Nome do Projeto
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM UM HOSPITAL DE ENSINO DE PELOTAS-RS
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/11/2018 - 01/11/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Fármacos e medicamentos
Resumo
O uso seguro de medicamentos ocorre quando os pacientes recebem os medicamentos de acordo à sua condição de saúde, em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período de tempo adequado e ao menor custo possível. Erros de medicação é qualquer evento, manifestado ou em risco de ocorrer, relacionado ao uso inadequado de medicamentos ou dano gerado por um medicamento, enquanto este estiver sob domínio de um profissional de saúde, paciente ou consumidor. São classificados como: (a) erros de prescrição; (b) erros de omissão; (c) erros devido ao horário; (d) erros de dose; (e) erros de administração; (f) medicamentos impróprios para uso; (g) erros de adesão; (h) erros de transcrição; (i) erros de separação/dispensação.Ocorrem devido a falhas na prática profissional, procedimentos e sistemas, incluindo: prescrição, comunicação, etiquetação, embalagem, nomenclatura, aviamento, dispensação, distribuição, administração, educação, monitoramento e uso. Os erros de prescrição são os mais sérios dentre os que ocorrem na utilização de medicamentos. A prescrição é um grande elo de comunicação escrita entre os profissionais da área da saúde. Deve ser elaborada através de processo meticuloso e padronizado, o qual está sujeito a equívocos. A a interpretação, transcrição, leitura e inserção das ordens médicas num sistema eletrônico são responsáveis por aproximadamente 12% dos erros de medicação. Considerando que cerca de 30% dos danos ocorridos durante a internação hospitalar estão associados a um erro de medicação, torna-se imprescindível a busca contínua por ações que minimizem este risco. Assim, este estudo tem por objetivo identificar erros de medicação na prática assistencial do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE/UFPel-EBSERH). Será um estudo descritivo, transversal, desenvolvido na prática assistencial, onde são analisadas, mensalmente, cerca de 4.000 prescrições. Diante disso, será realizado um levantamento retrospectivo dos registros realizados pelos farmacêuticos referentes ao mês de julho deste ano. A partir destes dados, serão identificados a unidade com maior taxa de erro de prescrição, tipo de erro mais prevalente, medicamentos que possuem maior taxa de erro de prescrição e quais fazem parte da lista de medicamentos de alta vigilância. Com isso, será possível realizar um levantamento inicial das debilidades do processo de prescrição, ampliando-se para os demais meses, futuramente, conforme as demandas da instituição.

Objetivo Geral

O objetivo do trabalho é promover a integração dos estudantes do Curso de Farmácia na prática assistencial do Serviço de Farmácia do Hospital Escola UFPEL de forma a estimular o aprendizado e a construção de indicadores de erros de medicação a fim de alcançar melhorarias no cuidado e segurança do paciente internado que utilizará o tratamento prescrito.

Justificativa

Dados americanos mostram que cada paciente admitido num hospital sofrerá 1,4 erros na medicação durante sua hospitalização e a cada 1000 prescrições feitas serão encontrados 4,7 erros. (KOHN et al, 2000). Em abril de 2014, o Programa de Segurança do Paciente do Hospital Escola da UFPel foi instituído conforme às metas internacionais estabelecidas pela Joint Commission International, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), buscando promover melhorias na situação de assistência aos internados e oferecer um atendimento cada vez mais livre de danos. As metas de segurança do paciente são divididas em seis: (I) identificação correta do paciente; (II) comunicação efetiva; (III) uso seguro de medicamentos; (IV) cirurgia segura; (V) prevenção de risco de infecções; (VI) prevenção do risco de queda e de úlceras de pressão. Este projeto se caracterizará pelas demandas geradas pela meta III. Dentre as ações de uso seguro de medicamentos, o Serviço de Farmácia do HE já implementou o processo de validação de prescrições, onde estas são analisadas por farmacêuticos presentes na Farmácia Central de Dispensação. Diariamente boa parte das prescrições são checadas e avaliadas quanto aos indicadores de prescrição. Esses registros são manuais e estão armazenados no Serviço de Farmácia. Com o objetivo de contribuir nesse processo de farmacovigilância, este presente projeto foi elaborado para promover uma parceria entre o Hospital e o Curso de Farmácia da UFPel, por meio de seu corpo docente e discente, para avaliar os possíveis erros de medicação existentes e estabelecer rotinas padronizadas para promover mais segurança ao paciente internado.

Metodologia

São analisadas, mensalmente, cerca de 4.000 prescrições no HE. Diante disso,será realizado um levantamento retrospectivo dos registros realizados pelos farmacêuticos referentes ao mês de julho deste ano. A partir destes dados, serão identificados a unidade com maior taxa de erro de prescrição, tipo de erro mais prevalente, medicamentos que possuem maior taxa de erro de prescrição e quais fazem parte da lista de medicamentos de alta vigilância (ISMP, 2016). Com isso, será possível realizar um levantamento inicial das debilidades do processo de prescrição, ampliando-se para os demais meses, futuramente, conforme as demandas da instituição. A taxa de erros na prescrição de medicamentos será calculada pelo “número de medicamentos prescritos com erro / nº total de medicamentos prescritos X 100” (ISMP, 2016).
Os dados serão tabulados em Excel e será realizada análise simples de distribuição de frequência para cada indicador utilizado. O cálculo para cada indicador já foi descrito acima. Os resultados serão expressos em tabelas e gráficos de distribuição simples de frequência. Após a análise dos resultados, novas abordagens poderão ser propostas e/ou revisadas e adaptadas às necessidades da instituição, equipe e pacientes. Todo resultado será amplamente divulgado no hospital, à equipe de saúde e à administração.

Indicadores, Metas e Resultados

Como indicadores serão avaliados:
• Medicamento prescrito sem a forma farmacêutica;
• Medicamento prescrito sem a dose;
• Medicamento prescrito sem a posologia;
• Medicamento prescrito sem a via de administração;
• Medicamento prescrito sem o tipo de diluente;
• Medicamento prescrito sem o volume de diluente;
• Medicamento prescrito sem o tempo de infusão;
• Medicamento prescrito sem a velocidade de infusão;
• Medicamento prescrito utilizando abreviaturas contraindicadas.


A meta do trabalho é formar um aluno capaz de identificar erros no processo do medicamento no Hospital, auxiliando o Serviço de Farmácia nas ações de farmacovigilância, de forma a caracterizar erros de prescrição, a fim de promover maior segurança ao paciente e melhor qualidade no tratamento oferecido durante a internação. As intervenções que sejam possíveis de realizar serão executadas durante o período do projeto.

Espera-se encontrar como principais erros de prescrição a posologia incorreta, ausência de forma farmacêutica, presença de abreviaturas e ilegibilidade, tendo como base os achados de Jacobsen et al, 2015. Dados americanos mostram que cada paciente admitido num hospital sofrerá 1,4 erros na medicação durante sua hospitalização, e a cada 1000 prescrições feitas serão encontrados 4,7 erros (KOHN et al, 2000).

Diante dos achados, a proposição de uma mudança de cultura e rotina de trabalho será discutida com a administração e colaboradores da instituição para melhorar a segurança dos pacientes e da equipe multiprofissional, gerando treinamento na equipe e mudanças de condutas. Será elaborado um trabalho de conclusão de curso, com expectativa de publicação de um artigo científico em revista nacional. Os dados também serão apresentados em programações científicas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAMILA PIVETTA PREVEDELLO
GIANA DE PAULA COGNATO1
JULIANE FERNANDES MONKS DA SILVA3
KATIA LESTON BACELO
LARISSA ELVIRA MEZZOMO
PATRÍCIA CRISEL BARBOZA TUST
PAULO MAXIMILIANO CORREA3

Página gerada em 12/11/2019 11:41:52 (consulta levou 0.083387s)