Nome do Projeto
Identificação, caracterização e propagação de espécies florestais nativas do RS como estratégia de uso e conservação de recursos genéticos dos biomas Pampa e Mata Atlântica.
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/05/2018 - 01/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Educação
Linha de Extensão
Desenvolvimento regional
Resumo
Os Biomas Pampa e Mata Atlântica apresentam uma grande diversidade de espécies florestais, muitas das quais já se encontram ameaçadas de extinção em função da intensa exploração às quais vêm sendo submetidas, enquanto outras, são muito pouco conhecidas e subutilizadas. Diante deste cenário, o presente projeto tem como objetivo geral a disseminação de conhecimento técnico desenvolvido na Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e a formação de recursos humanos no que se refere à identificação, caracterização e propagação de espécies florestais nativas do Rio Grande do Sul como estratégia de uso e conservação de recursos genéticos dos biomas Pampa e Mata Atlântica visando o desenvolvimento regional e conservação do meio ambiente. Para tanto, estão previstas atividades teóricas e práticas, inicialmente na modalidade oficinas de dendrologia, inicialmente a alunos do ensino básico e fundamental de escolas da região de abrangência da UFPEL e, posteriormente à comunidade rural do município e demais interessados no tema, visando capacitá-los na identificação de plantas lenhosas dos biomas Pampa e Mata Atlântica. Tais atividades serão desenvolvidas para, no mínimo, uma turma de 20 participantes a cada semestre. São esperados impactos positivos em relação aos participantes do projeto, que poderão, além de obter conhecimentos referentes às espécies, atuar como disseminadores dos conhecimentos adquiridos e vislumbrar alternativas tanto para o desenvolvimento econômico quanto para a conservação dos recursos naturais da região. Palavras-chave: dendrologia, diversidade genética, estratégias de conservação, potencialidades de uso.

Objetivo Geral

O presente projeto tem como objetivo geral a disseminação de conhecimento técnico desenvolvido na Universidade Federal de Pelotas e a formação de recursos humanos no que se refere à identificação, caracterização e propagação de espécies florestais nativas do Rio Grande do Sul como estratégia de uso e conservação de recursos genéticos dos biomas Pampa e Mata Atlântica visando o desenvolvimento regional e conservação do meio ambiente.

Justificativa

O setor florestal vem ganhando destaque mundialmente pela sua importância ambiental, social e econômica, principalmente no que se refere ao fornecimento de matéria-prima para a indústria de celulose e papel, construção civil e de processamento da madeira. Nesse sentido, a utilização de florestas plantadas tem contribuído para a preservação de áreas de florestas naturais, além dos inúmeros serviços ambientais prestados e contribuições no setor social por meio da geração de emprego e renda em diversos setores.
O Brasil, por ser o único país que possui extensas áreas de florestas tropicais, tem muito que expandir em relação ao setor, que muitas vezes encontra empecilhos na legislação ambiental. Aproximadamente 1/3 da cobertura vegetal original no estado do Rio Grande do Sul, é composta por ecossistemas florestais e o desenvolvimento de pesquisas, políticas públicas e ações de ensino, pesquisa e extensão que atuem no sentido de conhecer, incentivar e intensificar o uso e a valoração de espécies nativas do Brasil podem contribuir para o desenvolvimento sustentável e incremento de renda, especialmente, de pequenas propriedades rurais, por meio da diversificação destas propriedades, incremento na oferta de alimentos com elevadas propriedades nutricionais, além de contribuir de forma significativa para a conservação dos recursos naturais (CORADIN et al, 2012; KINUPP e BARROS, 2008).
Na região Sul do Brasil, incluindo a região de abrangência da Universidade Federal de Pelotas, encontram-se remanescentes florestais dos biomas Pampa e Mata Atlântica, os quais, apesar de diferentes níveis de antropização e degradação, apresentam diversidade de espécies que têm potencial de utilização como frutífera, ornamental, apícola e na recuperação de áreas degradadas. No entanto, ao passo que muitas delas foram intensamente exploradas, outras carecem de esforços no sentido de conhecê-las, preservá-las e garantir sua perpetuação, havendo a necessidade de ações que capacitem estudantes e técnicos ligados ao setor florestal, aliados à comunidade em geral, quanto à sua identificação e valoração.
Portanto, é realmente importante que as comunidades pertencentes aos diversos setores da região de abrangência da Universidade Federal de Pelotas obtenham conhecimentos básicos no que diz respeito às espécies florestais. Para tanto, atividades de ensino e pesquisa, além de atividades de extensão que envolvam a comunidade acadêmica, comunidade escolar a nível de ensino médio e fundamental, além da comunidade rural, sejam desenvolvidas no sentido de despertar maior interesse e voltar atenções para as espécies arbóreas presentes nos remanescentes florestais ainda existentes.
A partir do momento em que a comunidade em geral tiver conhecimentos básicos a respeito das espécies e da sua importância no contexto ambiental e produtivo, poderá atuar mais ativamente na sua preservação e utilização de forma sustentável, assim como na disseminação destes conhecimentos às demais pessoas do seu convívio.

Metodologia

Para atender aos objetivos propostos, serão estabelecidos contatos com as demais instituições e órgãos envolvidos na proposta e serão desenvolvidas as ações descritas a seguir.
Serão ofertadas oficinas de dendrologia inicialmente a alunos do ensino básico e fundamental de escolas da região de abrangência da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e, posteriormente à comunidade rural do município e demais interessados no tema, visando capacitá-los na identificação de plantas lenhosas dos biomas Pampa e Mata Atlântica. Para tanto, serão organizados grupos de, no máximo 20 alunos por oficina, os quais, acompanhados de um aluno monitor do curso de Agronomia e que já tenha cursado a disciplina específica da área florestal no curso, um aluno de pós-graduação com experiência na identificação de espécies e com a professora responsável pela presente proposta realizarão atividades teóricas e práticas inicialmente no campus sede da UFPEL, em datas e horários definidos conforme a disponibilidade do grupo envolvido nas oficinas, totalizando 24h, distribuídas em quatro horas semanais.
Estas atividades consistirão, inicialmente, de uma breve fundamentação teórica sobre os biomas Pampa e Mata Atlântica, espécies características dos mesmos, importância e estratégias para sua conservação. Posteriormente, no que se refere às atividades práticas, estas consistirão de caminhamentos pelas diversas áreas do Campus e nas comunidades onde as oficinas puderem ser desenvolvidas, onde elementos arbóreos estão presentes e áreas adjacentes. Durante estes caminhamentos serão observados e analisados os elementos arbóreos quanto à sua morfologia geral, incluindo aspectos do formato da copa, disposição dos ramos, do tronco, morfologia das folhas, presença de flores e frutos, exsudações, odores, entre outros. Todas as características observadas serão fotografadas e registradas em planilhas contendo a localização do indivíduo e o detalhamento de tais características. Quando possível realizar a identificação da espécie já a campo, será registrado o seu nome comum e/ou científico. De posse destes dados, a identificação da espécie será confirmada por meio de consulta a literatura especializada e herbários de referência de outras instituições de ensino e pesquisa.
Após a realização das oficinas de dendrologia com os diversos grupos, os aspectos observados em cada indivíduo, considerados chave para a identificação da espécie serão compilados em um guia para a identificação rápida das espécies a campo, as quais servirão de material de apoio para as próximas oficinas a serem realizadas.
Este guia contemplará ainda, informações ecológicas da espécie e estratégias para a sua conservação, além de indicações de potencialidades de uso das espécies. Vencida esta fase do projeto, as ações seguintes serão constituídas da organização de grupos de estudo e de pesquisa visando traçar estratégias para a seleção de árvores matrizes, coleta de sementes e produção de mudas das espécies florestais nativas com potencial para uso e com prioridade de conservação na região de abrangência das atividades do projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

As atividades previstas no presente projeto, após desenvolvidas, permitirão a formação de recursos humanos na área de Ciências Florestais, especialmente no que se refere ao conhecimento, valoração e conservação de recursos genéticos vegetais dos biomas Pampa e Mata Atlântica.
Considerando a relevância do setor florestal para o desenvolvimento da região e, considerando a necessidade de divulgação de conhecimentos referentes às espécies florestais nativas, espera-se obter impactos positivos em relação aos participantes do projeto, que poderão, também, atuar como disseminadores dos conhecimentos adquiridos e vislumbrar alternativas tanto para o desenvolvimento econômico quanto para a conservação dos recursos naturais da região.


Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE RITTER CURTI4
ERNESTINO DE SOUZA GOMES GUARINO
GABRIELLI FERNANDES RODRIGUES
IARA VALQUIDE GOMES DE OLIVEIRA2
MARCOS JARDEL MATIAS SOARES
MARCOS JARDEL MATIAS SOARES
MARISA SANDRA WIENKE TAVARES

Página gerada em 28/11/2020 23:18:40 (consulta levou 0.105840s)