Nome do Projeto
Capacitação em hidrologia de bacias hidrográficas: monitoramento, análise, modelagem e tomada de decisão
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/04/2018 - 31/03/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Meio ambiente
Linha de Extensão
Recursos hídricos
Resumo
Na região sul do Rio Grande do Sul, bem como em outras localidades, observa-se crescente demanda perante à disponibilidade de recursos hídricos, além da oscilação entres eventos extremos de cheias e secas em curtos períodos de tempo. Neste contexto, a eficiência tanto na gestão da água quanto no dimensionamento hidrológico para projetos de engenharia é de suma importância, evidenciando a necessidade de capacitação de recursos humanos envolvidos. Frente ao exposto, o presente projeto tem por objetivo proporcionar a capacitação de profissionais, estudantes de graduação e pós-graduação e produtores rurais, no que concerne, em uma visão holística, à hidrologia para bacias hidrográficas, compreendendo desde o monitoramento e a análise de dados hidrológicos à modelagem e tomada de decisão. As ações principais, a serem desenvolvidas no período de execução do projeto, o caracterizam na modalidade "Cursos Presenciais de Iniciação", isto é, um conjunto articulado de ações pedagógicas teóricas e práticas, realizadas na presença de ministrantes, e que objetiva oferecer noções introdutórias acerca da temática. Espera-se que as ações propostas promovam o aperfeiçoamento técnico-científico e a expansão do conhecimento por parte de público alvo e da equipe envolvida.

Objetivo Geral

O presente projeto tem por objetivo proporcionar a capacitação de profissionais, estudantes de graduação e pós-graduação e produtores rurais, no que concerne, em uma visão holística, à hidrologia para bacias hidrográficas, compreendendo desde o monitoramento e a análise de dados hidrológicos à modelagem e tomada de decisão.

Justificativa

O Brasil, sob a perspectiva dos recursos hídricos, divide-se em 8 regiões hidrográficas, sendo uma delas a Atlântico trecho Sudeste, com aproximadamente 215 mil km² - equivalente a 2,5% do território nacional. Esta região é conhecida pelo seu elevado contingente populacional, com significativos aglomerados urbanos, e pela importância econômica de sua indústria; segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), esta região apresenta uma das maiores demandas hídricas do país ao mesmo tempo em que possui uma das menores disponibilidades relativas.
Uma das 22 sub-bacias da região do Atlântico trecho Sudeste é a da Mirim-São Gonçalo, ao extremo sul do país, a qual apresenta-se em território brasileiro (47%) e uruguaio (53%), com 62.250 km² de área de drenagem. Como principal corpo hídrico da bacia, tem-se a lagoa Mirim, a qual se conecta à laguna dos Patos através do Canal São Gonçalo, uma estratégica via navegável de 76 km de extensão e importante manancial para abastecimento público urbano.
No lado brasileiro, dentre os usos múltiplos que contempla, a bacia destaca-se por ser a força motriz da produção orizícola do Estado, desempenhando um papel ímpar tanto no setor econômico quanto social. Ademais, a referida bacia abriga áreas de relevante interesse ecológico, como o Banhado do Taim, onde localiza-se a Estação Ecológica do Taim, que constitui uma das unidades de conservação federal, tombada pela UNESCO como Reserva da Biosfera.
Diante da sua relevância, inúmeras pesquisas vêm sendo desenvolvidas em sub-bacias da Mirim-São Gonçalo pelo Grupo de Pesquisa em Hidrologia e Modelagem Hidrológica em Bacias Hidrográficas.Tais pesquisas têm originado produções de elevado impacto na comunidade científica, no entanto, restringem-se, por vezes, ao ambiente acadêmico.
Frente ao exposto, e visando dar um retorno à sociedade em geral, este projeto propõe ações de extensão voltadas tanto - e principalmente - à capacitação de profissionais, estudantes de graduação e pós-graduação e produtores rurais, quanto à disseminação, aos próprios produtores, de índices pluviométricos obtidos a partir da rede de monitoramento instalada na região e sob responsabilidade do referido Grupo.
Os cursos de capacitação propostos justificam-se pela necessidade de recursos humanos qualificados para a gestão do conflito de uso da água e para a eficiência de projetos de engenharia de recursos hídricos.

Metodologia

As ações principais, a serem desenvolvidas no período de execução do projeto, o caracterizam na modalidade "Cursos Presenciais de Iniciação", isto é, um conjunto articulado de ações pedagógicas teóricas e práticas, realizadas na presença do ministrante, e que objetiva oferecer noções introdutórias acerca da temática.
Frente ao exposto, tais ações consistirão de cursos presenciais com durações mínima e máxima de 8 e 30 horas, respectivamente, conduzidos por membros da equipe do projeto, e oferecidos ao público alvo em uma frequência trimestral, a qual pode ser alterada, perante a demanda, para intervalo de tempo inferior.
Dentre os cursos relevantes, perante à demanda da comunidade, destacam-se os seguintes:

* Ciclo hidrológico e bacias hidrográficas
* Técnicas de monitoramento hidrológico, aquisição e análise de dados hidrológicos
* SIG aplicado à caracterização de bacias hidrográficas
* Modelagem hidrológica: projetos básicos de engenharia
* Conservação do solo e da água em bacias hidrográficas

Cada curso será uma ação, cujo período de desenvolvimento e equipe de execução encontram-se detalhados neste projeto.
Serão realizadas avaliações parcial (março/2019) e final (março/2020) dos indicadores obtidos ao longo das ações propostas, com o objetivo de promover melhorias no decorrer do projeto e para projetos futuros.
Além disso, contando com a parceria dos produtores rurais para a realização do monitoramento hidrológico - que ocorre desde 2011, em certas localidades - e de atividades práticas contempladas nas ações extensionistas deste projeto, está prevista uma ação específica que buscar retornar aos mesmos, mediante relatório mensal de índices pluviométricos, informações obtidas pela rede de monitoramento.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se, ao final do prazo de vigência deste projeto, que as ações propostas promovam o aperfeiçoamento técnico-científico e a expansão do conhecimento por parte de profissionais, estudantes de graduação e pós graduação e produtores rurais da região, bem como da equipe envolvida.
Quantos às metas, espera-se oferecer, pelo menos, 8 cursos de capacitação compostos por aulas teóricas e prática.
Os indicadores analisados serão: abrangência das ações; perfil e desempenho do participante em cada ação; e nível de satisfação e de adequação da carga horária ao curso.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE ALONZO STEINMETZ
BERNARDO GOMES NÖRENBERG
BRUNA MOREIRA SELL
DAIANE HELLNVIG ZARNOTT
ERILANDIA DE ANDRADE FERREIRA
FABRICIO DA SILVA TERRA1
FELIPE DE LUCIA LOBO
HUGO ALEXANDRE SOARES GUEDES14
JULIANA PERTILLE DA SILVA74
JÉSSICA FERNANDA OGASSAWARA
JÉSSICA FERNANDA OGASSAWARA
LEANDRO SANZI AQUINO
LESSANDRO COLL FARIA74
LUIS CARLOS TIMM1
MARCELLE MARTINS VARGAS
MARCELLE MARTINS VARGAS
MARIA CANDIDA MOITINHO NUNES14
MARIA CLOTILDE CARRE CHAGAS NETA
MARIA PAULA FEITOSA TORMAM
MAÍRA MARTIM DE MOURA
MAÍRA MARTIM DE MOURA
REGINALDO GALSKI BONCZYNSKI31
SAMUEL BESKOW57
STEFAN DOMINGUES NACHTIGALL
TAMARA LEITZKE CALDEIRA BESKOW77
Tamiris Araújo Duarte Castro
VIVIANE RODRIGUES DORNELES
VIVIANE RODRIGUES DORNELES
ZANDRA ALMEIDA DA CUNHA
ZANDRA ALMEIDA DA CUNHA

Página gerada em 28/11/2020 05:17:12 (consulta levou 0.256733s)