Nome do Projeto
Moleculário - Uma Coleção de Biomoléculas
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
01/01/2020 - 31/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
O Moleculário é uma coleção de modelos moleculares, abrangendo principalmente as quatro classes estruturais de biomoléculas estudadas na Disciplina de Bioquímica: Glicídeos, Lipídeos, Aminoácidos e Nucleotídeos. O projeto prevê a confecção de modelos moleculares tomando-se como referência as representações de“esfera e bastão”, sem no entanto haver uma preocupação excessiva com tamanho de átomos e angulações das ligações entre eles, sobressaindo o caráter didático e lúdico da atividade. A proposta para a representação das biomoléculas é de que sejam realizadas utilizando-se materiais simples como esferas de isopor, palitos em madeira, plásticos, cola, tinta, entre outros. Além das biomoléculas existentes na natureza, propõe-se a confecção de moléculas hipotéticas com estrutura e função seguindo os pressupostos da Bioquímica (fármacos, moduladores de emoções, ativadores da inteligência, etc.), de forma a permitir a expressão do potencial criativo dos estudantes, bem como a vinculação do aprendizado teórico com as aplicações práticas da Disciplina. O conjunto de biomoléculas, denominado Moleculário destina-se à utilização em sala de aula, como forma de complementação dos conteúdos teóricos e práticos ministrados, bem como a divulgação científica em mostras e feiras de ciências, estando também aberto à visitação por estudantes de escolas da comunidade. Poderá, ainda, ser utilizado como Projeto didático, no qual os alunos das Disciplinas de Bioquímica são desafiados a criar novos modelos moleculares para complementar a coleção de biomoléculas.

Objetivo Geral

O objetivo geral é qualificar o processo de ensino-aprendizagem, através da confecção, para posterior uso, de modelos moleculares, a partir de materiais simples e de baixo custo. Além disso, busca-se desmistificar e popularizar a Disciplina de Bioquímica, despertando o interesse dos estudantes pela área.

Justificativa

A Bioquímica surgiu como disciplina independente no início do Séc. XX e a sua institucionalização foi particularmente impulsionada por organizações como o Instituto Kaiser Wilhelm, em Berlim, e a Universidade de Cambridge, no Reino Unido. A Bioquímica brasileira consolidou-se ao longo de décadas, chegando a ser hoje uma das áreas melhor estruturadas da ciência nacional, e que vem contribuindo com uma grande parcela da produção científica do país. As reuniões anuais que a Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq) vêm realizando ao longo de várias décadas são a prova do crescimento vigoroso da Bioquímica brasileira. Nestas reuniões, entre os temas que frequentemente tiveram espaço na programação, pela sua relevância científica e acadêmica e pelo interesse constante dos associados, está o Ensino de Bioquímica.
Entende-se que a missão social da ciência não se esgota na geração de resultados de impacto através de pesquisas bem conduzidas, em laboratórios bem equipados. Ela depende, e muito, da divulgação do conhecimento e, especialmente, dos métodos do raciocínio científico, principalmente para jovens que frequentam universidades e escolas, particularmente aqueles afastados dos grandes centros. Considera-se que é fundamental realizar pesquisa da melhor qualidade, mas também é crucial investir para desenvolver o ensino e a extensão universitária, particularmente através de métodos e procedimentos adaptados para sua execução e divulgação em lugares onde os recursos são limitados.
O mercado de trabalho apresenta-se cada vez mais exigente, sendo que as necessidades atuais exigem profissionais criativos, capazes de colaborar, expressar ideias e ter empatia. A sociedade está despertando para o fato de que o cenário atual não tem uma grande participação cidadã nas decisões. Sendo assim, a proposta da utilização da aprendizagem criativa na Universidade é integrar desde habilidades socioemocionais, aos conteúdos específicos de cada disciplina. Considerando que a criatividade é uma forma de ver o mundo, parte-se do princípio de que na aprendizagem criativa o ponto de partida é a curiosidade dos alunos, levantando uma série de perguntas para as quais buscarão respostas. O grande desafio do ensino atual é criar ambientes que permitam aos alunos explorarem os conteúdos didáticos, relacionando-os com aspectos cotidianos de suas vidas, de uma maneira inquisitiva e curiosa.
A educação em Bioquímica deve pressupor um compromisso com a cidadania, ou seja, o ensino de Bioquímica para os cidadãos deve estar centrado na inter-relação de dois componentes básicos: a informação bioquímica e o contexto social, pois para que os cidadãos participem da sociedade, precisam não só compreender a ciência, mas entender a sociedade em que estão inseridos. Acreditando nestes pressupostos, tem-se buscado a utilização de novas metodologias para dinamizar o processo de ensino-aprendizagem em Bioquímica, através, por exemplo, da elaboração de materiais lúdicos como o apresentado nesta proposta.

Metodologia

- O Moleculário é uma coleção de biomoléculas, abrangendo as quatro classes estudadas na disciplina de Bioquímica (glicídeos, lipídeos, aminoácidos e nucleotídeos). Sugere-se que a confecção das moléculas seja feita tomando-se como referência os modelos de “bola e bastão” para a representação das mesmas.
- Em relação aos materiais a serem empregados, sugere-se que sejam utilizadas esferas de isopor, palitos de churrasco ou fios elétricos rígidos, cola, tinta. O mais importante é que sejam escolhidos materiais duráveis, que não se deteriorem com o passar do tempo.
- As moléculas deverão ser escolhidas entre as classes de biomoléculas citadas acima; sugere-se ainda que sejam confeccionadas moléculas através das quais os estudantes possam expressar seu potencial criativo, bem como vincular o aprendizado teórico com as aplicações práticas da Bioquímica. Entre essas, pode-se citar moléculas existentes na natureza que apresentem importância biotecnológica ou ainda moléculas fictícias, cuja estrutura seja desenhada pelos próprios alunos, para cumprir, supostamente, uma função específica nos organismos vivos (fármacos, moduladores de emoções, ativadores da inteligência, moléculas que confiram capacidades extraordinárias ao organismo, etc.).
- Embora não deva haver preocupação em representar as moléculas em escala, tampouco de seguir orientações e angulações entre os átomos fidedignas às descrições teóricas, sugere-se que seja utilizada uma convenção padrão para cores e diâmetros dos átomos, a fim de uniformizar a coleção.
- As moléculas confeccionadas constarão em um memorial descritivo das moléculas, com identificação das mesmas, da classe e da função (em meio impresso e/ou digital).
- Cada molécula deverá ser identificada com uma etiqueta contendo informações básicas (numeração, nomenclatura), de forma a facilitar sua correspondência no memorial descritivo.
- À medida que os modelos moleculares forem confeccionados, passarão a integrar a coleção de biomoléculas denominada "Moleculário", sendo destinadas ao uso como material complementar aos conteúdos teóricos e práticos, à visitação por estudantes de escolas de ensino médio e também à participação em eventos de divulgação e popularização da ciência.

Indicadores, Metas e Resultados

- Atrair a atenção dos estudantes para a disciplina de Bioquímica, de forma lúdica;
- Qualificar o processo de ensino-aprendizagem, de forma a incrementar o rendimento dos alunos;
- Estimular os alunos a correlacionar assuntos teóricos com aplicações práticas dos conteúdos, indo além do que é estudado na sala de aula;
- Instigar a criatividade e a imaginação dos estudantes;
- Proporcionar aos estudantes a descoberta e/ou desenvolvimento de potenciais habilidades artísticas inexploradas;
- Vincular afetivamente os estudantes, entre si e com o professor, como forma de potencializar a troca de saberes e de desenvolver habilidades socioemocionais;
- Popularizar a Bioquímica, como ciência e como disciplina acadêmica, desmistificando a imagem de que é uma ciência distante do cidadão comum.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA LUCIA SOARES CHAVES4
CAMILA DOS SANTOS PINHEIRO
CAROLINA MÜLLER CARDOSO
DENISE DOS SANTOS COLARES DE OLIVEIRA6
EDUARDA SOARES DA SILVA
GABRIELA HÖRNKE ALVES
LUIZ FILIPE BASTOS MENDES
QUÉDINA PIEPER
RODRIGO PRATO PINTO

Página gerada em 01/07/2022 22:11:10 (consulta levou 0.069968s)