Nome do Projeto
Hemangioma - Atendimento e Educação
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
10/09/2018 - 09/09/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Infância e adolescência
Resumo
Hemangiomas são tumores benignos causados pela proliferação de células endoteliais de vasos sanguíneos, com alta incidência em crianças de uma no de idade (4-10%) e se estima que ao redor de 12 % destas crianças necessitam de tratamento. Como é uma lesão vascular a aparência do hemangioma e o medo de sangrar assusta profissionais da saúde e familiares. O foco deste projeto é prover atendimento médico multidisciplinar especializado para esta patologia e orientar alunos de graduação e comunidade para os aspectos desta doença.

Objetivo Geral

Realizar atendimento médico dos pacientes pediátricos com hemangioma. Orientar alunos da graduação e pós graduação no diagnóstico e tratamento destes pacientes. Criar banco de dados com fotos para posteriores trabalhos de pesquisa.

Justificativa

O hemangioma infantil é o tumor benigno vascular mais comum na infância, ocorrendo em 3-10% dos lactentes. São usualmente diagnosticados com 3 a 6 semanas de idade e a lesão evolui durante uma média de 5 meses, estabiliza e posteriormente involui durante anos. Hemangiomas são mais comuns em mulheres, brancos, prematuros e gestações múltiplas. Está associado à idade materna avançada e complicações placentárias.
Ocorrem, em sua maioria, esporadicamente. Apenas um pequeno número tem característica autossômica dominante e pode ser associado a anormalidades no cromossomo 5. As células endoteliais do hemangioma possuem uma natureza clonal. Apresentação clínica geralmente não ocorre ao nascer, mas lesões precursoras como telangiectasias, descoloração da pele ou hipopigmentação podem ser vistos. Podem ser superficiais na derme, profundos dentro do tecido subcutâneo, combinado ou visceral. Lesões combinadas são comuns. São mais comumente localizados em cabeça e pescoço, mas podem ser encontrados em qualquer parte do corpo. Sua aparência cutânea é usualmente vermelha azulada,
firme e quente na fase proliferativa. Posteriormente a lesão clareia na parte central e fica menos quente e mais macia, aí se torna mais plana e perde sua cor. O processo de involução dura vários anos, mas uma vez iniciado a lesão não torna a crescer. Diagnóstico usualmente é realizado com história e aparência clinica. Biópsia raramente é necessária e é realizada somente se a aparência, história ou apresentação forem atípicas. Imagem usualmente é desnecessária, mas se a lesão for profunda sem componente cutâneo, ultrassom é benéfico, pois pode revelar hiperfluxo com ondas de Doppler características.
Sendo assim formar equipe especializada em diagnóstico e tratamento com protocolos torna o
atendimento deste grupo de crianças mais correto e eficaz.

Metodologia

Atendimento de pacientes pediátricos no ambulatório de pediatria da Faculdade de Medicina da UFPel, com protocolos bem estabelecidos baseados em evidências internacionais. durante os atendimentos os alunos de graduação dos 2 últimos anos da faculdade de Medicina e os pós graduando (residentes) em cirurgia e pediatria serão expostos a estes paciente e aprenderão na prática o diagnóstico, evolução e tratamento dos hemangiomas.
Os ambulatórios ocorrerão duas vezes por semana e o agendamento poderá ser feito por meio de encaminhamento da Secretaria Municipal de Saúde e serviços SUS, através da demanda interna do Serviço de Puericultura e Pediatria da FAMED UFPel, e por demanda direta de pacientes e/ou familiares.

Indicadores, Metas e Resultados

Melhorar saúde da população de Pelotas e região e mostrar aos alunos na prática doenças raras que requerem atendimento especializado.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CECILIA FERNANDES LOREA3
PATRICIA ELIZABETE TRENTIM
VICTOR MANUEL BRIZIDA GARCIA NETO

Página gerada em 23/04/2024 20:35:59 (consulta levou 0.120135s)