Nome do Projeto
Treinamento e Capacitação em Construção Enxuta: Estabilidade + Padronização
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/11/2019 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Tecnologia e Produção
Linha de Extensão
Desenvolvimento tecnológico
Resumo
Este projeto tem como objetivo o treinamento e a capacitação da equipe da empresa Optima Estrutural nos conceitos, métodos, técnicas e ferramentas da Produção Enxuta, com ênfase em Estabilidade e Trabalho Padronizado, com vistas a obtenção de melhorias produtivas. Este projeto será desenvolvido por meio de ações de diagnóstico do processo produtivo da empresa, a partir do qual será proposto um plano de ação, composto de treinamentos e implementação de melhorias em uma obra piloto, com vistas à consolidação das intervenções propostas. Algumas ações deste projeto serão desenvolvidas na sede da empresa, na cidade de Palhoça/SC, bem como em obras realizadas pela empresa na região de Balneário Cambuiriú/SC.

Objetivo Geral

Capacitar a equipe da Optima Estrutural nos conceitos e práticas de produção enxuta, com foco na estabilidade e padronização da produção, com vistas à obtenção de melhorias no seu sistema de produção.

Justificativa

Desde a década de noventa, pesquisadores têm buscado a adaptação dos conceitos, métodos, técnicas e ferramentas originados no que se convencionou chamar de Produção Enxuta na Construção Civil. A Produção Enxuta foca especialmente na redução dos desperdícios, enquanto aumenta o valor entregue ao cliente. Desta forma, este novo entendimento do processo produtivo rompe o paradigma de produção em massa que historicamente tem orientado as intervenções nos processos produtivos, gerando uma aumento das atividades que não agregam valor, especialmente os estoques. Nesse sentido, a Estabilidade da Produção e a Padronização de Processos, são elementos básicos para a implementação da Produção Enxuta em qualquer esforço produtivo.

Metodologia

O projeto será executado em três etapas:
ETAPA 1: Diagnóstico + Plano de Ação
Esta etapa prevê o diagnóstico do sistema de produção da empresa, buscando compreender sua estrutura organizacional e seus processos “de ponta a ponta”, ou seja, desde seus fornecedores até o cliente, passando pelos processos de produção.
Pretende-se, desta forma, elencar os principais fornecedores, bem como suas principais características (como tamanho dos lotes de fornecimento, lead time de entrega, entre outros).
Já com relação aos clientes, pretende-se identificar seus principais requisitos, a fim de estabelecer com clareza quais são suas verdadeiras necessidades, ou seja, o que efetivamente significa valor para os mesmos.
No que concerne aos processos de produção, a partir do seu mapeamento, pretende-se identificar as principais etapas, responsáveis, seus requisitos (considerando-os como clientes internos de outros processos), lead times, tempos de ciclo, além de eventuais atividades que não agregam valor, consideradas como desperdícios e que devem ser eliminadas.
Especial atenção deverá ser dada ao processo de planejamento e controle da produção, que também será alvo do diagnóstico, uma vez que representa um processo-chave para a estabilização da produção e redução da parcela de atividades que não agregam valor à produção.
A partir das evidências oriundas do diagnóstico, no qual serão identificados aspectos positivos e oportunidades de melhoria, será traçado um Plano de Ação para a implementação de conceitos, métodos, técnicas e ferramentas da Produção Enxuta, tendo com base as seguintes premissas:
1. identificação precisa dos requisitos dos clientes (valor) e implementação de ações que garantam seu atingimento;
2. subordinação dos ritmos de produção (tempo de ciclo) ao takt time definido pelo cliente;
3. padronização dos processos produtivos (sequência produtiva e procedimentos executivos), com vistas a estabilização da
produção;
4 . definição e implementação de indicadores de desempenho do processo, como forma de avaliar a evolução do mesmo.
ETAPA 2: Implementação
Para tanto, além das ações a serem implementadas em uma obra-piloto da empresa, será realizada capacitação dos principais atores nos conceitos, métodos, técnicas e ferramentas de Produção Enxuta (por meio de módulos de treinamento), de forma a propiciar autonomia aos mesmos na implementação e manutenção de um processo de identificação de oportunidades e implementação da melhoria contínua.
A priori, o processo de implementação será organizado nas seguintes subetapas:
1. treinamento e capacitação dos atores (processo contínuo, realizado por meio de módulos de treinamento, ao longo das demais subetapas), nos seguintes temas:
a. princípios de construção enxuta;
b. estabilidade + padronização de processos;
c. planejamento e controle da produção.
2. implementação do conceito de Trabalho Padronizado, consistindo de três elementos, a saber: (a) takt time; (b) sequência de trabalho; e (c) estoque em processo, base para o processo de melhoria, em uma obra-piloto;
3. definição e implementação de indicadores de desempenho dos processos alvo de melhoria.
ETAPA 3: Acompanhamento
Esta etapa consistirá no acompanhamento do processo de implementação, com base na coleta de indicadores de desempenho e em relatórios periódicos de avanço elaborados pelos responsáveis pela implementação na empresa, em parceria com a equipe do Gecon. Serão realizadas reuniões de apresentação dos dados e discussão dos avanços e dificuldades encontradas, a fim de estabelecer estratégias para sua resolução.

Indicadores, Metas e Resultados

Os resultados esperados dizem respeito à implementação do trabalho padronizado nos processo da empresa, especificamente nos processos de execução em obra, que contribuirão para a estabilidade da produção e a consequente redução da atividades que não agregam valor ao cliente. Desta forma, as metas são:
a) capacitar a equipe da empresa nos conceitos, métodos e técnicas de produção enxuta, no que concerne à padronização do trabalho e estabilidade básica;
b) realizar diagnóstico do sistema produtivo da empresa, com vistas a realizar melhorias;
c) elaborar um plano de ação, buscando, junto com a empresa, intervir em uma obra piloto, implementando as melhorias identificadas na etapa de diagnóstico;
d) acompanhar o processo de execução após a implementação das melhorias, com base em indicadores de desempenho definidos na etapa de implementação;
e) elaborar relatório final do projeto, contendo a descrição das atividades realizadas e dos resultados obtidos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FABIO KELLERMANN SCHRAMM20
JOÃO PEDRO ALMEIDA LOPES

Recursos Arrecadados

FonteValorAdministrador
Optima EstruturalR$ 32.550,00Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
BolsasR$ 16.237,50
Despesa administrativa da fundação de apoioR$ 4.215,99
Outros serviçosR$ 1.320,00
Despesas com diáriasR$ 8.850,00
Material de expedienteR$ 510,00
Material de manutenção de máquinas e equipamentosR$ 600,00
Equipamentos e material permanente (móveis, máquinas, livros, aparelhos etc.)R$ 816,51

Página gerada em 04/12/2022 01:27:02 (consulta levou 3.479631s)