Nome do Projeto
Retrato público
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
16/09/2019 - 16/09/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Comunicação / Educação
Linha de Extensão
Artes visuais
Resumo
O projeto busca integrar a comunidade acadêmica e a sociedade através da experiência de participar de uma sessão de retratos, de estar diante do espelho. Como fotógrafo e servidor público proponho a experiência de ser retratado e explico presencialmente como estou compondo as fotografias, estas que estarão abertas à interpretação do público, com um olhar ambíguo que flutua entre interno- externo, externo-interno. Somos nós que nos vemos.

Objetivo Geral

Produzir retratos fotográficos da comunidade acadêmica da Universidade Federal de Pelotas e do público em geral. Propondo uma ampliação no autoconhecimento e nas relações humanas presenciais.

Justificativa

Compreendo a introspecção como um ato ativo, como um fazer ao social. Questionar-se é movimento necessário para o amadurecimento dos sentidos em busca de um equilíbrio dos extremos, propondo um matiz entre os pólos opostos, entre o que fomos, o que somos e o que pretendemos ser. Entre como nos vêem e como vemos o outro. Um ver de como estamos.
O projeto pretende através do encontro das pessoas com sua própria imagem, uma abertura para encontrar matizes nas relações humanas, ampliando assim o cuidado com o outro e o carinho com o social, um olhar no olho, um acerto de postura e um momento de silêncio.
As relações passam por um período de diminuição da presença física do sujeito e deste com a natureza. As redes sociais que tinham como objetivo inicial aproximar as pessoas, hoje influenciam no comportamento humano distanciando os seres e transformando também as relações presenciais. O autoconhecimento interno e externo, é o que se propõe no diálogo e na relação com o outro no momento em que é concebida a fotografia.
Gerar o debate com os alunos sobre a importância do retrato no fazer do fotojornalismo, é outro ponto importante a ser ressaltado. Como vemos aquele que entrevistamos e como vamos compor a expressão de sua face, o que diz ela? O que queremos dizer com ela?
Temas como a vaidade, o juízo de valor e o fanatismo que segundo a psicoterapia são os principais bloqueadores da percepção humana; serão abordados em uma conversação de proximidade onde o fotógrafo propõe na concepção da imagem um olhar que flutua entre o interno e o externo, gerando uma fotografia aberta onde o estado de ânimo fica mais próximo do estável (alegria e tristeza) do que dos extremos (euforia e depressão). Fotografias ambíguas onde a expressividade e as características da textura da pele são ressaltadas, produzindo imagens que se aproximem ao máximo do real, deste real acordado entre o que viu e o que se vê.

Metodologia

Os retratos serão realizados no estúdio de Rádio e TV da Universidade Federal de Pelotas (Campus Anglo) das 14h às 20h a princípio em todas as quartas-feiras por ordem de chegada.
O projeto contará com dois bolsistas (estagiários) que aprenderão o processo de concepção dos retratos e também ampliarão o aprendizado em fotografia.
A fotografia final, que representará o retratado, será escolhida através de uma edição dialógica, onde fotógrafo e retratado chegam a um comum acordo sobre a fotografia que será revelada.
Os participantes irão assinar uma autorização de imagem para postagem das mesmas nas redes sociais da Universidade Federal de Pelotas, no Instagram do projeto, e para uma futura exposição. As fotografias ficarão para o acervo da Universidade assim como do fotógrafo e servidor Felipe Estrela Campal.
Com o decorrer do projeto o coordenador propõe fazer cursos de extensão abertos a comunidade com intuito de arrecadar verba para materiais de consumo do estúdio.

Indicadores, Metas e Resultados

Com o desenvolvimento do projeto buscamos uma ampliação nas interpretações da comunidade sobre sua própria imagem. A identificação de como estamos, como forma de autoconhecimento e bem estar social.
Uma das metas é a inclusão da sociedade à Universidade Pública, onde os retratados possam se sentir parte do todo, gerando maior cuidado entre as pessoas, e portanto maior fluidez e bem estar social nas relações entre discentes, docentes, técnicos e a sociedade em geral.
Com a divulgação dos retratos esperamos gerar identidade imagética para as pessoas que compõem a Universidade Pública e seu entorno. É um convite a todos para doar seu tempo e sua face gerando um volume de imagens que juntas poderão ilustrar e defender o direito de todos de receber uma educação pública, democrática e de qualidade.
De acordo com o andamento do processo as fotografias serão expostas nas paredes do estúdio.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CRISTINE DOS SANTOS MIRAPALHETA
FELIPE ESTRELA CAMPAL24
JESSICA CRISTINA ALVES

Página gerada em 05/12/2020 11:58:08 (consulta levou 0.080272s)