Nome do Projeto
Infância e contemporaneidade: Intervenções em Psicologia Fenomenológica
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
10/10/2019 - 07/10/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Saúde
Linha de Extensão
Infância e adolescência
Resumo
Diante das mudanças e desafios da sociedade contemporânea, a infância surge, cada vez mais, como objeto de preocupações e cuidado. No entanto, muitas vezes, tal preocupação se reflete em um olhar patologizante, que considera a criança, individualmente, como portadora de questões que solicitam diagnósticos. No entanto, grande parte dos comportamentos considerados problemáticos por familiares e professores são construídos coletivamente, estando historicamente situados, sendo parte de uma rede mais ampla e complexa de fatores. Por este motivo, são necessários, não só espaços de assistência às crianças em sofrimento psíquico, mas a construção de pontes dialógicas potentes entre as esferas que permeiam o universo infantil, como família e escola. Este trabalho se fundamenta na perspectiva fenomenológico-existencial em psicologia, promovendo uma articulação entre as esferas clínica, a social e a educacional, de modo a compreender o fenômeno de ser criança de maneira ampla, tecendo diálogos interdisciplinares. Dessa forma, ao atuar em diferentes territórios, promovendo uma triangulação de olhares e saberes, busca-se contribuir, não apenas para a assistência psicológica, mas também para a formação de discentes críticos e atentos à complexidade da realidade do público atendido.

Objetivo Geral

O presente projeto de extensão tem por objetivo atuar no âmbito da infância, tanto através de atendimentos clínicos individuais, quanto em intervenções grupais em diferentes âmbitos da comunidade, como escolas da rede pública do município de Pelotas, RS. Busca-se promover práticas dialógicas que produzam e qualifiquem modos empáticos de escuta e ampliem as habilidades interpessoais dos envolvidos em relação ao universo infantil.

Justificativa

Este projeto se justifica pela oferta ainda restrita de assistência psicológica infantil na rede de saúde pública de Pelotas, RS, além de demandas de escolas estaduais e municipais dirigidas ao corpo docente do curso de Psicologia da UFPel. Através do contato com professores da rede e discentes da graduação em Estágios Básicos de observação, foram explicitadas algumas demandas de intervenção. Entre elas, existe a necessidades de compreender melhor a existência infantil na contemporaneidade, de forma a criar novas práticas de interação e cuidado nos ambientes educativos, além de ampliar a rede de cuidados em espaços de atendimento voltados para crianças encaminhadas por serviços especializados. O CAPTA - Centro de Apoio, Pesquisa e Tecnologias para Aprendizagem - pertence à secretaria Municipal de Educação de Pelotas e aparece como instituição parceira principal, articulando-se a diversas instituições de ensino.

Metodologia

As intervenções ocorrerão em duas frentes: atendimentos clínicos semanais com crianças encaminhadas ao CAPTA - Centro de Apoio, Pesquisa e Tecnologias para Aprendizagem – e intervenções pontuais em instituições de ensino. Os atendimentos individuais acontecerão nas instalações do CAPTA em modalidade de ludoterapia. Como parte dos atendimentos, os extensionistas acompanharão família e escola no processo de acolhimento e ressignificação dos comportamentos apresentados pelas crianças manifestos nas queixas apresentadas ao serviço. Serão desenvolvidas ações pontuais em instituições, como rodas de conversa em escolas, observações em sala de aula e trabalhos com professores ligados às crianças em atendimento. O objetivo é promover práticas dialógicas que produzam e qualifiquem modos empáticos de escuta e ampliem as habilidades interpessoais dos envolvidos em relação ao universo infantil. Para isso, o aporte teórico-metodológico será fundamentado na Psicologia Fenomenológica, principalmente nas contribuições de Merleau-Ponty, em diálogo com a ludoterapia conforme desenvolvida pelas psicólogas Virgínia Axline e Violet Oaklander. Outro referencial importante consiste na obra de Hannah Arendt, que considera a natalidade como uma das condições ontológicas primordiais, sendo um evento gerador de novos inícios, desencadeando ações que podem transformar a sociedade. Promover diálogos e reflexões a partir da produção dessa autora sobre Educação, tradição e formas de lidar com conflitos faz parte da proposta deste projeto de extensão, em suas diferentes modalidades de ação.

Indicadores, Metas e Resultados

- Atendimento individual em ludoterapia para crianças encaminhadas ao CAPTA com demanda de atendimento psicológico;
- atendimentos focais e esporádicos a cuidadores e familiares das crianças em acompanhamento, fornecendo apoio em seus processos;
- visitas às escolas nas quais as crianças estudam, acolhendo professores e gestores em suas dificuldades;
- planejamento e desenvolvimento de rodas de conversa com professores em escolas que se mostrarem interessadas para dialogar sobre a infância, suas especificidades e a implementação de práticas dialógicas;
- qualificação dos extensionistas, como futuros psicólogos, no âmbito da psicologia infantil.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
GIOVANA FAGUNDES LUCZINSKI2
MARCOS ROBERTO SILVA DE SOUZA

Página gerada em 25/01/2020 03:51:13 (consulta levou 0.065854s)