Nome do Projeto
PROMOGEO: PROdução de MOdelos físicos por fabricação digital da GEOmetria complexa da arquitetura.
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
01/05/2020 - 01/05/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Resumo
As disciplinas de geometria da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo abordam exercícios de representação gráfica a partir do sistema paralelo de projeção, sistematizado pela geometria descritiva. Por tradição os exercícios de geometria descritiva se estruturam a partir de traçados desenvolvidos com instrumentos de desenho técnico (régua, jogo de esquadros, compasso) para a construção das representações em épura, visando atribuir precisão aos desenhos. As disciplinas de geometria descritiva do antigo currículo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo não estavam direcionadas para a habilitação no desenho com traçados à mão livre e pouco se investia na produção de modelos físicos como apoio a tais atividades de representação. A partir de estudos dirigidos desenvolvidos em tais disciplinas, foi possível compreender que estas duas atividades são de fundamental importância para o desenvolvimento da percepção espacial e de competências para a representação gráfica, principalmente em se tratando do estudo de geometrias complexas. A execução de tais modelos físicos por meios tradicionais exige muito tempo, resultando em pouco rendimento em sala de aula. Nesse contexto, a partir do ano de 2011 e ao longo de cada edição das disciplinas foram sendo adotados exercícios de produção de modelos digitais tridimensionais com o objetivo de aproximação da experiência concreta de geração, visualização e operação com as figuras geométricas. Em Pires, Nunes, Vasconcelos e Borda (2011), tem-se o relato da evolução das estratégias didáticas iniciais para a inserção das técnicas computacionais usadas para a produção dos modelos digitais em paralelo ao uso de traçados a mão livre e com instrumentos de desenho técnico, para o estudo da geometria complexa de obras de arquitetura. Em Pires, Borda, Peronti e Osmaré (2014), tem-se o relato de exercícios de produção de modelos físicos na disciplina de Geometria Gráfica e Digital 2 (GGD 2), a partir de modelos digitais, utilizando-se técnicas de confecção tradicionais. Esta disciplina se dedica ao estudo das superfícies curvas empregadas na arquitetura. Em Vasconselos, Vecchia e Borda (2014) os mesmos tipos de exercícios são relatados, adicionando-se os resultados da adoção das técnicas de desenho paramétrico. Atualmente, em estrita relação com o desenho paramétrico, tem-se as técnicas de fabricação digital (PUPO e CELANI, 2008), que facilitam a fabricação de modelos complexos, podendo vir assim a potencializar os exercícios de representação da disciplina em questão. Os resultados de experimentações com tais técnicas em uma disciplina de pós-graduação associados ao estudo de geometrias complexas da arquitetura contemporânea, durante o desenvolvimento de doutoramento do proponente deste projeto, contribuíram para o reconhecimento do saber envolvido na modelagem paramétrica e na fabricação digital de tais geometrias e de suas aplicações no ensino de arquitetura. A partir de tais estudos foi possível também compreender a importância de abordar tais tecnologias simultaneamente aos estudos da geometria da arquitetura.

Objetivo Geral

Oportunizar aos estudantes momentos didáticos de aprendizagem em técnicas de fabricação digital das geometrias complexas estudadas nas disciplinas de geometria da arquitetura e desenvolver abordagens didático-pedagógicas para a adoção de tais técnicas no ensino de arquitetura.

Justificativa

A importância deste projeto pode ser justificada pela necessidade de atualização das práticas de representação, as quais irão refletir nas ações didáticas nesta área de conhecimento, especialmente as relativas à produção de modelos físicos como suporte a visualização espacial e a capacidade de construção de protótipos de geometrias complexas. A atualização em técnicas de fabricação digital também se torna importante para práticas contemporâneas de projeto, devido ao fato de que, na prática profissional atual, o desenvolvimento de projeto é guiado pelo emprego em conjunto das técnicas de modelagem, simulação e fabricação digital.

Metodologia

A metodologia abarca as seguintes etapas:
1) Revisão Bibliográfica: Revisão sobre as técnicas de fabricação digital, suas características e especificidades quanto as seus condicionantes e parâmetros de execução. Nesta etapa também serão selecionados os modelos a serem executados por fabricação digital (impressão 3D e corte a laser);
2) Reconhecimento das técnicas e tecnologias: esta etapa abrange um estudo dirigido ao reconhecimento dos equipamentos de produção, seu funcionamento e softwares de configuração dos modelos digitais.
3) Revisão dos modelos: serão desenvolvidas análises quanto ao número de polígonos dos modelos digitais, a duplicação de linhas e o tamanho dos arquivos. Serão também estudadas e exploradas soluções que visem à adequação dos modelos quanto aos parâmetros citados e os demais parâmetros reconhecidos na etapa anterior. Simultaneamente, serão desenvolvidas atividades adicionais de modelagem, visando adequar tais modelos aos requisitos das técnicas e tecnologias de fabricação digitais;
4) Execução dos modelos: Esta etapa abrange a execução em si, a partir do desenvolvimento das etapas anteriores. Serão registrados todos os eventuais problemas e soluções adotadas durante a execução dos modelos, assim como tempo de execução de cada um, visando construir referenciais tanto para a prática docente como apoio as próprias atividades do laboratório de estudos de representação gráfica digital (GEGRADI/FAURB).
5) Validação dos modelos: Visando construir um referencial para potencializar a atividade de projeto, nesta etapa os modelos serão avaliados quanto à adequação tanto da modelagem em si desenvolvida nas disciplinas como a adequação das técnicas de execução adotadas para cada modelo.

Indicadores, Metas e Resultados

Os resultados esperados são: Registro dos processos desenvolvidos para orientar as práticas em fabricação digital; Reconhecimento e apropriação pelos estudantes das técnicas e tecnologias exploradas durante os processos de produção dos modelos; Sistematização das práticas desenvolvidas para o apoio aos processos de aprendizagem em gráfica digital, aplicados à representação e ao projeto de arquitetura.
Os impactos e metas esperados são: Qualificação das práticas didáticas desenvolvidas com tecnologias digitais nas disciplinas de Geometria e Gráfica Digital; Difusão das tecnologias de fabricação digital junto ao corpo discente e a própria comunidade acadêmica e contribuição para a geração de uma coleção de modelos de apoio às atividades didáticas das disciplinas que enfocam a geometria na arquitetura.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNNA PEREIRA DE OLIVEIRA
BRYAN FONSECA ORTIZ
CAMILA DA SILVA PORTO
CAMILA RUTZ GOLDBECK
CINTIA GRUPPELLI DA SILVA2
CRISTIANE DOS SANTOS NUNES
IGOR CORREA KNORR
JANICE DE FREITAS PIRES2
JULIA SOLDERA RIBEIRO
LINEKER FERREIRA FRANCO
MARINA DE ARMAS RODRIGUES
MARINA LOPES BARRA
RAISCHA HOLZ RIBAK
SAMANTA QUEVEDO DA SILVA
THALIA DE PAULA GARCIA
THANIZE OLMEDO DA SILVEIRA
VICTORIA SECCO PIZZIRANI

Página gerada em 01/07/2022 23:03:49 (consulta levou 0.086831s)