Nome do Projeto
Doenças do sistema nervoso central de equinos com importância na saúde pública
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/09/2018 - 05/08/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Saúde Animal (Programas Sanitários)
Resumo
O Rio Grande do Sul possui uma população aproximada de 537.159 equinos, onde 30.765 estão situados na cidade de Pelotas (IBGE 2016), tornando o conhecimento das afecções que acometem esta espécie fundamental para a determinação de sua importância econômica e do estabelecimento de medidas de vigilância epidemiológica e sanitária. Neste sentido os estudos retrospectivos são muito importantes, uma vez que permitem a determinação da frequência com que as doenças ocorrem, seus aspectos epidemiológicos e suas características clínico-patológicas (Pierezan et al., 2009). Para muitas famílias, os equinos são utilizados com transporte em veículos de tração e representam a principal ou única fonte de renda familiar, em especial nas atividades de coleta de materiais recicláveis, além de serem utilizados nos serviços de segurança pública e militares, entretenimento, lazer e esporte (GOMES et al, 2010). A presença de equinos soltos em vias públicas pode provocar acidentes de transito além de representar risco à saúde pública, na medida em que são reservatórios de zoonoses, como por exemplo as encefalites. De forma geral, as doenças em equinos tem aumentado principalmente em função do seu intenso transito, tornando fundamental que os municípios implantem programas de vigilância, prevenção e controle de zoonoses (GOMES et al. 2010). As doenças do sistema nervoso de equinos representam uma importante parcela das enfermidades diagnosticadas nessa espécie, sendo o diagnóstico conclusivo das encefalomielites em equinos assim como o seu diagnóstico diferencial de grande importância para uma correta vigilância epidemiológica dessas afecções, tendo em vista que algumas encefalomielites são zoonoses (Pimentel, 2009). De acordo com um estudo realizado em equinos por Pierezan et al. (2009) foi observado que as afecções do Sistema digestório foram as mais frequentes como causa de morte. Entretanto um estudo realizado na paraíba, o sistema nervoso central foi o mais frequente afetado, tendo a raiva como a terceira doença mais diagnostica na casuística relatada (Pimentel et al. 2009).

Objetivo Geral


Objetivos gerais:

Realizar um levantamento retrospectivo e prospectivo dos equinos atendidos no HCV-UFPel que apresentarem sintomatologia nervosa, e a partir dos dados levantados, verificar o ocorrência de doenças de caráter zoonótico nesta população.


Objetivos específicos:

• Apresentar as principais alterações neurológicas em equinos diagnosticadas no Hospital de Clínicas Veterinárias da UFPel no período de 2012 a 20018.
• Demonstrar a importância do diagnóstico diferencial de alterações neurológicas com capacidade zoonótica em equinos.
• Estudar os dados epidemiológicos dessas zoonoses na região de Pelotas-RS com o intuito de serem usados como políticas sanitárias da região.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA DA ROSA CURCIO103/09/201805/08/2019
CHARLES FERREIRA MARTINS103/09/201805/08/2019
DÉBORA MACHADO NOGUERA203/09/201805/08/2019
LEANDRO AMERICO RAFAEL403/09/201805/08/2019
PLINIO AMÉLIO OCANHA AVILA203/09/201805/08/2019
RAFAELA PINTO DE SOUZA403/09/201805/08/2019
VITÓRIA MÜLLER203/09/201805/08/2019

Página gerada em 20/07/2019 19:14:50 (consulta levou 0.071002s)