Nome do Projeto
II Turma Especial em Medicina Veterinaria UFPel
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
18/06/2018 - 31/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Meio ambiente
Linha de Extensão
Desenvolvimento Rural e Questão Agrária
Resumo
A proposta de criação de cursos ligados à área das ciências agrárias pelos Movimentos Sociais do Campo (MSC), parte de uma demanda histórica para sanar problemas ligados ao campo produtivo e para implementação de um “modelo” produtivo centrado na justiça social, respeito às questões ambientais, onde os camponeses sejam sujeitos ativos do processo. As discussões remontam a meados da década de 1990. O projeto de um Curso em Medicina Veterinária voltado ao público beneficiário do Programa Nacional de Reforma Agrária parte de uma demanda histórica dos movimentos sociais do campo. A instabilidade e o caráter transitório das conquistas contribuem para o amadurecimento da proposta de formação de quadros de caráter técnico-político a partir da própria base social.

Objetivo Geral

Concluir a continuidade de cumprimento do objeto (convênio 777084/2012), que visa atender e capacitar assentados e filhos de assentados na área de Medicina Veterinária.

Os objetivos específicos serão: (1) formação de médicos veterinários capazes de atuar tecnicamente nos assentamentos, colaborando em todo processo de criação animal dos assentamentos; (2) formação de médicos veterinários com consciência ambiental, capaz de atingir os objetivos da criação animal mas sem prejuízos ao sistema ambiental; (3) capacitar os assentados com a troca de informações levadas pelos alunos, desempenhando assim papel fundamental como agentes multiplicadores do conhecimento, através do emprego dos preceitos e técnicas oriundas dos pilares do ensino, pesquisa e extensão.

Justificativa

A importância de atingirmos esta área fica demonstrada na carência de profissionais dispostos e/ou preparados para atuarem junto à reforma agrária, expressa pela dificuldade de preencher vagas nos convênios firmados de assistência técnica e social. Podemos citar, como exemplo, a realidade dos assentamentos do estado do Rio Grande do Sul que, em outras ocasiões, chegou a contar em seu quadro de técnicos com 13 (treze) profissionais da medicina veterinária e hoje conta com apenas 5 (cinco) trabalhando no campo.

Metodologia

Realização do estágio de Vivência supervisionado obrigatório. Nesse cenário os alunos irão a campo realizar treinamento e capacitação dentro da realidade dos assentamentos existentes no território Nacional, afim de aplicar o conhecimento adquirido durante a graduação bem como receber conhecimento decorrente da troca de informações. Essas informações, além da pratica manual do dia a dia, será transferida através de palestras as comunidades, atividades práticas orientadas e seminários com discussões e trocas de experiências.
As atividades serão orientadas pelos coordenadores, que além da prática fomentarão discussões com trocas de experiências vividas. Também terão a necessidade de elaborar relatórios, bem como de apresentar o que foi vivido.

Indicadores, Metas e Resultados

Esperamos a realização de atividades voltadas as praticas rurais sustensáveis, ações voltadas a educação popular e rural, e realização de relatórios relatando toda experiência vivida e aprendizado construído. Também esperamos que os alunos virem agentes multiplicadores nas suas comunidades. Assim, uma vez que teremos aproximadamente 40 alunos extensionistas atuando em comunidades diferentes e uma vez que cada comunidade possui em média 50 pessoas, espera-se que um público alvo de 2000 pessoas seja atingido.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADÃO JONATHA DA SILVA ALVES
ALAN MAURER
ALESSANDRA GASPAROTTO2
ALEXSANDRO ALVES
ANTONIO CARLOS FREITAS DE LIMA
BELNI SPERLUK BELMONTE
BRUNO SILVA JUSTINO
CLEITON CONCEIÇÃO ALMEIDA
CLEITON DE ALMEIDA DOS SANTOS
CLEVERSON DEOCLICIANO DE TOLEDO
CRISTIANE COUTINHO DA COSTA
DANIEL LUCAS MORAIS VILASBOA
DELVÂNIA GONÇALVES DA SILVA
EDERSON DOS SANTOS
ELIELSON NUNES PEREIRA
EVELLIN ALINE DE SOUZA GOMES
FERNANDO VIEIRA DA SILVA
FLÁVIA BÁRBARA RIBEIRO
GIOVANA PAULA PIVOTTO
GISLAINE EDICELY DA COSTA RAMOS
INDIANA DOS SANTOS MAIA
JACKELINE VIEIRA LIMA
JEFERSON LUCAS BUACOVSKI
JÚLIO CÉSAR GARROSO DE ALMEIDA
LARISSA NATALIA KOESTER
LAÉRCIO ANTÔNIO RIBAS
LUCAS ALFREDO DE CARVALHO BARTOSKI
LUCAS DE MOURA
LUIS CARLOS ROCHA
LUIS CARLOS RODRIGUES MOREIRA DA SILVA
LUIZ FILIPE DAME SCHUCH2
MAGNA FABRÍCIA BRASIL SAVELA
MARCIO BRACHAK
MARCO ANTONIO HEILMANN FRAGATA
MARGARIDA BUSS RAFFI2
MORGANA LUCHESE
NATIELE ISAURA DE ALMEIDA VEECK
NIEVERSON VICENTIN PERSIO
OBERDAN DE WITT
PAULO CLEBER LUNCKS DE ALMEIDA
RAITINELLY FERNANDA ALEGRE DA SILVA
RITIELI DOS SANTOS TEIXEIRA
ROGES CARLOS ASCHI
THAÍS ESTERCIO
THIAGO LUIS BOMJARDIM GUEDES
TIAGO JOSÉ CAZARIN
WILTON VENTUROSO ALMEIDA

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
INCRA / Instituto de Colonização e Reforma AgráriaR$ 349.600,00Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
Colaboradores eventuais (pessoal CLT)R$ 52.289,10
Encargos s/ CLT (≈ 83 %)R$ 24.156,16
Despesa administrativa da fundação de apoioR$ 38.775,66
Outros serviçosR$ 73.410,00
Passagens e despesas com locomoçãoR$ 102.514,55
Despesas com diáriasR$ 6.726,00
Material de expedienteR$ 51.728,53

Página gerada em 24/07/2019 01:58:58 (consulta levou 24.730257s)