Nome do Projeto
Entreoitavas - Conjunto Instrumental
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
25/03/2020 - 05/10/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Música
Resumo
O Projeto Entreoitavas – Conjunto Instrumental, voltado para de crianças de 7 a 9 anos de idade da comunidade de Pelotas, possibilita experiências que desenvolvem tanto conhecimentos musicais quanto a interação e socialização de seus participantes. Joly e Joly (2011), ao questionar o que “é uma orquestra como ambiente de ensino e aprendizagem e como se dá, nela, esse diálogo, explica: Ela parece favorecer o desenvolvimento de relações afetivas, de processos criativos, de desenvolvimento da imaginação e da sensibilidade auditiva proporcionando, o tempo todo, um diálogo dos músicos entre si, dos músicos com as regentes, dos músicos com os arranjadores, dos músicos com o público e, finalmente, de cada músico consigo mesmo. (p.81). Este Projeto, realizado conjuntamente à disciplina de Orientação e Pratica Pedagógico-Musical III do Curso de Música Licenciatura desta Universidade, possibilita aos acadêmicos realizar observações, planejamentos, ações, experiências pedagógico musicais, reflexões compartilhadas entre/com professora-acadêmicos-crianças. Esta abordagem permite amalgamar teoria e a prática. Conforme Diniz (2018) “A formação de professores terá mais sentido se for realizada por dentro ou o mais próximo possível das situações reais que um professor vive a cada dia”. (p.193). JOLY, Maria Carolina Leme; JOLY, Ilza Zenker Leme. Práticas musicais coletivas: um olhar para a convivência em uma orquestra comunitária. REVISTA DA ABEM: Londrina, v.19, n.26, 79-91, jul.dez 2011. (pp. 79-91) DINIZ, Lélia Negrini. Processos de uma experiência de docência: ensinando e aprendendo a ser professor de música. 2018. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Educação, Pelotas, BR-RS, 2018.

Objetivo Geral

Possibilitar às crianças formação musical a partir experiências e práticas em conjunto e

Realizar ações que proporcionem experiências pedagógico-musicais aos acadêmicos.

Justificativa

Este Projeto justifica-se por considerar, assim como Hentschke, apud Joly (2003), que a Educação Musical abre para a possibilidade das crianças desenvolverem [...] suas sensibilidades estéticas e artísticas, o desenvolvimento da imaginação e do potencial criativo, um sentido histórico da nossa herança cultural, meios de transcender o universo musical de seu meio social e cultural, o desenvolvimento cognitivo,
afetivo e psicomotor, o desenvolvimento da comunicação não-verbal. (p. 117)
No Conjunto Instrumental as aprendizagens se dão em diferentes momentos e, assim como afirma Joly e Joly (2011), “a partir da convivência, nos mais variados aspectos que surgem nas oportunidades de ensaios, viagens, festa do grupo e concertos.
Esses processos educativos são de natureza musical, cultural e humana”. (Joly e Joly (p. 80).
Em relação aos acadêmicos, ao aprender entre pares com crianças e com um professor de referência, os futuros
professores, têm a possibilidade de “uma experiência viva, consistente, contextual, significativa, articulada e complementar de rmação” (Diniz, 2018, p.193)

JOLY, Ilza Zenker Leme. Educação e educação musical: conhecimentos para compreender a criança e suas relações com a música.
In: HENTSCHKE, Liane; DEL BEN, Luciana (Orgs). Ensino de Música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo:
Moderna, 2003.

Metodologia

O Projeto de Extensão Entreoitavas – Conjunto Instrumental será realizado conjuntamente às aulas de Orientação e Prática Pedagógica musical III e tem dupla função: possibilitar às crianças uma formação musical a partir da vivência musical em conjunto e realizar ações que proporcionem experiências pedagógico-musicais aos acadêmicos.
Para tanto, as crianças em idade de 7 a 9 anos terão um encontro semanal de 60 minutos com o propósito de fazer música.
O planejamento e as aulas seguem alguns princípios da Metodologia Orff-Shulwerk onde o movimento, o canto e o trabalho instrumental são inseparáveis de tal forma que somos participantes ativos como afirmou Carl Orff . Desta forma, as aulasserão práticas envolvendo a vivência corporal; a apreciação; o canto e, a execução instrumental, a criação. O Projeto conta com o
instrumental ORFF disponível no Laboratório de Educação musical: instrumentos de percussão de altura determinada (xilofones;
metalofones) e instrumentos de percussão de altura indeterminada.
O Projeto prevê três etapas que serão realizadas conjuntamente com os acadêmicos do cursos de Música-Licenciatura na disciplina de Orientação e Pratica Pedagógica em Música III (OPPM III):
1. PREPARAÇÃO/PLANEJAMENTO dos encontros com as crianças
• Escolha e estudo do repertório
• Preparação das abordagens de apresentação do repertório e dos conteúdos
• Fundamentação teórica
2. EXECUÇÃO• Chegada das crianças e as aulas – as aulas partilhadas entre (crianças-acadêmicos-professora/coordenadora
3. REFLEXÃO FUNDAMENTADA
• Sobre a ação
• Avaliação e planejamento a partir de cada aula
Carl Orff. El Shulwerk – Pasado y Futuro. In: textos sobre Teoria y Prática del Orff-Schulwerk. Orff-Schulwerl Forum Salsburg. (p.
47-56)

Indicadores, Metas e Resultados

•Duas apresentações musicais uma no final do primeiro semestre e outra no final do segundo semestre ambas abertas para a comunidade. Nestas apresentações musicais serão apresentados os resultados musicais da segunda etapa.
Elaboração de arranjos do repertório e de materiais didáticos que auxiliem nas aulas das crianças.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JOAO ALEXANDRE STRAUB GOMES6
LELIA NEGRINI DINIZ6
SALATIELE DA ROSA GOMES

Página gerada em 30/06/2022 22:00:13 (consulta levou 0.070149s)