AGUIAR101/05/201831/12/2020
FABRICIO DE VARGAS ARIGONY BRAGA101/05/201831/12/2020
GUSTAVO ANTÔNIO BOFF401/05/201831/12/2020
JOSAINE CRISTINA DA SILVA RAPPETI101/05/201831/12/2020
JOSEANA DE LIMA ANDRADES101/05/201831/12/2020
PATRICIA SILVA VIVES101/05/201831/12/2020
THOMAS NORMANTON GUIM101/05/201831/12/2020

Página gerada em 14/11/2019 17:22:10 (consulta levou 0.071183s)