Nome do Projeto
Redes Rurais: Formação, evolução, governança e configurações
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
28/02/2020 - 31/03/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
As redes interorganizacionais são definidas como grupos de organizações com interesses comuns, que se unem para a melhoria da competitividade a partir da prática da cooperação. Esse conceito é aplicado a diferentes configurações interorganizacionais, como joint ventures, alianças estratégicas, relações de terceirização e subcontratação, distritos industriais e redes sociais (BRAGA, 2010;CROPPER et al., 2014). Esses novos modelos organizacionais, mais horizontalizados e menos hierarquizados, em formato de redes de relacionamento, são necessários para que todos os agentes envolvidos sejam beneficiados no sentido de conquistarem maior participação no mercado que já atuam e, até mesmo, atingirem novos (FELDHAUS, PEREIRA e MORAIS, 2012). Conforme apresenta Macedo (2009), são exemplos de redes interorganizacionais no setor da produção da carne bovina: Aliança Mercadológica; Montana Premium Beef; Programa Carne Angus Certificada. Como exemplos internacionais de redes interorganizacionais entre agentes da indústria da carne citam-se: Alianza del Pastizal, programa de fomento à pecuária sustentável com atuação no Pampa Gaúcho e áreas do Uruguai, Argentina e Paraguai; Certified Angus Beef (CAB) arranjo que opera como uma divisão da Associação Americana de Angus; Rancher’s Renaissance, aliança formada por criadores de bovinos, confinadores e empresa frigorífica, abrangendo regiões dos Estados Unidos e Canadá; Decatur Beef Alliance organização que direciona sua produção aos programas de marcas existentes que operam junto ao frigorífico Excel, tais como - Angus Beef, Sterling Silver, e Rancher’s Renaissance (SCHROEDER e KOVANDA, 2003).

Objetivo Geral

Dentro do foco estabelecido de pesquisar as redes do agronegócio, um primeiro objetivo mais amplo é o de compreender os processos de formação e evolução delas. Um segundo objetivo mais amplo associado a este projeto é de se estudar o processo de gestão destas redes através da compreensão das estruturas de governança e as configurações de praticas e instrumentos de gestão destas redes.

Mais especificamente, quanto a compreensão da formação e evolução das redes objetiva-se inicialmente:

• Descrever a formação e evolução das redes das redes do agronegócio. • Identificar a sequência e classificar os eventos ocorrido nas redes pesquisadas; • Identificar e classificar as mudanças nos relacionamentos ocorridos entre os atores participantes de redes após a ocorrência de eventos.
Quanto a compreensão da gestão das redes objetiva-se inicialmente:

• Descrever os modos de governança presentes nas redes do agronegócio; • escrever as estruturas e instrumentos de governança utilizados em redes de economia solidária; • Comparar os casos de redes estudadas e identificar similaridades e diferenças entre elas • Descrever a trajetória de evolução das redes e identificar as mudanças ocorridas nos relacionamentos interorganizacionais entre os participantes de redes.

Justificativa

Apesar dos exemplos anteriormente expostos, as redes interorganizacionais relativas agronegócio enfrentam barreiras para se consolidarem. Constata-se uma fraca coordenação entre os atores, tendo como consequências negativas a dificuldade do compartilhamento de informações, resistência à formalização de compromissos, a falta de confiança entre os agentes.

Nesse sentido, torna-se importante identificar como estas redes são criadas, quais as barreiras e facilitadores estão presentes na formação e evolução destas redes, quais fatores contribuem para as mudanças e quais os impactos que provocam na rede e como estas redes são governadas e quais configurações assumem, contribuindo assim com a teoria e a prática da estratégia de redes.

Metodologia

Estratégias e métodos de pesquisa

Será desenvolvido um estudo exploratório de natureza descritiva, buscando atingir maior proximidade em relação ao fenômeno a ser investigado através da descrição da realidade observada. Conforme argumenta GODOY (1995) é através de dados descritivos que o pesquisador apreende, por meio dos eventos observados na pesquisa de campo, todas as manifestações e informações fornecidas, direta e indiretamente pelos sujeitos. Segundo o mesmo autor, o caráter qualitativo adotado para as pesquisas é bastante indicado para estudar casos que envolvem os seres humanos e suas relações sociais. Adicionalmente, na visão de MALHOTRA (2001), a abordagem qualitativa proporciona uma melhor visão e compreensão do contexto do problema.
Na pesquisa qualitativa, o estudo de caso permite que se analise a natureza da unidade em profundidade, através de documentos históricos, coleta de dados e observações. O uso do método de estudo de caso é adequado quando, no estudo pretendido, se colocam questões do tipo “como” e “por que” e quando a pesquisa se direciona a fenômenos contemporâneos, dentro de um contexto real (YIN, 2001).
A escolha de uma estratégia qualitativa de pesquisa leva em conta que o objeto principal das Ciências Sociais é histórico, ou seja, é compreender os fatores dinâmicos através dos quais uma sociedade se forma e se desenvolve, isto é, como ela se estrutura. Assim, a pesquisa social relaciona o pesquisador com o seu objeto de estudo, fazendo com que ele se torne parte integrante do processo (MINAYO, 2009). A pesquisa terá natureza longitudinal, visto que se pretende abordar a evolução do objeto a ser estudado, através da análise das mudanças mais significativas, que ocorreram no período de tempo compreendido entre a formação e o estágio atual em que se encontram as redes interorganizacionais (FLICK, 2009).

Redes a pesquisar
Especificamente para este trabalho, será adotado o método de estudo multicasos, já que o objeto a ser pesquisado é composto por dois casos de redes interorganizacionais localizados em diferentes regiões do Estado do Rio Grande do Sul (Brasil) - Lavras do Sul, CITE nº 27 e Campos de Cima da Serra, CITE nº 120.

Atores a Entrevistar
Em cada CITE serão entrevistados - o presidente e mais três integrantes.

Coleta de dados
A coleta de dados será feita através de entrevistas semi estruturadas e de fontes documentais – regulamentos, atas de reuniões, fotografias e demais relatórios disponíveis para consulta.

Questões para análises dos dados
A coleta de dados buscará responder as questões: Como surgiu e evoluiu a rede? Uma segunda pergunta introdutória será a seguinte: Quais os eventos que condicionaram o desenvolvimento da rede? Esta questão terá por objetivo relacionar uma sequencia de eventos que podem ter afetado a evolução da rede. Como elementos complementares para a coleta de dados foram estabelecidas as
microfundações propostas por Ahuja et al (2012), os quais são direcionadores da evolução das redes, e que no contexto de pesquisa está se associando a possíveis tipos de eventos que podem ter influenciado a trajetória da rede. São eles: agência, oportunidade, inércia (internos a rede) e fatores exógenos aleatórios (externos a rede).
Após a análise das entrevistas e dos documentos, será necessário combinar as várias percepções sobre os eventos chave, com o propósito de criar uma interpretação confiável dos eventos ocorridos na rede estudada, conforme recomendação de Halinen,Törnroos e Elo (2013). Uma vez construída a interpretação dos eventos que afetaram a rede, serão analisados os processos que se alteraram. Uma pergunta geral norteará a coleta de dados: O que foi alterado na rede após a ocorrência de cada evento? Como categorias de apoio a este questionamento mais central foram escolhidas três categorias de análise sobre as possíveis mudanças, conforme proposto por Halinen, Törnroos e Elo (2013), são elas: mudanças nos relacionamentos, mudanças nas combinações de recursos e mudanças nas atividades da rede.
Com o propósito de se compreender as possíveis mudanças nos relacionamentos, foram escolhidas as três perspectivas de Gluckler (2007) – seleção, retenção e variação. Com relação às duas outras categorias (combinação de recursos e atividades da rede), não foram definidos detalhamentos de análise, portanto se adotará uma postura indutiva para as suas análises.

Análise dos dados
A análise dos dados será de conteúdo. A análise de conteúdo pode ser considerada um aglomerado de estratégias de análise das intercomunicações e objetiva descrever o conteúdo das mensagens ditas, dos documentos e comportamentos analisados, pois é capaz de abranger diversos modos de observação, tais como: demonstrar o “não dito” em uma entrevista semi estruturada, mensurar a profundidade de discursos, localizar o inconsciente coletivo, entre outras (BARDIN, 2013).
A análise das entrevistas e dos documentos será realizada através do software NVivo, onde serão elaboradas categorias de acordo com o que se pretendeu analisar em cada uma das perguntas elaboradas na seção 3.2.4. O tratamento dos resultados será realizado através da interpretação do conteúdo dos materiais analisados, tais como regimento das redes estudadas e as entrevistas realizadas.

Indicadores, Metas e Resultados

As metas são a elaboração de uma dissertação de mestrado e redação de dois artigos para publicação em congresso e em revistas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLEIDSON NOGUEIRA DIAS
Douglas Wegner
LILIANA MARCELA SCOPONI
MARCELO FERNANDES PACHECO DIAS8
VINICIUS BENTO DOS SANTOS

Página gerada em 22/09/2021 02:29:20 (consulta levou 0.410881s)