Nome do Projeto
Potencial Fisiológico de Sementes de milho armazenadas hermeticamente
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
25/12/2019 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Este trabalho é uma prorrogação do projeto com mesmo nome e número no COCEPE 8546. Considerando a dificuldade de preservação da qualidade fisiológica de sementes de milho, no armazenamento em condições ambientais não controladas, mesmo a curto prazo, o acondicionamento das sementes em embalagens herméticas pode se constituir em alternativa viável para a manutenção da longevidade. Avaliar o potencial fisiológico de sementes de milho armazenadas hermeticamente, monitorando o comportamento das sementes acondicionadas nas embalagens herméticas em ambiente não controlado. Verificar se a embalagem hermética tem capacidade de proporcionar pelo menos a mesma longevidade para as sementes de milho acondicionadas em câmara fria, obtendo assim uma viabilidade econômica das embalagens herméticas para a empresa. O trabalho está sendo conduzido em conjunto com a Sementes Pioneer e dividido em três etapas: a primeira etapa consiste em avaliar e ranquear a qualidade fisiológica de 50 acessos de sementes de milho em dois níveis de vigor e será realizado no laboratório de sementes da Universidade Federal de Pelotas. Serão realizadas análises como: teor de água, germinação, emergência em campo, teste de frio, condutividade elétrica e envelhecimento acelerado. A etapa seguinte foi selecionar 30 acessos, das 50 analisadas, de sementes de milho de diferentes níveis de qualidade fisiológica e submetê-las a uma simulação de ambiente desfavorável ao armazenamento pelo período de 90 dias. Será simulado a pior condição adversa de armazenamento da empresa sementeira. As análises realizadas para esta etapa serão as mesmas já realizadas na etapa anterior: teor de água, germinação, emergência em campo, teste de frio, condutividade elétrica e envelhecimento acelerado. A terceira etapa finaliza com a seleção de 30 acessos de sementes de milho, armazenadas de três formas diferentes; papel em ambiente não controlado, papel em câmara fria e embalagem hermética no interior da embalagem de papel armazenadas também em ambiente não controlado. Nesta etapa final serão realizadas o acondicionamento de 60.000 sementes de milho em cada embalagem e armazenadas em uma das unidades da empresa Pioneer, localizada na região do centro-oeste do Brasil iniciado em 2020 com coletas para análise da qualidade fisiológica a cada 20 dias e avaliadas no laboratório. Para esta etapa final, serão mantidas as mesmas análises já realizadas.

Objetivo Geral

Avaliar o potencial fisiológico de sementes de milho armazenadas hermeticamente, monitorando
o comportamento das sementes acondicionadas nas embalagens herméticas em ambiente não
controlado.

Justificativa

O milho (Zea mays L.) possui grande importância socioeconômica no cenário mundial,
movimentando bilhões de dólares, além da sua ampla utilização na alimentação humana e animal.
Atualmente, o Brasil ocupa o terceiro lugar na produção mundial de milho, ficando atrás apenas dos
Estados Unidos e da China (CARVALHO, 2015). A produção nacional desse cereal é estimada em
torno de 93,835 milhões de toneladas para a safra 2016/2017 (CONAB, 2017).
Para se obter produções dessa magnitude é necessário o uso de sementes de boa qualidade,
este requisito é fundamental e de grande valia para o sucesso no estabelecimento dos cultivos
(SILVA et al., 2008). No entanto, a garantia da qualidade das sementes é determinada pela interação
entre atributos fisiológicos, sanitários, genéticos e físicos, os quais interferem diretamente no
potencial de desempenho em campo e durante o armazenamento (MARCOS FILHO, 1999).
Uma empresa produtora de sementes deve ter constante preocupação com a qualidade das
sementes produzidas, buscando sempre manter essa qualidade ao longo do armazenamento
(PESKE et al., 2012). Durante o processo de armazenamento, a deterioração das sementes é
irreversível, todavia a velocidade do processo pode ser minimizada por meio de procedimentos
adequados. A redução da velocidade de deterioração das sementes é prioridade durante o
armazenamento. Assim, sua função é manter a qualidade das sementes durante o período em que
estas ficam armazenadas (VILLELA & MENEZES, 2009).
As condições ideais para a conservação das sementes são aquelas em que as suas atividades
metabólicas são reduzidas ao mínimo, mantendo-se baixa a umidade relativa e temperatura no
ambiente de armazenamento (PEDROSA et al., 1999).
A deterioração da semente também está relacionada às características do tipo de embalagem
que as contêm, pois existem materiais que não oferecem resistência às trocas gasosas de vapor
d’água, entre as sementes e a atmosfera, representando as embalagens permeáveis, as resistentes a
esta movimentação de vapor d’água e as embalagens herméticas ou impermeáveis, que não
permitem essa troca (MARCOS FILHO, 2015).
Considerando a dificuldade de preservação da qualidade fisiológica de sementes de milho, no
armazenamento em condições ambientais não controladas, mesmo a curto prazo, o
acondicionamento das sementes em embalagens herméticas pode se constituir em alternativa viável
para a manutenção da longevidade.

Metodologia

O trabalho esta sendo conduzido em conjunto com a Sementes Pioneer e dividido em três etapas: a
primeira etapa consiste em avaliar e ranquear a qualidade fisiológica de 50 acessos de sementes de
milho em dois níveis de vigor e será realizado no laboratório de sementes da Universidade Federal de
Pelotas. Serão realizadas análises como: teor de água, germinação, emergência em campo, teste de
frio, condutividade elétrica e envelhecimento acelerado.
Teor de água: será utilizado o método oficial de estufa 105ºC/24h adotado pelas Regras de
Análise de Sementes no Brasil.
Germinação: será realizado utilizando quatro repetições com 50 sementes, em rolos de papel
germitest umedecidos, previamente, com água destilada na proporção de 2,5 vezes o peso do papel.
Os rolos serão colocados no germinador com temperatura de 25°C. A primeira e segunda contagem
será realizada aos cinco e nove dias, respectivamente, de acordo com as Regras para Análise de
Semente (BRASIL, 2009).
Emergência das plântulas em campo: será realizado com quatro repetições de 100 sementes por
lote. As sementes serão semeadas a 3 cm de profundidade, em sulcos com 5m de comprimento e
distanciados de 0,50m entre si. A leitura será feita aos 21 dias após a semeadura, computando-se as
plântulas emergidas (NAKAGAWA, 1994).
Teste de frio: será realizado, conforme descrito por BARROS et al., (1999), utilizando quatro
repetições de 50 sementes de cada material analisado, em rolo de papel germitest umedecido com
água destilada na proporção de 2,5 x o peso do papel. Os rolos de papel, acondicionados em sacos
plásticos, serão mantidos à temperatura de 10°C por período de sete dias. Depois desse período os
rolos passarão para germinador sendo o teste conduzido conforme descrito para o teste de
germinação.
Condutividade elétrica: será utilizado quatro repetições de 50 sementes, pesadas em balança de
precisão de 0,001g e colocadas para embebição em copos de plástico (capacidade de 200 mL)
contendo 75 mL de água destilada, durante 24 horas, a temperatura de 25°C e leitura realizada em
condutivímetro de laboratório modelo DM-32 (MARCOS FILHO et al., 1987).
Teste de envelhecimento acelerado: seguindo a metodologia descrita por Marcos Filho (2015),
empregando quatro repetições, distribuídas em camada única de sementes sobre telas de alumínio,
suspensas no interior de caixas plásticas do tipo gerbox adaptadas, funcionando como
compartimentos individuais (minicâmaras), sendo adicionados 40 mL de água e as caixas gerbox
mantidas em uma estufa incubadora (tipo B.O.D.), a temperatura de 42°C, por 48h. Após este
período, segue-se o mesmo procedimento do teste de germinação, com avaliação aos cinco dias
após a semeadura.
A etapa seguinte foi selecionar 30 acessos, das 50 analisadas, de sementes de milho de
diferentes níveis de qualidade fisiológica e submetê-las a uma simulação de ambiente desfavorável
ao armazenamento pelo período de 90 dias.
Esta etapa será também realizada no laboratório de sementes da Universidade Federal de
Pelotas com a distribuição em camada única de sementes sobre telas de alumínio, suspensas no
interior de caixas plásticas do tipo gerbox adaptadas, funcionando como compartimentos individuais
(minicâmaras), sendo adicionados soluções de sais em ambiente com temperatura que simule a pior
condição adversa de armazenamento da empresa sementeira. As análises realizadas para esta etapa
serão as mesmas já realizadas na etapa anterior: teor de água, germinação, emergência em campo,
teste de frio, condutividade elétrica e envelhecimento acelerado.
A terceira etapa esta sendo conduzida, devido a isso essa prorrogação, com 30 amostras armazenadas de três formas diferentes; papel em ambiente não controlado, papel em câmara fria e embalagem hermética no interior da embalagem de papel armazenadas também em ambiente não controlado. Nesta etapa final serão realizadas o acondicionamento de 60.000 sementes de milho em cada embalagem e armazenadas em uma das unidades da empresa Pioneer, localizada na região do centro-oeste do Brasil, com
coletas para análise da qualidade fisiológica a cada 20 dias e avaliadas no laboratório da
Universidade Federal de Pelotas.
Para esta etapa final, serão mantidas as mesmas análises já realizadas, teor de água,
germinação, emergência em campo, teste de frio, condutividade elétrica e envelhecimento acelerado.
Delineamento experimental e análise estatística
Será utilizado delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições,
distribuídas em parcelas sub-subdivididas (3x2x3), constando na parcela principal dois níveis de
vigor, na subparcela as três condições de armazenamento e na sub-subparcela os três períodos de
armazenamento. Os dados de germinação, envelhecimento acelerado, teste de frio e emergência em
campo serão submetidos à transformação arco seno, antes da análise da variância.
Os dados serão submetidos a análise de variância e quando significativos, as médias serão
comparadas pelo teste de Tukey ao nível de 5% (p≤0,05) de probabilidade. Para realizar o
procedimento estatístico, será utilizado o programa Sisvar.

Indicadores, Metas e Resultados

Com a execução do referido projeto espera-se identificar resultados semelhantes das sementes de milho acondicionadas nas embalagens herméticas e papel em câmara fria. Apresentando uma maior qualidade fisiológica e uma maior longevidade das sementes, quando comparadas ao acondicionamento das sementes de milho em embalagens de papel e armazenadas em ambiente não controlado.
O resultado esperado irá contribuir em questões financeiras da empresa, evitando um gasto de energia bem significativo, podendo as câmaras frias serem substituídas pelas embalagens hermética.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉ FERNANDES CAPILHEIRA
GIZELE INGRID GADOTTI2
HENRIQUE LEITZKE PADÃO
ISABELLA BRANDÃO MOREIRA
JAQUELINE VOIGT WEISER
NAIANE DE ALMEIDA REIS
PEDRO RODRIGUES BRISOLARA DA CUNHA
Vinícius Marth Brodt

Página gerada em 19/04/2024 15:58:17 (consulta levou 0.130054s)