Nome do Projeto
Conservatório de Música da UFPel: um século de arte em Pelotas
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
18/03/2018 - 18/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Educação
Linha de Extensão
Música
Resumo
Realização de uma série de apresentações artísticas diversificadas com vistas a celebrar e comemorar a passagem dos cem anos de fundação do Conservatório de Música da UFPel, tradicional instituição de ensino e de propagação da arte musical no Sul do Brasil. As apresentações contemplarão artistas convidados, nacionais e internacionais, bem como professores e ex-professores, alunos e egressos da UFPel e ocorrerão no salão da Biblioteca Pública, no Auditório do Centro de Artes, no salão Milton de Lemos do Conservatório e demais espaços culturais da cidade de Pelotas Todos os eventos serão gratuitos e abertos à comunidade em geral.

Objetivo Geral

Este projeto pretende organizar e executar uma agenda artística com vistas a proporcionar apresentações musicais alusivas ao centenário de fundação do Conservatório de Música.

Justificativa

O contexto de criação do Conservatório de Música de Pelotas, em setembro de 1918, simbolizou a institucionalização do ensino da música na cidade. A fundação de um Conservatório de Música partiu da iniciativa da sociedade local em conjunto com um ambicioso projeto de interiorização da cultura artística no Estado. Com a criação de uma rede de centros de cultura artística no interior do Estado foi possível desenvolver a efetiva circulação de artistas nacionais e internacionais e também promoção da educação musical formal na cidade.
No ano de 1926 ocorreria a transformação do Conservatório em Instituto de Belas Artes, com a implantação de novos cursos de desenho e pintura. Em 1937 o Conservatório de Música de Pelotas passa a integrar uma autarquia do município, sofrendo modificações no setor pedagógico, artístico e de infraestrutura operacional.
Em 1959 novas mudanças viriam. Um novo caminho começava a ser idealizado, visto que começava o processo de federalização do Conservatório. Após muitas dificuldades nos trâmites burocráticos, além da estabilidade política, em 1969, o Conservatório de Música de Pelotas foi agregado à recém fundada Universidade Federal de Pelotas- UFPel.
Em 1970 as tradicionais classes de canto, piano, violino e flauta foram reconhecidas pelo Governo Federal como cursos superiores. O curso superior de violão seria autorizado, somente vinte anos depois, em 1991. Também em função de novas demandas musicais e profissionais, nos anos 2000 foram abertos os cursos de Composição Musical e Música Popular, atendendo o grande interesse e a procura por essas áreas da música. O resultado foi uma maior integração de conhecimento, a ampliação e diversificação do perfil dos alunos e do corpo docente, bem como dos trabalhos artístico-musicais e científicos gerados pelo Conservatório.
Em reconhecimento a esse passado valoroso e a significativa atuação no presente, em 2004 foi aprovado na Assembleia Legislativa do Estado projeto de lei que reconheceu o Conservatório de Música da UFPel como Patrimônio Cultural do Estado, o que deveria garantir a sua preservação e permanência como parte fundamental da história e da memória da cidade de Pelotas. Embora o prédio estivesse vulnerável, o patrimônio imaterial estava assegurado.
Sobre esse patrimônio imaterial, pode-se lembrar que nesses cem anos muitos grupos e sociedades estiveram ligadas direta ou indiretamente ao Conservatório. Inúmeros projetos e cursos foram executados. Concursos e revistas foram publicadas. Encontros, palestras e colóquios foram promovidos. Porém, nada foi ou será esquecido, pois muito dessa história está registrada na memória da sociedade e devidamente guardada no Centro de Documentação Musical.
Nesses cem anos de atividade ininterrupta muitas pessoas passaram pelo Conservatório de Música. Professores, alunos, artistas e o também público que sempre o prestigiou. Todos fazem parte dessa caminhada. Diretores abnegados e idealistas estiveram à frente da instituição. Nesse sentido, já existem publicações de grande valor em que todos são citados e justamente contextualizados. A memória dessas pessoas também faz parte do patrimônio imaterial da instituição e deve ser guardada e constantemente lembrada.
No tempo atual, com tantas modificações efêmeras, o presente e o passado se misturam, se harmonizam. Essa mescla de tradição e modernidade dá o tom e o ritmo da contemporaneidade do Conservatório. A história se faz com sujeitos históricos e narrativas do passado. Não é pouco lembrar que esta história só se justifica com ações pontuais feitas no presente. É um compromisso de funcionários, alunos e professores continuemos a construir com mérito e a delinear com sucesso a história desta instituição quase centenária da cidade de Pelotas.

Metodologia

Organização de uma agenda e um cronograma de atividades comemorativas até setembro de 2018 (data oficial) .
Solicitação de apoio institucional, cultural e recursos financeiros para a viabilização do projeto
Serão reservados os espaços artísticos e estruturada a logística para a viabilização dos espetáculos.
Será montada uma agenda com os prováveis convidados e definidos os custos e demais detalhes operacionais.
Obs: a confirmação de parte da programação artística depende dos recursos captados e da consulta à agenda dos artistas convidados.
Divulgação através da mídia digital e impressa, rádio, cartazes, TV, blogs e sites oficiais.

Indicadores, Metas e Resultados

Promover a divulgação das atividades acadêmicas e artísticas realizadas pela UFPel
Divulgar os cursos de música que integram o Centro de Artes da UFPel
Divulgar as entidades parceiras e apoiadores
Comemorar a passagem dos cem anos junto á comunidade em geral.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ELIANE BRUM MACHADO36
MARCELO MACEDO CAZARRE2
MARCELO MENDONÇA SCHUCH
MARCIO DE SOUZA2

Página gerada em 25/06/2022 16:24:58 (consulta levou 0.089469s)