Nome do Projeto
A Educomunicação no Desenvolvimento de Podcasts
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
21/03/2020 - 23/03/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Comunicação / Educação
Linha de Extensão
Jornalismo
Resumo
O projeto “Rádio na mão” na área de Educomunicação, do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Pelotas, contempla oficinas que serão realizadas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) campus Rio Grande e Pelotas. O objetivo do projeto consiste em propiciar aos alunos do IFRS e IFSUL a usar técnicas jornalísticas para a produção de conteúdo radiofônico. Muito se falou já da morte do rádio, que ele seria esquecido por causa da televisão, entretanto, isso nunca aconteceu, ao contrário, a linguagem radiofônica vem ganhando força nos últimos tempos. Principalmente com a produção de podcasts. que abordam os mais variados temas e se encaixam no dia a dia corrido da população brasileira, já que esses programas podem ser ouvidos enquanto as pessoas estão fazendo outras atividades, como indo para o trabalho ou para a escola que abordam os mais variados temas e se encaixam no dia a dia corrido da população brasileira, já que esses programas podem ser ouvidos enquanto as pessoas estão fazendo outras atividades, como indo para o trabalho ou para a escola, dentro do transporte público, enquanto fazem exercícios físicos, entre outras. A produção será realizada através dos aparelhos celulares dos estudantes, que gravarão todos os áudios através deles. Os alunos se reunirão em grupos de trabalho, com quatro a seis integrantes, e ao longo dos encontros irão produzir reportagens, com duração de quatro à oito minutos, que fazem parte de um programa de podcast criado por eles, intitulado Rádio na Mão. O foco do programa é tratar sobre pautas que retratam o meio escolar que os alunos da instituição vivem diariamente, por exemplo, as dificuldades que eles enfrentam para continuar estudando como ansiedade, dificuldades no convívio entre os alunos e até mesmo racismo.

Objetivo Geral

-Realizar programas radiofônicos com pautas de interesse dos alunos.

Justificativa

A Educomunicação é uma forma de educar que abrange as áreas da
educação e da comunicação, sendo um conceito complexo de ser definido de
maneira única. No artigo “Educomunicação: origens e conexões de uma nova área
de conhecimento”, os autores Marques e Borges (2016) afirmam que “a
Educomunicação se define como uma área de conhecimento transdisciplinar e
interdiscursiva, a qual tem como base o diálogo entre os campos da comunicação e
educação, porém não se limita a eles”. Muitas pessoas, inclusive aquelas que
trabalham com educação, desconhecem a Educomunicação ou pensam que é
apenas o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), porém Marques
e Borges (2016) deixam claro que a Educomunicação é muito mais que isso.
O processo de educar através da Educomunicação vai além de usar essas
tecnologias, pois não basta apenas colocar computadores dentro da sala de aula, é
preciso fazer com que os alunos os utilizem para a produção de conteúdos, que
façam eles refletirem sobre diversos assuntos, inclusive sobre a realidade em que
estão inseridos. Esses conteúdos podem ser dos mais diversos, desde que sejam
da área da comunicação, como programas de rádio, de televisão, jornais, conteúdos
para blog, entre outros.
No caso da aplicação de projetos, como o Rádio na Mão, a Educomunicação
se torna uma forma de relacionar os conteúdos que os alunos já aprendem dentro
da sala de aula com a produção de conteúdos audiovisuais. Dessa forma, eles
aprendem a trabalhar em grupo, refletem sobre o meio ambiente que estudam e
vivem e sobre problemas enfrentados em sua comunidade. Silva Et al. afirmam que
a elaboração desses conteúdos fazem com que os estudantes passem de
receptores para emissores. Dessa forma, eles se tornam responsáveis por essas
informações que transmitem, e é assim que eles se tornam protagonistas da
comunicação.
O podcast é outro conceito relevante para o projeto, sendo definido com um
arquivo de áudio transmitido através de plataformas na internet, que possui um
tempo específico e permite a difusão de informações e conteúdos de
entretenimento. Além disso, o podcast pode ser considerado um programa de rádio
e também pode ser vinculado a ela. De acordo com Moura e Carvalho (2006) o
termo podcast é o resultado da combinação das palavras “Ipod”, dispositivos
portáteis de reprodução de áudios e vídeos, e “Broadcast”, método de transmissão
de sons e imagens por meio do rádio ou da televisão.
Outro potencial do podcast é apresentada pelos autores
Junior e Coutinho (2007, p. 838), que vêem ele como uma ferramenta possível de
ser usada nos mais variados contextos, como em aulas e para o entretenimento,
pela possibilidade e característica de abordar diversos temas. Sendo possível
encontrar esses conteúdos na internet de forma fácil, pois podem ser inseridos em
plataformas, como Spotify e SoundCloud e também compartilhados nos sites de
redes sociais, como Facebook e Twitter.
Ao pensar no podcast como uma ferramenta educacional, como citaram as
autoras Moura e Carvalho (2006), também é importante ressaltar as vantagens nas
características e modos de utilização do podcast dentro das instituições de ensino,
como aumentar o interesse do aluno a partir da aprendizagem de forma diferentes,
o estímulo de gravar um episódio gera na pessoa a preocupação de preparar um texto coerente para apresentar no podcast e também a atividade de falar e ouvir
estimula a aprendizagem, sendo mais significativa do que simplesmente escrever
(JUNIOR, COUTINHO; 2007, p. 840).

Metodologia

No desenvolvimento do projeto de educomunicação Rádio na Mão, temos
o intuito de aplicar em uma instituição de ensino. Neste contexto, o primeiro passo
foi definir qual nosso objeto, que seria desenvolvido, pois precisamos dessa
organização prévia para apresentar aos professores.
Neste sentido foi definido a realização de um podcast com reportagens
produzidas pelos alunos em grupos pequenos, com duração de quatro à oito
minutos, sendo feita a gravação de áudio através dos aparelhos celulares dos
estudantes. E as pautas deles devem retratar o meio escolar que vivem.
O segundo passo foi a definição do local para aplicação, no caso IFRS e IFSUL.
É importante ressaltar que todos os arquivos apresentados durante
as oficinas ficarão disponíveis aos alunos através de uma pasta no Google Drive,
compartilhada com o e-mail da turma, que todos tenahm acesso. E a nossa
comunicação com eles, fora do horário das oficinas, será feita através do e-mail e do
Whatsapp da equipe. Também, devemos deixar claro que todas as atividades
foram pensadas para serem feitas durante as aulas.

Indicadores, Metas e Resultados

Ter um canal de comunicação para falar dos problemas enfrentados dentro da escola, pois apesar de oferecer ensino de qualidade, o IFRS e o IFSUL ainda são escolas de ensino médio, logo a faixa etária dos
estudantes costuma ser de 14 a 20 anos, e muitas vezes, esses jovens não estão
preparados para enfrentar uma escola do nível de um Instituo Federal.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANARELLI MARTINEZ DIAS DE OLIVEIRA
ANDREA CARDOSO DA SILVA
ANGELITA FIALHO SILVEIRA
BRENDA FARIAS PACHECO
CARLOS EDUARDO JORGE INACIO
CEZAR DE OLIVEIRA VELEDA
DANIELA SIMOES LOPES
JULIA CRISTINA MARQUES VILAS BOAS
LISANDRA ROLDAO MIRANDA
MARIA RITA DA COSTA ROLIM
MARIAH COELHO COI
MARISLEI DA SILVEIRA RIBEIRO4
MICAEL MACHADO DA SILVA
MICHELE NEGRINI
Marina Fernandes da Silva
Mell Silva de Souza
RAQUEL ANDRADE FERREIRA
SAMIRA LUCAS SILVEIRA

Página gerada em 23/01/2021 20:59:43 (consulta levou 0.117626s)